Últimas notícias da Prefeitura de São Paulo

16/12/2020

São Paulo é escolhida para participar de campanha global sobre promoção do direito de acesso à informação de mulheres

Promovida pela organização The Carter Center, o objetivo da campanha é sensibilizar a população sobre o direito das mulheres à informação

A cidade de São Paulo foi escolhida para integrar a campanha global “Inform Women, transform lives”, promovida pelo The Carter Center. O objetivo da campanha é garantir que as mulheres possam buscar e receber informações, prosperar em suas comunidades e impactar seus governos. Por meio da articulação da equipe internacional da Prefeitura, a capital paulista foi selecionada entre 30 cidades, com base no compromisso com a transparência e igualdade de gênero. A campanha será desenvolvida pelas equipes de Relações Internacionais, Governo Aberto de São Paulo e pela Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania.

Esta é a primeira vez que o The Carter Center promove uma campanha global, que tem como objetivo aumentar a conscientização sobre o direito das mulheres à informação e auxiliar os governos locais a atingir mulheres com informações significativas. Além de São Paulo, participam também da iniciativa: Atlanta e Chicago (EUA), Amã (Jordânia), Buenos Aires (Argentina), Cidade do Cabo (África do Sul), Colombo (Sri Lanka), Dhaka (Bangladesh), Dublin (Irlanda), Cidade da Guatemala (Guatemala), Kampala (Uganda), Lima (Peru) e Monróvia (Libéria).

Para a secretária Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Claudia Carletto, a participação da cidade de São Paulo nesta campanha é uma forma de fortalecer as ações do município contra a violência de gênero: “Muito nos honra que a cidade de São Paulo tenha sido escolhida para integrar essa ação tão necessária e potente promovida pelo The Carter Center. A pluralidade e os desafios que permeiam nossa atuação na defesa dos direitos das mulheres paulistanas, respeitando sua origem e individualidade, nos capacita e nos motiva a buscar cada vez mais articulações como essa, somando forças para que esse movimento multilateral ganhe corpo e uma voz cada vez mais audível contra a violência de gênero e o sexismo”.

Já a coordenadora para Assuntos de Governo Aberto, Patrícia Marques, destacou a importância de facilitar o acesso às informações e direitos pelas mulheres para favorecer a participação cidadã: “para nós é uma imensa satisfação fazer parte dessa campanha. A Cidade de São Paulo tem um histórico de êxito em projetos colaborativos, nos quais a sociedade civil e o governo trabalham em conjunto. Trabalhar questões de gênero e trazer o foco às cidadãs de nossa cidade é uma pauta indissociável da gestão de políticas públicas. O Governo Aberto tem demonstrado uma forte potência transformadora, e assim são as mulheres: potentes, inovadoras, capazes de transformar suas vidas e as vidas daqueles que as cercam. Uma mulher mais informada, ciente de seus direitos, amplia este poder para si mesma e para toda uma comunidade. Quem tem mais informação, participa mais. E é isso o que a gente precisa: pessoas que participem e estejam mais próximas da administração pública”.

O secretário de Relações Internacionais, Luiz Alvaro Salles Aguiar de Menezes, comentou sobre o apoio internacional para desenvolver uma ação coletiva para a cidadania das mulheres: “Mais do que promover o acesso à informação para as mulheres, esta campanha é um esforço para garantir às mulheres o exercício da cidadania de forma plena, de criar mecanismos para superar as opressões e violências de gênero. A participação nessa campanha reforça o compromisso de que São Paulo é uma cidade para todos e todas”.

O pré-lançamento da “Inform Women, transform lives”, com a divulgação das cidades participantes e dos objetivos da campanha, ocorreu na última quinta-feira (10), Dia Internacional dos Direitos Humanos, pela publicação de um vídeo nas redes sociais. O lançamento oficial da campanha acontecerá no próximo dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, com encerramento previsto em 28 de setembro de 2021, Dia Internacional do Direito ao Saber.

Sobre o The Carter Center

O The Carter Center é uma organização não-governamental fundada pelo ex-presidente dos Estados Unidos, Jimmy Carter, e sua esposa, Rosalynn. Com o lema “Promovendo a paz. Lutando contra doenças. Construindo esperança”, a organização busca prevenir e resolver conflitos, melhorar a liberdade e a democracia, além da melhoria da saúde em todo o mundo.

Centros Esportivos têm novo horário de funcionamento

Alteração segue orientação do Plano São Paulo durante a fase de quarentena no Estado

A Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SEME) informa os novos horários dos Centros Esportivos da Prefeitura de São Paulo. A alteração já está em vigor e segue as orientações do Plano São Paulo para a Fase Amarela da quarentena no Estado, que determina 10 horas diárias de funcionamento. A ocupação máxima nos clubes será de 40% de sua capacidade total.

Horários:

Das 6h às 16h

CERET;

Parque das Bicicletas;

Centro Esportivo Jardim São Paulo;

Centro Esportivo Ermelino Matarazzo;

Modelódromo do Ibirapuera.

Os demais Centros Esportivos funcionam das 7h às 17h.

Permanecem também as demais regras nos Centros Esportivos:

Medição da temperatura de frequentadores e funcionários. Pessoas com temperatura acima de 37,5° serão proibidas de acessar os CEs e orientadas a buscar atendimento médico;

Uso de máscara obrigatório para frequentadores e usuários;

Esportes coletivos e atividades que promovam o contato físico estão proibidos nos Centros Esportivos da Prefeitura de São Paulo;

São permitidas as caminhadas nas áreas externas dos Centros Esportivos;

A SEME recomenda que os usuários dos CEs levem seus próprios squeezes e garrafas individuais com água. Os bebedouros são destinados exclusivamente para hidratação;

Para facilitar o controle de acesso, a entrada e saída dos Centros Esportivos deverá ser feita por apenas uma portaria. Em caso de risco de aglomeração, outras portarias serão liberadas;

Não será permitida aglomeração de pessoas nos Centros Esportivos. O distanciamento social deve ser respeitado;

Álcool em gel deve ser disponibilizado na portaria, sanitários e administração;

O acesso aos sanitários poderá ser controlado para facilitar o trabalho de higienização;

Não há atendimento ao público.

Os Centros Esportivos Mooca, Santana, Tietê, Santo Amaro e Barra Funda permanecem fechados ao público, pois atualmente são utilizados pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (Smads) no acolhimento de pessoas em situação de vulnerabilidade social.

Chamamento público: Educação credencia parceiros para oferecer atividades nos novos CEUs

Termo de colaboração contempla gestão administrativa dos espaços, além da prestação de atividades culturais e esportivas nos 12 novos CEUs da cidade

Foi publicado no Diário Oficial o Edital de Chamamento Público* Nº 19/SME/2020, cujo objetivo é a seleção de propostas para a celebração de parceria com a Secretaria Municipal de Educação (SME). O de Termo de Colaboração, de Organizações da Sociedade Civil (OSC) serve para parceiros interessados no oferecimento de atividades de cultura, práticas corporais, de esporte, lazer e recreação nos 12 novos Centros Educacionais Unificados da cidade, bem como a manutenção, vigilância, limpeza destes aparelhos públicos.

Chamamento público é o procedimento destinado a selecionar as Organizações da Sociedade Civil (OSC) para celebrar a parceria, disciplinado pelo Edital. As OSC que satisfaçam as condições para participação, deverão apresentar à SME as propostas de parcerias e os documentos de regularidade, por meio de envelopes físicos ou endereço eletrônico.

A data final de entrega é 30 (trinta) dias corridos, contados da data de publicação do Edital.

CEUs participantes

Os 12 CEUs do edital estão divididos e quatro blocos:

BLOCO CENTRO-LESTE: parcela do OBJETO do CHAMAMENTO PÚBLICO que corresponde aos: CEU Vila Prudente (Vila Alpina), vinculado à DRE do Ipiranga; CEU Carrão/Tatuapé, vinculado à DRE da Penha; e CEU Arthur Alvim, vinculado à DRE da Penha;

BLOCO LESTE: parcela do OBJETO do CHAMAMENTO PÚBLICO que corresponde aos: CEU Parque Do Carmo, vinculado à DRE de Itaquera; CEU Barro Branco/Cidade Tiradentes, vinculado à DRE de Guaianases; CEU São Pedro/José Bonifácio, vinculado à DRE de Itaquera; e CEU São Miguel, vinculado à DRE de São Miguel

BLOCO NORTE/NORDESTE: parcela do OBJETO do CHAMAMENTO PÚBLICO que corresponde aos: CEU Tremembé, vinculado à DRE do Jaçanã/Tremembé; e CEU Parque Novo Mundo, vinculado à DRE do Jaçanã/ Tremembé;

BLOCO NOROESTE: parcela do OBJETO do CHAMAMENTO PÚBLICO que corresponde aos: CEU Freguesia do Ó, vinculado à DRE da Freguesia do Ó/ Brasilândia; CEU Pinheirinho, vinculado à DRE de Pirituba; e CEU Taipas, vinculado à DRE de Pirituba.

O termo de colaboração terá validade por 5 anos, contados da data da ordem de início.

Todos os detalhes, requisitos, fases da seleção, critérios de julgamento podem ser lidas acessando o edital e os links abaixo.

Anexos referentes ao edital

Edital de Chamamento Público – Parceria na modalidade de Termo de Colaboração para o oferecimento de atividades de cultura, esporte, lazer e recreação em 12 (doze) CEUs

Anexo I – Modelos de Declarações;

Anexo II – Minuta de Termo de Colaboração;

Referente ao Anexo II – Anexo V do Anexo II – Minuta de Termo de Colaboração – Programa de Partida

Anexo III – Referências para Elaboração do Plano de Trabalho;

Anexo IV– Modelo de Plano de Trabalho;

Anexo V – Memorial Descritivo;

Apêndice I do Anexo V – Plantas dos CEUs – Bloco centro leste

Apêndice I do Anexo V – Plantas dos CEUs – Bloco leste

Apêndice I do Anexo V – Plantas dos CEUs – Bloco norte nordeste

Apêndice I do Anexo V- Plantas dos CEUs – Bloco noroeste

Apêndice II – AVBCs dos CEUs

Apêndice III – Tabela Quantitativo salas e equipamentos dos CEUs

Anexo VI – Modelo de Termo de Atuação em Rede.

Contribuições realizadas em Audiência Pública

acesse os links da matéria:

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/chamamento-publico-educacao-credencia-parceiros-para-oferecer-atividades-nos-novos-ceus

Prefeitura amplia Teste do Pezinho para mais de 50 doenças verificadas

Diagnóstico precoce detecta doenças genéticas, congênitas, infecciosas, erros inatos do metabolismo e da imunidade em bebês

O Teste do Pezinho foi ampliado na cidade de São Paulo. A partir desta segunda quinzena de dezembro, o número de doenças detectadas no teste feito em bebês nascidos nos hospitais e maternidades públicos da capital passará de 50. O diagnóstico precoce é capaz de descobrir doenças genéticas, congênitas, infecciosas, erros inatos do metabolismo e da imunidade, e assim evitar danos relacionados ao desenvolvimento neuropsicomotor, sequelas, internações e mortes.

Com mais volume de exames, a rede municipal consegue ampliar a atuação preventiva desde o início da vida do indivíduo, com grandes chances de aumentar a expectativa de vida e diminuir mortalidade infantil na cidade, além de reduzir os custos na saúde. Antes, era possível detectar apenas as doenças Fenilcetonúria, Hipotireoidismo Congênito, Fibrose Cística, Anemia Falciforme e demais Hemoglobinopatias, Hiperplasia Adrenal Congênita e Deficiência Biotinidase. Com a ampliação, doenças como Toxoplasmose, Galactosemias e outras passarão a fazer parte da triagem de até 50 patologias no mesmo bebê, conforme a testagem realizada e a necessidade.

De acordo com a pediatra e diretora do departamento de Apoio à Atenção à Saúde da Secretaria Municipal da Saúde, Athene Maria de Marco Mauro, a ampliação do exame de Pezinho vai proporcionar o diagnóstico precoce dessas doenças, evitando danos relacionados ao desenvolvimento neuropsicomotor, sequelas, internações e óbitos. “Com isso, poderemos reduzir a morbimortalidade infantil e proporcionar qualidade de vida para as crianças e suas famílias”, afirmou.

Para aumentar o número de doenças detectadas com o Teste do Pezinho, a Prefeitura está fazendo uma adequação nos fluxos a fim de atender as necessidades das novas doenças identificadas, o que inclui coleta, recoleta, exames confirmatórios, busca ativa e capacitação da rede. Por recomendação técnica, a coleta da amostra deve ocorrer após 48 horas de vida do bebê, de preferência nas maternidades públicas e em alguns casos nas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Em média, a capital registra o nascimento de 8.700 bebês a cada mês, pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Para que todos passem pela Triagem Neonatal Ampliada (nome técnico do Teste do Pezinho), a  previsão é que sejam realizados cerca de 52.200 exames por mês.

Os testes são realizados em parceria com o Instituto Jô Clemente (IJC), referência nesse tipo de exame. O órgão é responsável pela capacitação técnica para realização dos exames, coleta e logística de envio da amostra; análise clínica e liberação do laudo; exames confirmatórios; apoio médico aos resultados de exames e aconselhamento genético dos casos diagnosticados no teste, que posteriormente deverão ser tratados e acompanhados pela rede de saúde.

Atualmente, o Instituto Jô Clemente é responsável pela realização da triagem de 80% dos bebês nascidos na capital paulista e 67% dos recém-nascidos do Estado de São Paulo, na rede SUS (293 mil) e de maternidades e hospitais privados (103 mil, sendo 28% de testes ampliados). Desde 1976, quando foi implementado o Teste do Pezinho no Brasil, o Laboratório do Instituto Jô Clemente já triou mais de 16,5 milhões de crianças brasileiras. Somente em 2019, passaram pela triagem na instituição 395.281 bebês, totalizando 2.635.283 exames.

Telemedicina é realidade na rede SUS de São Paulo

Aplicativo e-saúdeSP integra dados clínicos e telemedicina e tem sido usado durante a pandemia da Covid-19

O termo telemedicina ganhou notoriedade em 2020, sobretudo com a pandemia do novo coronavírus. A tecnologia que permite ao médico chegar virtualmente até o paciente em qualquer hora, data e local, já é uma realidade na rede SUS de São Paulo.

Na estreia do podcast Saúde+ Cast da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), o médico e Coordenador Setorial de Urgência e Emergência do Avança Saúde, Marcelo Takano, fala sobre o avanço da telemedicina e explica como o aplicativo e-saúdeSP, a plataforma de integração de dados clínicos e telemedicina que reúne todo o histórico do paciente SUS na capital paulista, além de outras funcionalidades, agilizou o atendimento e o diagnóstico de pacientes com suspeita de Covid-19.

Pelo aplicativo e-SaúdeSP, disponível para dispositivos Android, iOS e em versão web, a pessoa tem acesso ao @covid, que faz o acolhimento de pacientes com suspeitas ou dúvidas sobre a doença. Nela, o usuário aponta seus sintomas e as respostas são analisadas por médicos e enfermeiros. O cidadão recebe de volta mensagem sobre a sua situação de saúde e orientações, permitindo ainda a realização de uma teleconsulta com profissional de saúde, se indicado.

Para saber mais, clique no link abaixo e escute o podcast Saúde+Cast. Ou, ainda, ouça pelo YouTube, no canal da Secretaria Municipal da Saúde.

Clique aqui e ouça o podcast Saúde+ Cast.

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/telemedicina-e-realidade-na-rede-sus-de-sao-paulo-1

Segunda edição do Sem Barreiras promoveu acessibilidade e artistas com deficiência

Edição realizada entre os dias 7 e 13 de dezembro foi totalmente virtual e contou com apoio de várias instituições culturais da cidade

A segunda edição do “Sem Barreiras – Festival de Acessibilidade e Artistas com Deficiência”, teve todos os espetáculos transmitidos virtualmente em plataforma acessível nas redes sociais da SMPED, Facebook @smpedsp e YouTube @inclusaosp. O evento, que aconteceu de 7 a 13 de dezembro, foi viabilizado por meio das Secretarias Municipais de Cultura (SMC) e da Pessoa com Deficiência (SMPED), com o apoio da Biblioteca Mário de Andrade e de várias instituições culturais da cidade. Neste ano, após cada apresentação o artista realizou uma live ao vivo, em um bate-papo descontraído, contando um pouco da história de sua trajetória.

“A segunda edição do Festival Sem Barreiras destaca o trabalho de diversos artistas das mais variadas linguagens, como o samba, o rap, o teatro e a fotografia para dividirem com o público, além de seus talentos, a força da narrativa por um mundo mais justo e empático, na construção de um campo civilizatório, que é o que todos sonhamos e queremos”, destaca o secretário municipal de Cultura, Hugo Possolo.

O objetivo primordial desta ação foi promover o protagonismo da pessoa com deficiência em duas dimensões, na prática, abrindo espaço para artistas com deficiência se apresentarem e mostrarem seu talento, bem como, conceitualmente, transmitindo a todas as pessoas com deficiência mensagem de empoderamento.

“A cultura é a chave que abre portas, muda mentes, conceitos e elimina preconceitos. A criação do Festival Sem Barreiras foi e será, sem dúvida alguma, um agente de transformação na vida de muitas pessoas”, declara o secretário municipal da Pessoa com Deficiência e idealizador do projeto, Cid Torquato.

Ao todo foram 75 espetáculos, espalhados nos mais de 20 parceiros culturais, que se uniram ao Sem Barreiras, para levar programação de qualidade com acessibilidade, outro tema relevante no evento. Itaú Cultural, SESC, Instituto Moreira Salles, MASP, Casa das Rosas, Japan House, Centro Cultural Coreano no Brasil, Pinacoteca, Museu da Diversidade Sexual, Museu do Futebol, Tom Brasil e várias outras instituições. Exposição, fotografia, teatro, música, dança, literatura, programação infantil, contação de histórias e rodas de conversa fizeram parte da programação da cidade, que é a capital da cultura.

Uma ação grandiosa como esta, não poderia deixar de contar com apoiadores de peso, sensíveis ao objetivo do evento. Foram eles: AACD, Acessibiliza_sp, Arte 1, Beplay, Casa Hunter, Cognizant, Fundação Dorina Nowill, Hand Talk, Sodexo, Tela Mágica, TV Cultura, SPTrans, CPTM, Metrô e Secretaria Estadual dos Direitos da Pessoa com Deficiência (SEDPcD).

Com o sucesso do Programa Cultura Inclusiva, a Prefeitura de São Paulo passou a divulgar os símbolos de audiodescrição, Libras e Closed Caption (legenda) na programação cultural da cidade. A iniciativa é um estímulo para que outros equipamentos públicos e privados, além de roteiros e guias culturais, também apresentem em seus serviços os símbolos de acessibilidade comunicacional, alcançando o público de pessoas com deficiência auditiva e visual.

Para conferir tudo que rolou, acesse o site e confira vídeos e fotos desta edição:

www.festivalsembarreiras.prefeitura.sp.gov.br

Centro para Crianças e Adolescentes Marsilac recebe visita do piloto Rubens Barrichello

Os conviventes do serviço da Zona Sul ganharam presentes em um dia especial para celebrar a chegada do Natal

Para celebrar o Natal, o Centro para Crianças e Adolescentes (CCA) Marsilac, localizado no extremo Sul da capital, recebeu nesta terça-feira (15/12), a visita do piloto Rubens Barrichello, presidente do Instituto Família Barrichello, vestido de Papai Noel, que distribuiu presentes para as crianças e adolescentes do CCA. Durante a ação também foi entregue um vale alimentação para cada família, que terá crédito de R$ 100 em dezembro e R$ 100 em janeiro.

“A iniciativa é de extrema importância para as crianças assistidas, principalmente em datas especiais como o natal”, disse a secretária municipal de Assistência e Desenvolvimento Social,  Berenice Giannella. “Nesse evento, com o apoio do Instituto, é importante ver como as pessoas se propõem a ajudar”, acrescentou. “Quero agradecer ao Rubinho e espero que outras tantas venham para ajudar as pessoas”, finalizou.

O Instituto tem parceria há seis anos com a Organização da Sociedade Civil (OSC) A Mão Cooperadora – Obras Sociais e Educacionais, parceria com a Assistência Social municipal, com o projeto “Esporte Cidadania em Ação (ECA) em territórios de alta vulnerabilidade social e econômica para promover a cidadania participativa e ampliação da consciência de direitos e deveres. “Temos que nos adaptar a nova realidade, que não permite hoje um abraço e mostrar o calor humano”, declarou Barrichello. “No momento estamos com 20% da capacidade, mas todas as crianças receberão os presentes”, acrescentou. As outras crianças matriculadas estão sendo atendidas remotamente por conta da quarentena.

Para o pastor Armínio Kopp, ações como essa são exemplos e aconselhou os jovens a estudarem para realizarem os sonhos. “Se vocês têm um sonho, estudem muito para realizá-lo”, afirmou o presidente da OSC após a apresentação musical das crianças.

Na ocasião, a secretária da assistência social visitou o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) Marsilac e o Centro de Convivência Intergeracional (CCINTER) Marsilac/Emburá acompanhada da Supervisora de Assistência Social de Parelheiros, Adriana Rezende da Silva, e da equipe do território.

A região de Parelheiros conta com 32 serviços da rede socioassistencial e dispõe de 6,1 mil vagas. A OSC parceira A Mão Cooperadora possui dois convênios e atende 240 pessoas.

Prefeitura realiza entrega de medalhas e láureas de mérito pessoal

Solenidade foi realizada nesta terça-feira (15), por meio da Secretaria Municipal de Segurança Urbana, pelo Comando da Guarda Civil Metropolitana (GCM)

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Segurança Urbana, realizou, nesta terça-feira (15), a entrega de medalhas e láureas de mérito pessoal para os integrantes da Guarda Civil Metropolitana e demais personalidades. O evento, organizado pelo comando da GCM, aconteceu no auditório do Instituto de Previdência Municipal (IPREM), na Zona Norte.

A inspetora de Divisão Bom Retiro (ID – 10), Eliane Simoni, e o secretário municipal de Governo, Rubens Rizek Jr., foram agraciados com a medalha Jânio Quadros. O secretário municipal de Segurança Urbana (SMSU), Celso Aparecido Monari, foi condecorado com a Medalha Bandeirante, que destacou o relevante trabalho da Guarda Civil Metropolitana.

“Temos orgulho do brilhante trabalho que a corporação vem realizando, ao longo dos anos, na cidade de São Paulo, reconhecido no Brasil e no mundo”, afirmou.

O ex-secretário José Roberto Rodrigues de Oliveira e o chefe de gabinete da presidência da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), Edenir de Sousa Carvalho Simões, também foram homenageados com a medalha Bandeirante.

O subinspetor Rogério de Almeida Assunção e os 3ª Classes Fernando Araújo Meszaros e Fletcher Martins Souza Koda, da Inspetoria Consolação -Pacaembú (ID-12), foram condecorados pelos serviços prestados à sociedade com láureas de Mérito Pessoal.

Participaram do evento a comandante geral da GCM, inspetora superintendente Elza Paulina de Souza, o subcomandante Marcos Valério Pereira Ferreira e os comandantes operacionais e regionais da instituição. A banda da GCM e integrantes do canil também estiveram presentes.

Prefeitura divulga 39º levantamento de ações internacionais de enfrentamento ao Coronavírus

O documento é atualizado semanalmente pela equipe de relações internacionais e tem como objetivo contribuir com as medidas implementadas em São Paulo e também com as decisões de outros governos, cidades e países.

Em 11 de março, a Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou o estado de pandemia mundial por coronavírus. Com isso, a área de Relações Internacionais da Prefeitura de São Paulo iniciou um levantamento internacional de ações e boas práticas realizadas para o enfrentamento da Covid-19 com a finalidade de contribuir com as medidas de contenção que estão sendo aplicadas na cidade de São Paulo. A versão publicada nesta segunda (14) é a mais recente.

O documento apresenta diversas ações implementadas por cidades e países, como descontos fiscais e medidas econômicas, políticas de atendimento à população de rua, acolhimento a mulheres e crianças em situação de violência doméstica, medidas e serviços de saúde pública, restrições parciais ou totais de funcionamento de estabelecimentos privados, educação, transporte coletivo, fechamento de fronteiras, entre outros. O principal ponto em comum é o isolamento preventivo obrigatório e monitorado.

“O tempo é de mudanças e solidariedade. O combate ao coronavírus é um desafio mundial e nossas principais armas são a ciência, a informação correta e a responsabilidade social. O momento exige união. Em São Paulo, estamos enfrentando a Covid-19 com muita seriedade e transparência. Nosso esforço está voltado para que o vírus tenha a maior dificuldade de se alastrar e contaminar muita gente ao mesmo tempo. Eu acredito no espírito solidário, criativo e empreendedor de São Paulo”, afirmou o Prefeito de São Paulo, Bruno Covas.

Semanalmente, serão disponibilizadas informações pesquisadas pela equipe com o objetivo de contribuir não só com as medidas implementadas em São Paulo, mas também com as decisões de outros governos, cidades e países. Acreditamos que as ações locais são essenciais para contribuir com os desafios globais e a união dos esforços será o grande diferencial no impacto da pandemia no cenário mundial.

“Este é o momento de unirmos nossos esforços a favor da humanidade e em respeito a todos os cidadãos do mundo que estão contribuindo com as medidas de contenção do coronavírus. “Expandir as ações que estão sendo realizadas globalmente vai contribuir com o amparo que a população merece neste cenário”, destaca o Secretário de Relações Internacionais, Luiz Alvaro Salles Aguiar de Menezes.

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/prefeitura-divulga-39o-levantamento-de-acoes-internacionais-de-enfrentamento-ao-coronavirus

Prefeitura insere 100 novos beneficiários no Programa Operação Trabalho voltado à população de rua

A formação dos participantes inclui oficinas sobre confecção de produtos com resíduos têxteis

A Prefeitura inicia nesta quarta-feira (16) a inserção de 100 pessoas na nova turma de beneficiários no Programa Operação Trabalho, na modalidade População de Rua. A ação, que visa a qualificação profissional dos participantes para o mercado de trabalho e de geração de renda, terá parte das vagas destinadas ao público trans, também em situação de vulnerabilidade social. A iniciativa é uma parceria intersecretarial entre Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Direitos Humanos e Cidadania e de Assistência e Desenvolvimento Social com o Instituto Becei e da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo

“Cerca de 60 pessoas já passaram pelo programa, que conta com a oportunidade de resgatar a autoestima, de incentivar a geração de renda a fim de que o beneficiário recomece a vida e se reintegre à sociedade. Assim como o anterior, o novo grupo terá contato com o universo da moda e da reutilização de materiais, sendo preparados para a geração de renda focados na sustentabilidade”, afirma a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso.

A nova turma, que tem entre 19 e 64 anos, conta com pessoas que estão em situação de rua há mais de um ano e recebem suporte de centros de acolhida da Prefeitura como a Casa Florescer e Autonomia em Foco. Nesses locais serão executadas as atividades, em grupos controlados, em decorrência da pandemia pelo coronavírus.

Os novos beneficiários passarão por qualificação profissional em oficinas e workshop sobre o universo têxtil e da moda, se valendo da confecção de produtos e customização de roupas, acessórios e utilidades com os resíduos têxteis produzidos pela indústria do setor de vestuário. Durante as aulas os alunos terão a oportunidade de conhecer os tipos de tecidos e aplicar técnicas para desenvolver artesanato e gerar renda. Estimativas da EACH – Escola de Artes, Ciências e Humanidades – USP dão conta que aproximadamente 50 toneladas de roupas e resíduos têxteis são descartados por dia nos aterros sanitários.

“Essas 100 vagas a mais disponibilizadas pelo programa podem mudar efetivamente a vida dessas pessoas que já são tão vulneráveis e marginalizadas, por meio da ressocialização e do resgate da dignidade abalada pela dureza da vida nas ruas. Precisamos, cada vez mais, unir forças para que iniciativas tão positivas quanto essa sejam recorrentes”, afirma a secretária municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Claudia Carletto.

O Programa Operação Trabalho POP Rua também visa ampliar o processo educacional dos participantes a fim de proporcionar a autonomia para reinserção na sociedade. Quem integra as atividades conta, ainda, com ações de arte-terapia, redução de danos e diversidade para melhorar a autoestima. Em 2019, foram abertas 30 bolsas que resultaram em 30% dos beneficiários no mercado de trabalho.

Os selecionados para o curso receberão uma bolsa auxílio no valor de R$ 731,46, por quatro horas de atividades diárias. Para participar os selecionados devem seguir os critérios já estabelecidos pelo POT como morar há pelo menos dois anos na capital, estar desempregado a mais de quatro meses, não receber seguro-desemprego ou outros benefícios sociais e ter renda familiar igual ou menor que meio salário mínimo.

Prefeitura de São Paulo dobra o número de vagas de programa que garante cidadania a trans e travestis

Iniciativa contribui para a progressão escolar e capacitação de pessoas trans e travestis na capital

O programa Transcidadania, iniciativa da Prefeitura de São Paulo para o empoderamento e resgate da cidadania de pessoas trans e travestis em situação de vulnerabilidade social, dobrou o número de vagas em dezembro, passando de 240 para 510, um aumento de mais de 100%.

O programa, que tem foco na progressão escolar e qualificação, disponibiliza uma bolsa mensal no valor de R$ 1.097,25 para participantes, por seis horas de atividades diárias. Em 2017, o Transcidadania passou por uma descentralização com objetivo de levar o programa para as periferias. Com a ampliação a prefeitura reforça o compromisso com a garantia dos direitos dessa população vulnerável facilitando o acesso ao mercado de trabalho.

“Temos diversos exemplos de transformação de vida e de ressocialização de pessoas que passaram pelo Transcidadania. Histórias que embasam nossas ações e nos motivam a criar cada vez mais oportunidades neste programa que, de fato, resgata vidas em situação de extrema vulnerabilidade e que convivem diariamente com o descaso e até mesmo com a violência. Dobrar o número de vagas vai permitir que o programa tenha um impacto social ainda maior”, afirma a secretária municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Claudia Carletto.

A iniciativa de aumentar o número de vagas é resultado de uma parceria entre a Secretaria Municipal Desenvolvimento Econômico e Trabalho e a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, para atender uma necessidade da população trans, que historicamente é excluída da sociedade, da escola, da família e consequentemente levada à informalidade, tendo que recorrer muitas vezes à prostituição como forma de gerar renda.

“O Transcidadania é um programa que nos dá muito orgulho porque apoia, qualifica, dá autonomia financeira e empodera um público que por muito tempo tinha pouca ou nenhuma opção de ser protagonista na sociedade. Com essa iniciativa conseguimos engajar muitas empresas no tema da diversidade, ampliando os horizontes dessa população com a inserção no mercado de trabalho e mostrando para as empresas e as pessoas trans e travestis que não há mais espaço para preconceito no mercado de trabalho”, destaca a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso.

Para ter acesso ao programa, a pessoa trans ou travesti em situação de vulnerabilidade deve fazer sua inscrição entre os dias 14 e 18 de dezembro em um dos Centros de Cidadania LGBTI, por meio de agendamento telefônico de acordo com sua região de domicílio (contatos abaixo). Na data marcada deve levar RG, CPF, carteira de trabalho e comprovante de endereço. Além dos documentos a admissão no programa tem pré-requisitos como não ter completado o ensino médio, estar estudando ou ter matrícula feita para o próximo ano letivo e estar sem emprego e/ou não ter trabalhado formalmente nos últimos quatro meses.

Saiba mais sobre o Transcidadania

O Programa Transcidadania tem como proposta fortalecer as atividades de inclusão profissional, reintegração social e resgate da cidadania para a população de travestis, mulheres transexuais e homens trans em situação de vulnerabilidade, atendidas pelo Centro de Cidadania LGBTI, equipamento gerido pela Coordenação de Políticas para LGBTI da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania.

O programa oferece condições de autonomia financeira, por meio da transferência de renda condicionada à execução de atividades relacionadas à conclusão da escolaridade básica, preparação para o mundo do trabalho e formação profissional e cidadã.

Outro objetivo é o aperfeiçoamento institucional, referente à preparação de serviços e equipamentos públicos para atendimento qualificado e humanizado.

Cada beneficiário recebe acompanhamento psicológico, jurídico, social e pedagógico durante os dois anos de permanência no programa. O Transcidadania é norteado por três eixos de atuação: autonomia, cidadania e oportunidades.

Serviço

Devido à pandemia e com intuito de não promover aglomerações, as inscrições para as novas participantes do Transcidadania serão realizadas mediante agendamento prévio de acordo com a região de moradia.

Zona Leste (11) 2032-3737

Zona Norte (11) 3951-1090

Zona Sul (11) 5523-0413

Zona Central (11) 2833-4323

Zona Oeste (11) 3832-7507

Prefeitura e Metrô abrem Posto Avançado de Apoio à Mulher 

Unidade na Estação Santa Cecília (Linha 3-Vermelha) vai acolher vítimas de violência doméstica e assédio

A partir desta quinta-feira (17/12) as mulheres vítimas de violência doméstica ganham mais uma opção para denunciar agressões e receber orientação sobre como proceder em casos de violações de direitos. A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) inicia, em parceria com o Metrô de São Paulo, as atividades do Posto Avançado de Apoio à Mulher, na Estação Santa Cecília (Linha 3 vermelha). O local está pronto para atender mulheres vítimas de violações como assédio e agressões, que podem ou não ocorrer dentro do transporte público, e também casos de violência doméstica. O espaço fica numa localização central da estação, bem diante das catracas de acesso, e conta com profissionais da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania e uma uma sala que oferece a privacidade necessária para os atendimentos.

A mulher vítima de violência, seja psicológica, física, moral ou que tenha sofrido qualquer outro tipo de agressão, será atendida por uma equipe especializada composta por assistente social e psicóloga que fará uma escuta qualificada, a orientação e possível encaminhamento à rede de enfrentamento à violência contra a mulher como a Casa da Mulher Brasileira, os Centros de Referência da Mulher (CRM) ou Centros de Cidadania da Mulher (CCM).

O atendimento funciona de segunda à sexta-feira, das 8h00 às 19h00, exceto em feriados. O objetivo da iniciativa é oferecer mais uma porta de entrada para os serviços de apoio com a vantagem de estar dentro do Metrô, o que facilita o acesso pela grande circulação diária de pessoas. “Ter um posto como este facilita o acesso das vítimas à ajuda que elas precisam e que a cidade oferece em outros equipamentos. Dependendo do caso ela pode ser encaminhada para outras unidades da rede, onde poderá fazer um Boletim de Ocorrência, obter uma medida protetiva da justiça ou até mesmo ficar abrigada se houver risco iminente”, explica a Secretária de Direitos Humanos e Cidadania Cláudia Carletto.

“Muitas vezes a mulher que está numa relação abusiva é coagida a não denunciar e tem seus passos monitorados pelo agressor, neste contexto é importante que haja um Posto de Apoio num local de fácil acesso, onde ela pode buscar ajuda no caminho ou na volta do trabalho” avalia Kátia Boulos, secretária executiva de políticas para mulheres da SMDHC.

A abertura do posto é resultado de um acordo entre Metrô e Prefeitura firmado no dia 25 de novembro, data em que se comemora o Dia Internacional de Combate à Violência Contra a Mulher. No mesmo dia, as duas instituições aderiram também à Campanha Sinal vermelho, iniciativa de combate à violência contra a mulher do Conselho Nacional de Justiça o CNJ. Por meio da Campanha, as mulheres vítimas de violência podem pedir ajuda mostrando apenas um sinal em forma de X, na cor vermelha, riscado na palma da mão. Uma alternativa não verbal de denúncia para mulheres em situação de violência que, de alguma forma, possam estar se sentindo constrangidas demais para verbalizar um pedido de ajuda.

Funcionários e Seguranças do Metrô foram treinados para identificar o sinal e tomar as medidas necessárias para colocar a vítima em segurança e, se for o caso, deter o agressor. “O Metrô é uma referência em bom serviço prestado. Vamos usar toda capacitação de nossos funcionários e a expertise que adquirimos na pioneira campanha contra o assédio sexual no transporte público, para que o Metrô seja também referência no combate à violência contra a mulher”, reforça Silvani Pereira, presidente do Metrô de São Paulo.  No âmbito do município, a Guarda Civil Metropolitana está orientada sobre as ações que devem ser adotadas ao identificar o sinal da campanha.

Serviço:

Posto Avançado de Apoio à Mulher

Local: Estação Santa Cecília do Metrô (Linha 3 Vermelha)

Inauguração: 17/12 às 15h00.

Horário de funcionamento: de segunda à sexta-feira das 8h às 19h (exceto feriados).

Programa de Combate à Obesidade: primeira cirurgia bariátrica é feita na cidade

Intervenção foi realizada em 20 de outubro. Projeto foi viabilizado pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS)

A população da cidade de São Paulo agora conta com o Programa de Combate à Obesidade, uma iniciativa da Prefeitura de São Paulo, viabilizada pela Secretaria Municipal da Saúde (SMS), que prevê a realização de cirurgias bariátricas nos hospitais municipais. A primeira intervenção foi realizada em 20 de outubro.

Serão 60 cirurgias mensais, 30 no Hospital Gilson de Cássia Marques de Carvalho, o Vila Santa Catarina, e outras 30 no Hospital Vereador José Storopolli, conhecido como Vila Sônia.

Devido ao aumento significativo de sua prevalência ao longo dos últimos anos, no Brasil e em outros países do mundo, a obesidade está longe de ser um problema apenas estético e é uma doença considerada pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e a Área Técnica de Saúde Nutricional buscam garantir a assistência universal a esses pacientes e investir na prevenção de agravos ao estado nutricional com a elaboração, planejamento, coordenação e articulação intersecretarial das políticas, diretrizes, projetos e ações de prevenção, promoção e cuidado nutricional, baseada nos princípios da Nutrição e do SUS.

Prefeitura de São Paulo moderniza 186 mil pontos de luz

Luminárias de LED foram colocadas em diferentes regiões de São Paulo. 8,6 mil novos pontos foram instalados desde agosto de 2019

A Prefeitura de São Paulo modernizou mais de 186 mil pontos de luz pela cidade e instalou 8,6 mil desde a retomada do contrato definitivo da Parceria Público-Privada (PPP) em fevereiro deste ano. Antes, a parceria havia sido retomada em formato provisório em agosto de 2019. O contrato prevê a modernização, ampliação e manutenção da rede de iluminação pública da capital. O serviço é de responsabilidade do Departamento de Gestão Municipal da Rede de Iluminação Pública (DGIP), órgão vinculado à Secretaria Municipal das Subprefeituras (SMSUB).

A modernização consiste na troca de luminárias antigas por novas de LED, pois esta tecnologia tem maior capacidade luminosa, consome menos energia e dura mais. “Um dos objetivos é aumentar a segurança em áreas públicas à noite”, disse o secretário das Subprefeituras, Alexandre Modonezi.

Nesse sentido, os locais foram inicialmente selecionados com base nos índices de criminalidade divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo (SSP/SP). “No entanto, desde fevereiro deste ano toda a cidade está recebendo a nova iluminação”, destacou o diretor-geral do DGIP, Marcos Vinicius Correa de Souza.

O DGIP e o consórcio responsável pelo contrato, Ilumina SP, estão mapeando a cidade para realização dos serviços. O prazo previsto para a conclusão dos trabalhos de modernização e ampliação é de cinco anos. O contrato com o consórcio tem duração de 20 anos. “É a maior PPP de iluminação do País”, concluiu Modonezi.

Ao todo, 186.387 pontos foram modernizados e houve a ampliação de 8.613 pontos. Confira abaixo os serviços realizados por região, de agosto de 2019 a novembro de 2020:

Zona Sul:

53.532 remodelados

2.512 ampliados

Zona Leste:

66.898 remodelados

2.866 ampliados

Zona Norte:

35.995 remodelados

1.373 ampliados

Zona Oeste:

24.485 remodelados

1.592 ampliados

Centro:

5.477 remodelados

270 ampliados

Família acolhedora: saiba como funciona este serviço da Prefeitura

Iniciativa, realizada por meio da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), proporciona acolhimento provisório à criança ou ao adolescente afastado do convívio familiar, por meio de medida protetiva

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), em parceria com as Organizações da Sociedade Civil, oferece o Família Acolhedora. O objetivo do serviço é proporcionar acolhimento provisório à criança ou ao adolescente que foi afastado do convívio familiar por meio de medida protetiva, até que seja viabilizado o retorno ao convívio com a família de origem ou, encaminhamento para adoção.

Podem se inscrever no Família Acolhedora pessoas maiores de 18 anos, sem restrição de gênero ou estado civil. As unidades regionais dos Centros de Referência Especializados da Assistência Social (CREAS) são responsáveis por acompanhar, monitorar e avaliar a evolução da execução do Família Acolhedora, oferecendo também suporte técnico às organizações parceiras e executoras do processo.

Inicialmente, o serviço é destinado às crianças de 0 a 6 anos, com o objetivo de ampliação gradativa da faixa etária para até 17 anos e 11 meses, conforme realização de planejamento e avaliação com a consolidação do serviço no município de São Paulo. De acordo com a secretária municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Berenice Giannella, o serviço está em funcionamento, inicialmente, direcionado ao encaminhamento de crianças na primeira infância, pela necessidade de cuidados individuais e afetivos que os menores precisam”, afirma.

O serviço é realizado em três unidades com capacidade de direcionar 30 crianças em cada, totalizando 90 vagas, considerando que cada família acolhedora deverá acolher  uma criança por vez, exceto quando se tratar de grupo de irmãos, quando esse número poderá ser ampliado. Todas as etapas do processo de guarda provisória ficam a critério da avaliação da equipe técnica do serviço.

Importante ressaltar que a ação está em consonância com os princípios e diretrizes do Estatuto da Criança e do Adolescente, Artigo 34, Parágrafo 1º, que determina que “a inclusão da criança ou adolescente em serviços de acolhimento familiar terá preferência a seu acolhimento institucional, observado, em qualquer caso, o caráter temporário e excepcional da medida, nos termos desta lei”, artigo incluído pela Lei 12.010, de 2009.

 Perguntas frequentes:

O que é o serviço de Família Acolhedora?

É uma medida protetiva que acolhe a criança e o adolescente afastado do convívio familiar, por motivos de abandono ou pela família de origem se encontrar temporariamente impossibilitada de oferecer cuidado e proteção.

Quem pode acolher?

Pessoas maiores de 18 anos, sem restrição de gênero ou estado civil.

Quem é acolhido?

Crianças que estejam em situação de abandono, ou cujas famílias ou responsáveis se encontram temporariamente impossibilitados de cumprir sua função de cuidado e proteção, até que seja viabilizado o retorno ao convívio com a família de origem ou, na sua impossibilidade, encaminhamento para adoção.

Qual a diferença entre acolhimento e adoção?

O acolhimento é temporário, feito por meio de um termo de guarda provisória. A adoção é permanente e não é abordada pelo Família Acolhedora.

Por que o acolhimento temporário é importante?

Estudos apontam que crianças que viveram ou vivem em instituições, em detrimento ao convívio familiar, apresentam prejuízos ou ainda limitações em seu processo de desenvolvimento principalmente quando se trata da primeira infância.

Que tipo de família pode ser uma família acolhedora?

O serviço não restringe estruturas familiares. Uma pessoa sozinha ou um casal homossexual pode ser uma família acolhedora. Também não existem restrições sobre renda familiar, desde que a família tenha possibilidade de oferecer moradia e estrutura básicas para o crescimento da criança. O fundamental é ter disposição afetiva e emocional para proporcionar um ambiente familiar à criança nos seus primeiros anos de vida.

Quanto tempo dura o acolhimento provisório?

No máximo, dois anos. Cada caso é analisado individualmente.

Quando acaba o acolhimento?

O objetivo é manter a guarda provisória da criança até seu retorno ao convívio familiar nuclear (pais adotivos) ou sua família extensa (pessoas com afinidade ou parentesco, como tios, avós enteados, primos…

Quais são os critérios para ser uma família acolhedora?

Os responsáveis pelo acolhimento devem estar com toda documentação em ordem como RG, CPF, comprovante de residência e de rendimentos; além de certidão negativa de antecedentes criminais, ;atestado de saúde física e mental.

Como é feita a seleção?

Após a avaliação dos documentos necessários, as famílias inscritas como potenciais acolhedoras passam por um estudo psicossocial, com o objetivo de identificar os aspectos subjetivos que qualificam ou não a família para sua participação. Todas as ações do serviço Família Acolhedora são estruturadas em metodologias que privilegiem a co-participação das famílias.

Quais as obrigações de uma família acolhedora?

Participar de todo o processo de habilitação. Após habilitado, propiciar à criança e ao adolescente um ambiente familiar saudável. Importante destacar que uma família acolhedora, necessariamente, deve participar ativamente das ações do serviço: entrevistas individuais e coletivas, dinâmicas de grupo, reuniões e visitas domiciliares.

Qual apoio que a família acolhedora recebe?

Apoio técnico e emocional, fundamentados no Estatuto da Criança e do Adolescente. Portanto, a família acolhedora deve dispor de tempo para participar de reuniões e dinâmicas que irão auxiliar na forma de tratamento operacional e emotivo da criança. Será concedido auxílio pecuniário à família acolhedora, a título de ajuda de custo, conforme diretrizes metodológicas e conforme a Lei 16.691 Artigo 14.

Como participar?

Os interessados em participar do Família Acolhedora devem entrar em contato com os Centros de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) do seu bairro:

 – CREAS SÉ

(República/Santa Cecília/Bom Retiro/Sé/Consolação/Bela Vista/Liberdade/Cambuci)

Endereço: Rua Bandeirantes, 55 – Bom Retiro

Telefone: (11) 2383-4480

E-mail: creasse@prefeitura.sp.gov.br

– CREAS SANTANA

(Mandaqui/Santana/Tucuruvi)

Endereço: Rua Voluntários da Pátria, 4649 – Santana

Telefone: (11) 4571-0293

E-mail: creassantana@prefeitura.sp.gov.br

– CREAS SANTO AMARO

(Santo Amaro/Campo Grande/Campo Belo)

Endereço: Rua Padre José de Anchieta, 802 – Santo Amaro

Telefone: (11) 5524-1305

E-mail: creassantoamaro@prefeitura.sp.gov.br

Programa Ambientes Verdes e Saudáveis comprova importância no enfrentamento da pandemia

Ações comunitárias de conscientização sobre o coronavírus realizadas desde março alcançaram mais de três milhões de pessoas

O Programa Ambientes Verdes e Saudáveis (PAVS) da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), se mostrou fundamental no maior desafio da saúde em 2020: o enfrentamento à pandemia da covid-19. Na apresentação do balanço dos últimos quatro anos, realizada no início do mês de dezembro de forma virtual, os gestores mostraram o apoio fundamental do programa em ações comunitárias de conscientização e prevenção ao novo coronavírus.

Para quem está conhecendo agora, o PAVS tem como objetivo fortalecer a gestão intersetorial em questões ambientais com impacto sobre a saúde da população, envolvendo a promoção de atitudes voltadas à preservação, conservação e recuperação ambiental e à promoção e proteção da saúde da população.

Há 12 anos, o Programa Ambientes Verdes e Saudáveis foi incorporado na Estratégia Saúde da Família (ESF), na Coordenação da Atenção Básica, com o intuito de estimular novas práticas no campo da Promoção da Saúde no nível local, e fortalecer a capilaridade das ações dos Agentes Comunitários de Saúde nos seus territórios.

Ações

Na reunião festiva virtual, os gestores aproveitaram para celebrar as conquistas dos últimos quatro anos de gestão da Prefeitura e fazer um balanço geral das ações realizadas.

Entre os principais avanços, destaque para a finalização do Manual para Elaboração do Diagnóstico Socioambiental PAVS; a parceria com a Sabesp no projeto Novo Rio Pinheiros, que colaborou para que o esgoto de 83.929 domicílios deixasse de ser despejado no Rio Pinheiros; e as ações comunitárias, que foram fundamentais no combate à pandemia de Covid-19.

Saiba mais sobre o PAVS

As ações comunitárias do PAVS representam um importante apoio no enfrentamento da pandemia na capital. Os agentes atuam na conscientização e medidas de prevenção, que em primeiro momento foi focada nas áreas com população mais vulnerável e agora terá também como foco os jovens e outros domicílios.

O PAVS está presente hoje em 324 unidades de saúde e possui 125 projetos em andamento. De 2017 até novembro de 2020, foram realizadas 88.265 ações coletivas ambientais, 289.790 visitas domiciliares ambientais e 270.614 ações contra o mosquito Aedes aegypti, causador da dengue. O resultado se reflete nas mais de 1,470 milhão de pessoas alcançadas.

Durante a atual gestão, mais regiões passaram a contar com agentes de promoção ambiental (APA) e gestores locais. O avanço é resultado da ação efetiva dos demais APAs, reconhecida pela Secretaria da Saúde como um fortalecedor do trabalho da Atenção Básica.

Novo modelo fará repasse de R$ 373 milhões para aquisição de uniformes e materiais escolares

Em 2021, famílias receberão o valor relativo aos kits por meio de aplicativo para facilitar a compra e aquecer o comércio local

O Prefeito Bruno Covas e o Secretário Municipal de Educação, Bruno Caetano, anunciaram nesta quarta-feira (16), em coletiva online, o Programa Auxílio Uniforme Escolar e o Programa Material Escolar, que no próximo ano letivo serão distribuídos por meio de valores creditados em um aplicativo de pagamento. Para os uniformes cada estudante receberá R$ 387 e os materiais vão até R$178.

“As famílias receberão este crédito a partir de janeiro do ano que vem, para que elas possam gastar com a aquisição do uniforme e do material escolar. Um investimento de R$ 373 milhões importante neste momento de reaquecimento da economia na ativação do comércio local, em um gasto da Prefeitura que era feito de forma centralizada”, disse o prefeito Bruno Covas.

Todos os estudantes da rede municipal de ensino terão direito ao material e cerca de 650 mil aos uniformes. Os valores poderão ser utilizados nas lojas e fornecedoras credenciadas pela Secretaria municipal de Educação (SME). Esta aquisição descentralizada dará maior poder às famílias, que vão poder utilizar a verba para adquirir os itens que realmente precisam, e assim, ter um controle melhor dos tamanhos, no caso dos uniformes.

“Esta é uma estratégia com vistas ao retorno das aulas em 2021 e tem um impacto muito relevante também para a retomada econômica de São Paulo, com a Prefeitura utilizando seu poder de compra para aquecer principalmente os pequenos empreendedores”, disse o secretário municipal de Educação, Bruno Caetano.

Se até o ano passado o kit vinha com peças pré-determinadas (cinco camisetas, uma calça, uma bermuda, cinco pares de meia, uma jaqueta, um blusão e um par de tênis) agora, cada família poderá comprar exatamente o que necessita. Outra vantagem é que o tamanho era aferido no fim do ano anterior e agora poderá ser feito no momento da aquisição.

A lista de materiais escolares será disponibilizada pela SME e divulgada aos pais pelas escolas. As famílias poderão adquirir apenas os itens que compõe a lista, até o valor disponibilizado, nos estabelecimentos cadastrados e indicados pela pasta. Assim como a lista de materiais, os valores variam de acordo com a faixa etária

Educação Infantil – Berçário I e II: R$ 33,40;

Educação Infantil – Mini-grupo I e II: R$ 79,84;

Educação Infantil – Pré-escola: R$ 122,86;

Ensino Fundamental – 1° ao 3° ano: R$ 135,96;

Ensino Fundamental – 4º ao 6° ano: R$ 178,41;

Ensino Fundamental – 7º ao 9º ano: R$ 135,65;

Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos: 122,10.

A inovação da compra via aplicativo é outra vantagem, pela praticidade às famílias e pelo controle, tanto da administradora quanto da pasta, já que as compras podem ser realizadas apenas nos fornecedores credenciados e as transações são apenas pelo aplicativo.

“Estamos diante de uma oportunidade muito especial, onde a Prefeitura passa a ser o cliente desses empreendedores. É um mercado enorme e que tem a possibilidade de movimentar a economia, especialmente nas periferias”, ressaltou a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico, Aline Cardoso.

No último sábado (12) a Instrução Normativa SME Nº 49, que dispõe do Programa Auxílio Uniforme Escolar foi publicada no Diário Oficial da Cidade, nesta terça-feira (15) a Pasta publicou a Instrução Normativa N°57, sobre os materiais escolares.

Fornecedores

A contratação da empresa do aplicativo, tanto para as famílias quanto para os fornecedores, aconteceu no dia 10 de julho. A empresa vencedora da licitação foi o Mercado Pago, que permitirá a aquisição apenas em locais credenciados, além de permitir bloqueio contra fraudes, maior transparência e praticidade na prestação de contas.

O Portal SME já possui uma página para o credenciamento de fornecedores dos uniformes, o endereço é: https://portaldeuniformes.sme.prefeitura.sp.gov.br/ . Para os materiais escolares a Pasta tem uma página com informações, como a lista de materiais para cada etapa de ensino, que pode ser consultada no: https://educacao.sme.prefeitura.sp.gov.br/coserv/material-escolar/ .

________________________________________

15/12/2020

Saiba como funciona o Programa Banco de Alimentos

Iniciativa atende centenas de entidades assistenciais, responsáveis pela distribuição gratuita de refeições e sacos de alimento não perecíveis

O Banco de Alimentos da cidade de São Paulo tem como objetivo adquirir alimentos da agricultura familiar, arrecadar alimentos provenientes das indústrias alimentícias, redes varejistas e atacadistas que estão fora dos padrões de comercialização, mas sem restrições de caráter sanitário para o consumo. Esses alimentos são doados às entidades assistenciais, previamente cadastradas no programa, contribuindo assim no combate à fome e ao desperdício de alimentos.

A equipe do Banco de Alimentos recepciona, seleciona, separa e analisa a qualidade dos produtos e os entregam às entidades assistenciais. Estas entidades se encarregam de distribuir os alimentos arrecadados à população, seja por meio de refeições prontas ou repasse direto às famílias de baixa renda. Em contrapartida, as entidades atendidas participam de atividades de capacitação e educação alimentar e nutricional.

Além das doações dos parceiros, o Banco de Alimentos recebe parte da doação arrecadada pelo Programa Municipal de Combate ao Desperdício e à Perda de Alimentos, responsável pela coleta de frutas, legumes e verduras nas feiras livres e mercados municipais da cidade que estão em boas condições de consumo, mas que seriam descartadas por não possuir valor comercial. A ação conta com a parceria de mercados e sacolões municipais, além das feiras livres espalhadas em toda a cidade.

Saiba como doar

Qualquer pessoa, física ou jurídica, empresa ou órgão público pode se tornar um doador. O Banco de Alimentos está localizado na Rua Sobral Júnior, 264 – Vila Maria / zona norte, disponível de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h.

Para mais informações, ligue nos telefones:

(11) 2207-8770,

(11) 97198-7895

Ou pelo e-mail: bancodealimentos@prefeitura.sp.gov.br

Cadastro de entidades assistenciais

Entidades interessadas no cadastro para a recepção de insumos do Banco de Alimentos devem entrar em contato pelos telefones: (11) 2207-8770, (11) 97198-7895.  O atendimento presencial é realizado no Banco de Alimentos – Rua Sobral Junior, 264, disponível de segunda à sexta-feira, das 8h às 17h.

Entre janeiro e novembro, cidade registrou 4.243 ocorrências de furto e vandalismo de semáforos

Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) trabalha 24 horas, incluindo finais de semana e feriados, mesmo em período de isolamento social, para realizar os reparos em razão de furtos e vandalismo que danificam os semáforos da cidade de São Paulo

O período de quarentena, com ruas mais vazias e menor fluxo de veículos em circulação, contribuiu para o aumento de furto de fios e atos de vandalismo nos equipamentos que controlam os semáforos em São Paulo. Um levantamento feito pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) mostra que, nos onze primeiros meses de 2020, foram registradas 4.243 ocorrências deste tipo de crime

O número representa, em média, 12 semáforos danificados por dia. Trata-se de um aumento de 134,55% em relação ao mesmo período de 2019, quando foram contabilizadas 1.809 ocorrências. Entre janeiro e novembro de 2020 foram reinstalados 370 quilômetros de fiação elétrica nos equipamentos alvos de dano ao patrimônio. É a distância aproximada entre São Paulo e a cidade de Bauru, no interior paulista.

