Novas fontes mostra motorista do Porsche falando com voz pastosa dentro do carro antes do acidente; namorada se nega a entrar no veículo

Um novo vídeo, obtido pelo g1, mostra o empresário Fernando Sastre de Andrade Filho dentro do Porsche Carrera azul dizendo “vamos jogar sinuca” com voz pastosa para a namorada e um casal de amigos, ao sair de uma casa de pôquer, 13 minutos antes de causar um acidente de trânsito que matou um homem e feriu gravemente seu amigo em 31 de março, na Zona Leste de São Paulo (veja acima).

Fernando está preso preventivamente pela Justiça pelos crimes de homicídio por dolo eventual (por ter assumido o risco de matar o motorista de aplicativo Ornaldo da Silva Viana) e lesão corporal gravíssima (por ferir o amigo Marcus Vinicius Machado Rocha).

Ornaldo teve o Sandero atingido por trás pelo carro de luxo guiado por Fernando a 114 km/h na Avenida Salim Fara Maluf, no Tatuapé, segundo a perícia. O limite para a via é de 50 km/h. Câmeras de segurança também gravaram o momento da batida.

Marcus estava no banco de passageiros do Porsche e ficou 15 dias internado; precisou ser operado para retirada do baço e colocar drenos no pulmão. Testemunhas ouvidas pela polícia ainda contaram que Fernando havia tomado bebida alcoólica antes do acidente e tinha sinais de embriaguez. O empresário negou ter bebido, tanto em depoimento à polícia quanto em entrevista concedida ao Fantástico.

Além de Fernando, quem aparece no vídeo é a estudante Giovanna Pinheiro da Silva, namorada dele. Quem filma a cena é Juliana de Toledo Simões, namorada de Marcus. Os dois também são estudantes e amigos de Fernando e Giovanna. Fernando está com a mesma camiseta branca com a inscrição “Only Porsche” que ele usava no vídeo feito a partir das câmeras dos PMs que o abordaram logo após a batida.

No novo vídeo obtido pelo g1, Fernando aparece dentro do carro, com a porta aberta, enquanto conversa com Giovanna e Juliana Elas perguntam para onde ele irá. Ele responde com voz pastosa que vai jogar sinuca. Juliana reforça a pergunta e depois de ele responder, de novo, que vai jogar sinuca, eles riem. Ao final, a namorada se nega a entrar no carro com ele. O vídeo tem 10 segundos.

A reportagem apurou que a filmagem entre os amigos foi incluída no processo do caso que apura as causas e eventuais responsabilidades pelo acidente. Confira abaixo a conversa que aparece no vídeo:

  • Giovanna – Quer apanhar?
  • Fernando – Vamo jogar sinuca…
  • Juliana – Vamo o que, Fernando?
  • Fernando – Vamos jogar sinuca.
  • (Risadas)
  • Fernando – Vai…
  • Giovanna – Eu não! Cê vai sozinho, tchau. Eu vou embora com eles…

Por outras imagens de câmera de segurança, Fernando bateu a porta do carro por volta das 2h16. O acidente ocorreu às 2h29, portanto, 13 minutos depois.

A gravação foi feita após o grupo de amigos deixar a Encore Poker Clube, na Rua Marechal Barbacena, no Tatuapé. A imagem ajuda a completar o quebra-cabeças do caso junto a outra filmagem obtida e divulgada anteriormente pela imprensa.

Uma câmera de segurança de um imóvel perto da casa de pôquer havia registrado os quatro amigos deixando o local. Em seus depoimentos à Polícia Civil, Juliana e Marcus disseram que não se lembravam se Fernando havia bebido nesse local.

Mas haviam dito que tanto eles quanto Fernando e Giovana tomaram drinks alcoólicos antes na Porchetteria Gastronomia & Cocktail, na Rua Professor João de Oliveira Torres, também no Tatuapé. Uma comanda do grupo, que está no inquérito, mostra oito drinques de uísque com licor e uma caipirinha no lugar.

Segundo a investigação, a casa de pôquer não tinha imagens do grupo de amigos no local. Já a Porchetteria só gravou um garçom pegando copos da mesa onde o grupo estava.

