Renatinho culpa Luxemburgo por insucesso no Santos: “Queria tomar conta da minha carreira”


Renatinho, ex-jogador do Santos, diz que Luxemburgo queria controlar sua carreira

Renatinho, ex-jogador do Santos, diz que Luxemburgo queria controlar sua carreira

Renato Carlos Martins Júnior foi um dos diversos “Meninos da Vila” que acabaram não vingando no Santos. Em 2006, ainda remoendo a saída de Robinho para o Real Madrid, o Peixe viu no jovem Renatinho a esperança de manter um time competitivo e lucrar com a formação de mais um craque.

Tratado como joia, Renatinho empolgou ainda mais a torcida santista quando brilhou na semifinal da Libertadores de 2007, marcando dois dos três gols da vitória sobre o Grêmio. Mesmo não evitando a eliminação, a torcida se apaixonou e o atacante ganhou ainda mais moral no clube, sendo apontado como o sucessor de Robinho. Depois, porém, não conseguiu corresponder às expectativas.

Na Libertadores 2007, Renatinho brilha e comanda vitória do Santos sobre o Grêmio

Na Libertadores 2007, Renatinho brilha e comanda vitória do Santos sobre o Grêmio

Em entrevista ao ge, Renatinho disse que a frustrada passagem pelo Santos teve um culpado: o técnico Vanderlei Luxemburgo. Segundo o atacante, o treinador, comandante do Peixe naquela época, queria “tomar conta” de sua carreira e não deu a ele as oportunidades que imaginava para deixar de ser mais uma promessa.

– Não tive sequência por esse motivo do Luxemburgo não me ter 100% na mão dele. Ele trabalhou muito essa parte, acredito que hoje ele não faça mais isso, mas antigamente ele gostava de tomar conta do lado pessoal do atleta. E meu empresário era o Juan Figer, um dos melhores do Brasil e do mundo. Como ia chegar para ele e dizer que não iria mais ficar com ele? Falar isso para o Juan Figer? Então, foi o que me atrapalhou, ele queria conduzir minha carreira, e eu não deixei. Ele colocava jogadores que provavelmente tinha um controle maior – disse Renatinho.

Ele não chegava impondo: “Olha você tem de fazer isso”. Ele chegava pra mim e falava: “E aí, como é que a gente vai fazer? Você tem de estar comigo”. Eu meio que dava um driblezinho leve porque não era minha intenção, então falava para ele que ia conversar com eles (empresários). Na real, nem conversava, só passava o que estava acontecendo. Eles me perguntavam por que de não estar jogando. Eu falava que ele (Luxemburgo) chegava em mim, não falava que tinha de assinar com ele, mas dava a entender que, se não fizesse do jeito dele as coisas, não teria sequência. E não tive sequência – reforçou o ex-jogador do Santos.

Renatinho em ação pelo Santos — Foto: Arquivo Pessoal/Renatinho

Renatinho disse que nunca levou o caso até a diretoria do Santos. O papo ficava entre ele, Luxemburgo e no máximo com o empresário que na época o agenciava, o uruguaio Juan Figer. A ex-promessa do Santos também afirmou não ter conhecimento de outros jogadores que possam ter passado pela mesma situação.

Sou grato ao Luxemburgo, que me subiu para o profissional. Mas ele gosta de fazer um trabalho que é cuidar da sua carreira fora do campo. E isso foi me atrapalhando no Santos
— Renatinho.

Procurado pelo ge, o técnico Vanderlei Luxemburgo, hoje no Cruzeiro, respondeu via assessoria de imprensa. O treinador afirmou que não se lembra de Renatinho, chamou as declarações de oportunistas e que “sempre há uma desculpa quando algo não dá certo” (leia no fim do texto a nota completa).

Renatinho diz que teve poucas oportunidades no Santos comandado por Vanderlei Luxemburgo — Foto: André Durão

Entre 2006 e 2008, Renatinho fez 29 jogos e marcou cinco gols pelo Santos.

 

Aos 34 anos, o atacante se prepara para a aposentadoria. Após rodar o mundo, Renatinho não esconde que tinha a expectativa de fazer sucesso no Santos e construir trajetória em um grande clube europeu.

Acredito que no Santos foi o que me atrapalhou. Você vê o Rodrygo, Gabigol, Kaio Jorge e Geuvânio, eles tiveram sequência
— Renatinho.

– Todo mundo ficou na expectativa que eu ia dar sequência. Acho que poderia render muito mais, mesmo com poucos jogos. Se pegasse um treinador, por exemplo, como o Celso Roth, que montou aquela geração de 2002. Não dá para colocar a culpa de tudo no Luxemburgo, mas muita gente no futebol entendeu o que aconteceu – lamentou Renatinho.

O dia que enfrentou Anelka e Drogba na China

 

Após deixar o Santos, em 2007, Renatinho fez sucesso nas três temporadas em que defendeu o Kawasaki Frontale, do Japão. Depois, rodou por Portugal, China, Tailândia, Albânia e alguns clubes brasileiros, como São Caetano, Santo André, Anapolina, Brasiliense e Linense, onde disputou apenas três jogos da Série A3 do Campeonato Paulista de 2021.

A passagem pela China marcou o atacante. Começando a chamar atenção do mundo pelo volume de dinheiro e de contratações impactantes, Renatinho conta que teve o sonho realizado de poder encontrar um ídolo com quem antes tinha contato apenas através do videogame: o marfinense Didier Drogba, que estreou no Shanghai Shenhua, ao lado do francês Anelka, contra o time dele na época.

– Brinco com meus amigos que no videogame só jogava com o Chelsea, o Drogba voando. Fui para a China e no mesmo ano Drogba e Anelka. E a estreia deles contra o meu time. No corredor o Drogba me deu a mão, não acreditei que estava vendo ele. Começou o jogo, 5 a 2 para os caras com três do Drogba e dois do Anelka – relembrou Renatinho.

Renatinho em ação no futebol japonês  — Foto: Divulgação

Renatinho em ação no futebol japonês — Foto: Divulgação

Escolinha em São Vicente e futuro

 

Com o fim da carreira encaminhado e sem pretensões de voltar a atuar fora do Brasil – no início do ano o atacante tinha acerto com um time da Tailândia que acabou não acontecendo -, Renatinho se dedica a uma escolinha de futebol que abriu em São Vicente, no bairro onde cresceu e foi descoberto por Zito quando ainda jogava futsal na cidade do litoral paulista.

– Vinha pensando há uns dois, três anos que quando parasse de jogar futebol iria fazer esse projeto. Aqui é um bairro de famílias humildes, difícil as crianças terem condições de treinar e acho que isso vai dar frutos bons. Não sou bobo, aqui é o lugar de onde veio o Robinho. Um projeto que venho fazendo um trabalho para dar oportunidade para as crianças. Sou daqui, do Parque Bitaru e sei das dificuldades e que é necessário dar oportunidade às crianças – revela.

Renatinho, ex-atacante do Santos que foi considerado o "novo Robinho" — Foto: Emilio Botta

Renatinho, ex-atacante do Santos que foi considerado o “novo Robinho” — Foto: Emilio Botta

Apenas um convite do Santos faria o atacante de 34 anos repensar a decisão de deixar o futebol.

– A gente não sabe o que pode acontecer. Vai que calha de ter uma oportunidade de encerrar a carreira de algum jeito no Santos. Estou aí, avisa o Santos que estou aí. Vai que eles me deixam fazer um teste lá.

Leia abaixo a nota de Vanderlei Luxemburgo:

“Primeiro eu nem me lembro deste jogador, ele deu certo em algum lugar?

Infelizmente há sempre uma desculpa para quando algo não dá certo. Choveu demais, o sol estava forte e alguém atrapalhou. Eu jamais iria indicar um empresário para um atleta, isso é problema do jogador.

Você está me dizendo que o empresário do jogador era o Juan Figer, que é meu amigo, responsável direto pela minha ida para o Real Madri e jamais me envolveria em uma situação contra um grande amigo meu.

O atleta fala de algo que ocorreu faz 14 anos e só agora vem com essa história? Além de lamentar esse tipo de assunto, quero desejar a esse rapaz que ele tenha muito sucesso em sua vida particular.

Mas vou deixar aqui duas perguntas para reflexão: se fosse um profissional que tivesse capacidade para ser um bom jogador, não teria dado certo com outro treinador e mais, se fosse um bom jogador, eu não o teria aproveitado, até para que ele pudesse me ajudar no time?

Lamento o oportunismo de determinadas pessoas”.

Fonte: Ge

PHP Code Snippets Powered By : XYZScripts.com