O vandalismo de um controlador pode afetar o funcionamento de até cinco cruzamentos semaforizados numa mesma região. A área central da cidade costuma concentrar o maior número de falhas por furto ou vandalismo. Em 2020, entretanto, verifica-se um aumento significativo na região leste.

A CET mantém conversas frequentes com a Secretaria de Segurança Pública, Polícias Civil e Militar, e a GCM para a adoção de medidas que combatam esse tipo de crime tão nocivo à cidade. Para minimizar o volume das ocorrências, a CET tem feito o alteamento dos controladores semafóricos, a concretagem e soldagem das tampas das caixas de passagem da fiação bem como das janelas de inspeção das colunas semafóricas. Os danos causam prejuízos e, principalmente, colocam em risco a segurança dos pedestres e condutores

Corredores recordistas de furtos no período de janeiro a novembro de 2020

Av. Est. do Imperador

Av. Sapopemba

Av. Jacu-Pêssego/Nova Trabalhadores

Av. Inajar de Souza

  1. da Consolação

Av. do Estado

Av. São Miguel

Av. Prof. João Batista Conti

Av. Pires do Rio

Rua do Gasômetro

Av. Celso Garcia

  1. Marquês de Itu

Av. Angélica

Rua da Figueira

Números de 2019

Durante todo o ano de 2019, a CET registrou 1.969 ocorrências de furto e vandalismo de componentes semafóricos na cidade de São Paulo. Além dos equipamentos eletrônicos, foram furtados aproximadamente 176 quilômetros de cabos elétricos. Em 2018, foram 1.911 ocorrências de furto e vandalismo, durante os 12 meses do ano, totalizando 90 quilômetros de cabos elétricos além de componentes eletrônicos de energia e controle.

Prejuízos

Entre janeiro e novembro de 2020, os prejuízos causados pelas ações de vandalismo e furto de equipamentos semafóricos somaram R$ 11.551.497,12. Durante todo o ano de 2019, os prejuízos acumulados por essas ocorrências totalizaram R$ 6,1 milhões.

Cate Móvel levará atendimento ao empreendedor e ao trabalhador que busca emprego

Serviço terá programação periódica pelas regiões da cidade, com quatro vans

Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho (SMDET), lançou oficialmente nesta segunda-feira (14), uma nova etapa do Cate Móvel. Ao todo, serão quatro veículos totalmente equipados para levar aos trabalhadores e empreendedores os serviços do Cate para diferentes regiões, principalmente nos lugares mais distantes das unidades físicas do Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo. Durante o mês de dezembro, as unidades móveis estarão de segunda a sexta nas regiões leste, sul, norte e central, das 10h às 16h. Nos dias 24, 25, 31 não haverá atendimento.

“O serviço do Cate Móvel neste momento é essencial para auxiliar a população na busca por recolocação profissional e também para quem já tem um negócio ou quer abrir um e precisa se formalizar”, explica a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso. “O serviço contribuiu também para a redução da circulação de pessoas, que terão acesso aos principais serviços do Cate e com a mesma qualidade de atendimento”, completa.

Cada van, identificada com a marca do Cate, conta com dois atendentes treinados para orientar sobre formalização do MEI – Microempreendedor Individual e o cadastro para vagas de emprego. Em decorrência da pandemia pelo coronavírus o atendimento é feito com distribuição de senha, a fim de evitar aglomeração, distribuição de máscara descartável para quem não estiver utilizando o equipamento de proteção e álcool em gel. O Cate Móvel conta com acessibilidade para pessoas com deficiência.

Para ser atendido é necessário levar RG, CPF e carteira de trabalho, caso o cidadão esteja em busca de emprego. Quem não possui a carteira de trabalho, pode baixar o documento pelo aplicativo disponibilizado pelas lojas da Apple Store e da Play Store ou no site do governo federal https://servicos.mte.gov.br/. O serviço está disponível nas unidades das zonas leste, sul e norte.

Já o empreendedor tem todo o suporte da Ade Sapa, agência vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, na região central, próximo à rua 25 de Março. No local é disponibilizado a formalização do MEI; orientação à Declaração Anual Simples Nacional; alteração do CNAE; explicação sobre parcelamento da DAS; senha web; nota fiscal; consulta de CNPJ, entre outros.

 Serviço

Programação do Cate Móvel

Dias: de segunda a sexta no mês de dezembro, exceto dias 24, 25, 31

Horário: 10h às 16h

Cadastro para vagas de emprego

Zona Norte

CIC Norte: Rua Ari da Rocha Miranda, 36, Conjunto Habitacional Jova Rural

Zona Sul

CIC Sul – Rua José Manoel Camisa Nova, 100 – Jardim São Luiz

Zona Leste

CIC Leste: Rua Padre Virgílio Campelo, 150 – Encosta Norte (Itaim Paulista)

Formalização e orientação para MEI – Microempreendedor Individual

Zona Central

Praça Ragueb Chohfi – Parque Dom Pedro (final da rua 25 de março)

Prefeitura recebe doação de 50 mil máscaras faciais do Mosteiro de São Bento

Por meio de uma articulação da equipe internacional, os equipamentos doados serão destinados aos os hospitais públicos municipais e unidades básicas de saúde (UBS) da capital para o enfrentamento à pandemia na cidade

A Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou o estado de pandemia mundial por coronavírus em 11 de março. A partir desta data, São Paulo desenvolveu diversas estratégias para o enfrentamento da Covid-19 na cidade. Por meio de uma articulação da equipe internacional, na última quinta-feira (10), a Prefeitura recebeu a doação de 50 mil máscaras faciais do Mosteiro de São Bento, que serão destinadas à Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

“Por orientação do Prefeito Bruno Covas, estamos há nove meses trabalhando para minimizar os efeitos negativos da pandemia e contar com o apoio de outras instituições só reforça o espírito de união que o momento precisa para o enfrentamento da Covid-19 na cidade”, destaca o secretário de Relações Internacionais, Luiz Alvaro Salles Aguiar de Menezes.

A doação será distribuída para os hospitais públicos municipais e unidades básicas de saúde (UBS) da cidade.

Mosteiro de São Bento

Localizado no Largo São Bento, o Mosteiro de São Bento é um local histórico e religioso, que reúne a Basílica Abacial Nossa Senhora da Assunção, o Colégio de São Bento e a Faculdade de São Bento . Sua estrutura atual começou a ser construída entre 1910 e 1912, a partir do projeto criado pelo arquiteto alemão Richard Berndl (1875-1955). Entretanto, a ordem está presente na cidade de São Paulo desde 1598. Para saber mais sobre a instituição, acesse o site: www.mosteiro.org.br.

Rua Aimorés, no Bom Retiro, será interditada para estacionamento de guindaste

Via da região central será bloqueada neste sábado (20), das 7h às 10h

A Prefeitura, por meio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), vai monitorar o trânsito nas imediações da Rua Aimorés neste sábado (20), das 7h às 10h. A via da região central será bloqueada entre as ruas Ribeiro de Lima e Silva Pinto, para estacionamento de guindaste e içamento de materiais.

A Rua Carmo Cintra também permanecerá interditada no acesso da Rua José Paulino para a Rua Aimorés.

Alternativas

– Os veículos poderão seguir pela Rua José Paulino;

A Engenharia de Campo da CET vai monitorar a interdição e orientar o tráfego na região, visando manter as condições de trânsito e preservar a segurança dos usuários da via.

Para informações de trânsito, ocorrências, reclamações, remoções e sugestões, ligue, acesse o site ou baixe o aplicativo SP156. O atendimento é 24 horas por dia.

https://sp156.prefeitura.sp.gov.br/portal/servicos

Recomendações

– Respeite a sinalização;

– Se necessitar pedir informações, proceda de forma a não comprometer a fluidez do trânsito;

– Ao avistar a canalização de orientação na pista, reduza a velocidade dos veículos para maior segurança;

Covid-19

Você sabia que cuidados simples podem ser adotados na prevenção da covid-19, doença provocada pelo coronavírus? Ela inicialmente se manifesta como um resfriado comum. Por isso, os cuidados básicos de prevenção à gripe podem ser adotados como:

– Utilize lenços descartáveis e jogue-os no lixo após o uso;

 

– Cubra sempre o nariz e a boca ao tossir e espirrar, se possível, não utilizando as mãos;

– Lave as mãos frequentemente com água e sabão;

– Evite aglomerações ou locais pouco arejados;

– Evite tocar nos olhos, nariz e boca;

– Não compartilhe objetos de uso pessoal.

Dia do Prefeito Bruno Covas

10h30: inauguração da FAB LAB Vila Rubi

O prefeito Bruno Covas inaugurou na manhã desta terça-feira (15/12), a 13ª unidade da rede de laboratórios de fabricação digital FAB LAB LIVRE SP. Localizado no Centro Educacional Unificado (CEU) Vila Rubi, na região da Capela do Socorro, Zona Sul da capital.

Instalado em uma área de 165 m², o laboratório contará com equipamentos de última geração, como impressoras e scanners 3D, cortadora a laser, fresadora de precisão, entre outros.

As ferramentas permitem a criação de diversos objetos como instrumentos musicais, itens de decoração, maquetes 3D, robôs e até mesmo móveis.

