Rádio Trianon 740 AM

Moradores de Grande SP e Baixada Santista são os que mais comprometem renda com aluguel no país, diz pesquisa do Datafolha

Famílias da Grande SP gastam cerca de 38% da renda familiar com pagamento do aluguel. Na Baixada Santista, gasto compromete 45% dos salários, segundo pesquisa.


Prédios na região da Pompeia, Zona Oeste de São Paulo.  — Foto: SANTS/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Prédios na região da Pompeia, Zona Oeste de São Paulo. — Foto: SANTS/FRAMEPHOTO/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Os moradores da região metropolitana de São Paulo e da Baixada Santista são os que mais comprometem a renda familiar com o pagamento de aluguel, segundo uma pesquisa do Instituto Datafolha divulgada nesta quarta (22).

As famílias da Grande SP gastam cerca de 38% da renda familiar com o pagamento do aluguel, que custa, em média, R$ 1.078. Já na Baixada Santista, este gasto compromete 45% da renda familiar, e o aluguel médio é de R$ 951.

O percentual nas duas regiões fica acima do indicado por especialistas em gestão financeira, que aconselham que uma família gaste, no máximo, 30% do seu orçamento com esta despesa.

Além disso, os dados são superiores à média nacional, que é de 31% da renda do brasileiro comprometida com o aluguel da casa. O custo médio da locação residencial, no país, é de R$ 686.

A pesquisa, realizada em parceria com a plataforma Quinto Andar, foi feita por meio de entrevistas pessoais em locais de grande movimento, entre os dias 11 e 21 de outubro de 2021. O levantamento tem margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos para o total da amostra.

Já a margem de erro para o macropolo da Baixada Santista é maior, de 10 pontos percentuais para mais ou para menos, segundo Thiago Reis, gerente de Dados do QuintoAndar.

Financiamento de imóveis

'Figueiras do Tatuapé', prédio que se tornou o residencial mais alto de São Paulo, com 168 metros de altura — Foto: Giaccomo Vocio/G1

‘Figueiras do Tatuapé’, prédio que se tornou o residencial mais alto de São Paulo, com 168 metros de altura — Foto: Giaccomo Vocio/G1

A pesquisa também avaliou o comprometimento da renda com o financiamento de imóveis. Embora esta despesa tenha um valor médio mais alto, ele compromete um percentual menor do orçamento das famílias, o que indica que a renda média de quem tem a casa própria é superior à daqueles que moram de aluguel.

Na média nacional, o financiamento residencial compromete 27% da renda de uma família, e custa R$ 715 mensais. Já na Grande SP, o percentual médio é de 25%, e o valor do financiamento é, em média, de R$ 1.206 por mês.

A região metropolitana da capital paulista tem o maior percentual de pessoas que pretendem comprar a casa própria na próxima mudança. A pesquisa aponta que 3 em cada 5 moradores que pretendem se mudar na Grande SP querem comprar, e não alugar – o maior percentual entre as regiões metropolitanas, na comparação com Rio e Belo Horizonte.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.