O empresário Fernando Sastre, que matou o motorista de aplicativo Ornaldo da Silva Viana, durante acidente de trânsito na Avenida Salim Farah Maluf, na Zona Leste de SP. — Foto: Montagem/g1/Reprodução

O empresário Fernando Sastre, que matou o motorista de aplicativo Ornaldo da Silva Viana, durante acidente de trânsito na Avenida Salim Farah Maluf, na Zona Leste de SP. — Foto: Montagem/g1/Reprodução

De acordo com os depoimentos de Juliana e Marcus, Giovana discutiu com Fernando após deixaram a casa de pôquer para que ele não dirigisse porque estava “alterado” por ter bebido. Nesse momento, a namorada do empresário desistiu de voltar para casa com ele e preferiu seguir com Juliana no carro de Marcus. O amigo do motorista do Porsche, por sua vez, seguiu com Fernando no carro de luxo. E suas namoradas foram atrás.

Imagens das câmeras corporais dos policiais militares que atenderam a ocorrência do acidente mostraram que eles não tinham o etilômetro, aparelho usado para aferir se um motorista bebeu. As body cams ainda registraram o momento que os agentes da Polícia Militar (PM) liberaram Fernando sem passar pelo teste.

Os PMs alegaram que a mãe de Fernando, Daniela Cristina de Medeiros Andrade, havia dito a eles que precisava levar o filho para um hospital porque ele estaria ferido. Mas isso não ocorreu. A Corregedoria da Polícia Militar considerou que os agentes erraram ao liberar o motorista o Porsche sem fazer o bafômetro e os afastaram das ruas para responderem a processo disciplinar.

Fernando Sastre em entrevista ao Fantástico (à esquerda) e depois na prisão em Guarulhos (à direita) — Foto: Reprodução

Fernando Sastre em entrevista ao Fantástico (à esquerda) e depois na prisão em Guarulhos (à direita) — Foto: Reprodução

Ainda pelas câmeras corporais dos PMs é possível ouvir um bombeiro conversando com os policiais militares após a liberação de Fernando. Os agentes da PM e do Corpo de Bombeiros confirmam no diálogo que o motorista do Porsche e seu amigos estavam com sinais de embriaguez.

  • Estavam um pouco etilizados esses caras, né?“, afirmou o bombeiro na gravação.
  • Sim, Sim“, confirmou uma policial militar.

Além dessa gravação, há um documento que está no processo no qual o bombeiro que atendeu a ocorrência menciona que Fernando e Marcus estavam bêbados.

Vídeo: Veja como PMs liberaram motorista de Porsche sem teste do bafômetro

Outras testemunhas ouvidas pela investigação, que é feita pelo 30º Distrito Policial (DP), no Tatuapé, contaram que, além de o Porsche estar em alta velocidade, Fernando estava embriagado.

Dirigir em alta velocidade e embriagado são crimes de trânsito graves. Principalmente quando ocorre um acidente com morte. Nesse caso seriam agravantes.

Fernando está preso desde o dia 6 de maio, quando se entregou na delegacia, três dias depois de ficar foragido e ser procurado pela polícia. Ele se entregou com seus advogados. Por segurança, a Justiça transferiu o empresário da prisão em Guarulhos, na Grande São Paulo, e determinou que ele fique detido em Tremembé, no interior do estado.

g1 tenta contato com as defesas de Fernando e Giovanna e da família de Ornaldo para comentarem o novo vídeo que mostra o motorista do Porsche falando com dificuldade.

Procurado pela reportagem, o advogado José Roberto Soares Lourenço, que defende Juliana e Marcus, divulgou nota confirmando a veracidade do vídeo e que sua cliente o entregou ao Ministério Público (MP).

“Juliana de Toledo Simões, por meio de seus advogados, reitera o compromisso assumido de colaborar com a Justiça desde o início da investigação. Por esse motivo, foram entregues ao Ministério Público do Estado de São Paulo mídias virtuais que dizem respeito à data do ocorrido”, assina a nota o escritório Alamiro Velludo Salvador Netto Advogados Associados.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *