Rádio Trianon 740 AM

Falso entregador suspeito de roubar e matar estudante na Zona Sul de SP é reconhecido por mais duas vítimas de assaltos

Segundo a Polícia Civil, descrição feita pelas vítimas bate desde o início com Acxel Gabriel de Holanda Peres, além de modelo da moto, capacete e jaqueta usada nos crimes.


Axcel Peres é reconhecido por mais duas vítimas de assaltos.

Axcel Peres é reconhecido por mais duas vítimas de assaltos.

A Polícia Civil de São Paulo foi procurada nesta semana por duas pessoas que relatam ser vítimas de assaltos realizados por Acxel Gabriel de Holanda Peres, suspeito de balear e matar o estudante Renan Silva Loureiro durante um roubo na Zona Sul de São Paulo.

Uma delas afirma que, em 12 de março, Acxel e um comparsa teriam roubado bolsas, carteiras, cartões bancários e celulares de cinco amigas que estavam sentadas, conversando numa calçada na Rua Campina da Taborda, no Planalto Paulista, na Zona Sul da capital paulista.

Câmera de segurança registrou momento em que bandido atira em motorista que se aproximava do local em que assaltantes agiam, na Zona Sul de SP — Foto: Reprodução

Câmera de segurança registrou momento em que bandido atira em motorista que se aproximava do local em que assaltantes agiam, na Zona Sul de SP — Foto: Reproduçãohttps://169649b1745a71bbbef10a90792b06c8.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-38/html/container.html

Na ocasião, o bandido que estava com Acxel atirou contra a cabeça de Marcelo Castilhos Anzanello, que se aproximou do local do crime com o carro, um Mini Cooper. O motorista desmaiou, perdeu o controle do veículo e acabou colidindo contra outro carro. O homem baleado foi encaminhado ao Hospital São Luiz de Santo Amaro e sobreviveu. Os bandidos fugiram.

Câmeras de segurança registraram o momento em que o Mini Cooper, desgovernado, atinge um outro veículo (veja no alto).

Falso entregador Acxel Peres é preso após se entregar à polícia — Foto: Reprodução

Falso entregador Acxel Peres é preso após se entregar à polícia — Foto: Reprodução

De acordo com o delegado Eduardo Luis Ferreira, titular do 27º DP, do Campo Belo, também na Zona Sul, depois que a vítima reconheceu Acxel por fotografia no distrito, foi levada ao Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) para que fosse feito o reconhecimento de Acxel pessoalmente como um dos autores do assalto.

O delegado disse ainda que, além do reconhecimento, outros elementos levaram a polícia a pedir a prisão preventiva de Acxel por tentativa de latrocínio por este crime.

Entre eles, as vítimas, desde o início, ressaltaram as características de um dos autores ser branco com olhos claros; a moto usada é do mesmo modelo da utilizada no dia do assalto a Renan; modus operandi semelhante ao de Acxel; a jaqueta é de igual marca e modelo à que ele usava no dia da morte de Renan, assim como o capacete.

Além deste caso, o delegado Rogério Thomas, da Delegacia de Roubos e Latrocínios, afirmou que, na tarde desta quinta-feira (5), uma mulher compareceu à delegacia e fez o reconhecimento de Acxel e o acusou de ter roubado um relógio na região do Morumbi, na Zona Sul.

O crime ocorreu em 23 de fevereiro e seguiu o mesmo modus operandi: o bandido chegou de moto, armado e com uma bolsa de entregador de aplicativo. Nesta sexta (6), deve comparecer ao Deic uma terceira vítima para fazer o reconhecimento. Desta vez, por ter tido a moto roubada.

Fonte: G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.