Fotos no link abaixo

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/dia-do-prefeito-bruno-covas-1608049557.67

Zona Sul ganha laboratório de fabricação digital da Prefeitura

CEU Vila Rubi, na região da Capela do Socorro, recebe a 13ª unidade da rede FAB LAB LIVRE SP; laboratório vai oferecer cursos e oficinas com foco em marcenaria e programação

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia (SMIT), inaugurou nesta terça-feira (15/12), a 13ª unidade da rede de laboratórios de fabricação digital FAB LAB LIVRE SP. Localizado no Centro Educacional Unificado (CEU) Vila Rubi, na região da Capela do Socorro, Zona Sul da capital, o equipamento é o primeiro desse gênero inaugurado pela gestão Bruno Covas e deverá entrar em funcionamento em janeiro de 2021.

Instalado em uma área de 165 m², o laboratório contará com equipamentos de última geração, como impressoras e scanners 3D, cortadora a laser, fresadora de precisão, entre outros.

As ferramentas permitem a criação de diversos objetos como instrumentos musicais, itens de decoração, maquetes 3D, robôs e até mesmo móveis.

Os usuários contarão com ajuda e orientação dos técnicos do ITS Brasil – Instituto de Tecnologia Social, parceiro da Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia (SMIT), para execução de projetos e ideias.

“A cidade passa a contar com mais um espaço montado para incentivar a criatividade e o aprendizado por meio da fabricação digital. Esse, em especial, foi uma demanda da própria comunidade. Queremos ver crianças e jovens cada vez mais próximos das novas tecnologias”, diz o secretário de Inovação e Tecnologia, Juan Quirós.

Reivindicação dos jovens da região

A implementação do laboratório de fabricação digital é um pedido dos jovens da região. Lá serão oferecidos cursos e oficinas com foco em marcenaria, modelagem e programação.

O projeto é mais uma parceria da Prefeitura de São Paulo com a Câmara Municipal.

“Os jovens foram ao meu gabinete, quando eu era secretário de Inovação e Tecnologia, e solicitaram a implantação desse serviço na região, já que o mais próximo estava muito distante”, explicou o vereador Daniel Annenberg. “Levei essa demanda para o prefeito Bruno Covas e quando retornei para Câmara destinei parte das minhas emendas parlamentares para implantação do equipamento. Alinhamos com os secretários Bruno Caetano (Educação) e Juan Quirós (Inovação e Tecnologia), para que eles viabilizassem os recursos para manutenção”, disse.

Emilly Marques, 14 anos, foi uma das jovens que solicitou a implementação do equipamento. “Fizemos um abaixo assinado e conseguimos cerca de 15 mil assinaturas. Ver o nosso pedido ser atendido mostra que todos temos que exercer nosso dever como cidadão e reivindicar as coisas, o aluno tem voz”, finaliza.

Funcionamento durante a pandemia

A Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia (SMIT) retomou em outubro o atendimento na rede FAB LAB LIVRE SP. Por conta da pandemia, somente oito das doze unidades dos laboratórios públicos de fabricação digital estão abertas, conforme determinações da portaria nº 747/2020 (abaixo lista de endereço).

O uso deve ser agendado previamente pela central telefônica SP156. No momento, as atividades oferecidas são utilização de equipamentos e máquinas e a orientação de projetos.

Confira os endereços dos laboratórios abertos:

Centro Cultural da Juventude

Av. Dep. Emílio Carlos, 3641 – Limão

Centro Cultural da Penha

Largo do Rosário, 20 – Penha

Centro Cultural São Paulo

Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso

Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes

Av. Inácio Monteiro, 6900 – Cidade Tiradentes

Chácara do Jockey

Rua Santa Crescencia, 323 – Butantã

Galeria Olido

Avenida São João, 473 – Centro

São Joaquim – Guarapiranga

Rua Bacabinha, 280 – Jardim São Joaquim

Vila Itororó – Bela Vista

Rua Pedroso 238 – Bela Vista

[15/12 15:49] Thais Liberato – PMSP: regional:

Túnel Papa João Paulo II será interditado para limpeza

Ação será na quarta-feira (16) e quinta-feira (17), das 23h30 às 04h00 do dia seguinte

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), vai monitorar o trânsito nas imediações do Túnel Papa João Paulo II (Anhangabaú), que será interditado parcialmente, na quarta-feira (16) e quinta-feira (17), das 23h30 às 04h00 do dia seguinte, para serviços de varrição e lavagem a serem realizados pela Secretaria Municipal das Subprefeituras.

O túnel faz a ligação entre a Avenida Prestes Maia e as Avenidas 9 de Julho e 23 de Maio.

Sentidos, datas e horários das interdições

Sentido Aeroporto: das 23h30 de quarta-feira (16) às 04h00 de quinta-feira (17);

Sentido Santana: das 23h30 de quinta-feira (17) às 04h00 de sexta-feira (08);

A Engenharia de Campo da CET vai monitorar a interdição e orientar o tráfego na região, visando manter as condições de trânsito e preservar a segurança dos usuários da via.

Para informações de trânsito, ocorrências, reclamações, remoções e sugestões, ligue, acesse o site ou baixe o aplicativo SP156. O atendimento é 24 horas por dia.

https://sp156.prefeitura.sp.gov.br/portal/servicos

Recomendações

Respeite a sinalização;

Não estacione em locais sinalizados com cones e/ou cavaletes;

Ao avistar a canalização de orientação na pista, reduza a velocidade dos veículos para maior segurança.

Você sabia que cuidados simples podem ser adotados na prevenção do COVID-19, também conhecido como coronavírus? A doença inicialmente se manifesta como um resfriado comum. Por isso, cuidados básicos de prevenção à gripe podem ser adotados, como:

Use máscara;

Utilize lenços descartáveis e jogue-os no lixo após o uso;

Cubra sempre o nariz e a boca ao tossir e espirrar, se possível, não utilizando as mãos;

Lave as mãos frequentemente com água e sabão;

Evite aglomerações ou locais pouco arejados;

Evite tocar nos olhos, nariz e boca;

Não compartilhe objetos de uso pessoal.

Cidade bate meta de limpeza de margens de córregos para o biênio

Serviço realizado pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal das Subprefeituras, supera objetivo estipulado pelo Programa de Metas

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal das Subprefeituras (SMSUB), realizou a limpeza de 8.4 milhões de metros quadrados de área de margens de córregos neste ano, superando meta estabelecida de 2,8 milhões de metros quadrados para o biênio.

Definida no eixo de objetivos estratégicos pelo Programa de Metas da cidade de São Paulo para 2019 e 2020, a limpeza de margens de córregos ocorre durante o ano todo, como prevenção ao período de chuvas.

De janeiro a novembro deste ano, foram retirados 180 mil toneladas de detritos em 8,4 milhões de metros quadrados de margens de córregos. No mesmo período do ano passado, aproximadamente 5,8 milhões de metros quadrados foram limpos, e 55 mil toneladas de detritos retirados.

O aumento no volume de limpeza e recolhimento de detritos dos córregos se tornou possível pela contratação de mais equipes para a execução dos serviços, em comparação ao ano anterior. Enquanto em janeiro de 2019 a cidade contava com 29 equipes, em julho deste ano os contratos alcançaram 72 equipes.

Outros serviços preventivos

As ações de zeladoria e prevenção também incluem reformas e limpeza de galerias, ramais, bocas de lobo e poços de visitas. De janeiro a novembro de 2020, foram reformados 1.502 poços de visita e bocas de lobo, inclusive com troca de tampas, além da limpeza de 6.915. Foram retirados 6.339 metros cúbicos de detritos em galerias e ramais. Dos piscinões, foram coletadas mais de 200 mil toneladas de detritos em mais de 1 milhão de metros quadrados de extensão e realizou mais de 136 milhões de metros quadrados em corte de mato e grama.

Esses serviços são fundamentais para que garantam o pleno funcionamento do sistema de drenagem da cidade, melhorando o escoamento das águas e reduzindo os possíveis pontos de alagamentos e transbordamentos.

Telemedicina é realidade na rede SUS de São Paulo

Aplicativo e-saúdeSP integra dados clínicos e telemedicina e tem sido usado durante a pandemia da Covid-19

O termo telemedicina ganhou notoriedade em 2020, sobretudo com a pandemia do novo coronavírus. A tecnologia que permite ao médico chegar virtualmente até o paciente em qualquer hora, data e local, já é uma realidade na rede SUS de São Paulo.

Na estreia do podcast Saúde+ Cast da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), o médico e coordenador setorial de Urgência e Emergência do Avança Saúde, Marcelo Takano, fala sobre o avanço da telemedicina. Ele  também explica como o aplicativo e-saúdeSP, a plataforma de integração de dados clínicos e telemedicina, que reúne todo o histórico do paciente SUS na capital paulista, além de outras funcionalidades, agilizou o atendimento e o diagnóstico de pacientes com suspeita de Covid-19.

Pelo aplicativo e-SaúdeSP, disponível para dispositivos Android, iOS e em versão web, a pessoa tem acesso ao @covid, que faz o acolhimento de pacientes com suspeitas ou dúvidas sobre a doença. Nela, o usuário aponta seus sintomas e as respostas são analisadas por médicos e enfermeiros. O cidadão recebe de volta mensagem sobre a sua situação de saúde e orientações, permitindo ainda a realização de uma teleconsulta com profissional de saúde, se indicado.

Para saber mais, clique no link abaixo e escute o podcast Saúde+Cast. Ou, ainda, ouça pelo YouTube, no canal da Secretaria Municipal da Saúde.

Clique aqui e ouça o podcast Saúde+ Cast.

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/telemedicina-e-realidade-na-rede-sus-de-sao-paulo

CET altera circulação da Rua Sílvia, na Bela Vista

Via da região central passará a ter mão dupla a partir deste sábado (19)

A Prefeitura, por meio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), vai implantar mão dupla de direção na Rua Sílvia, no trecho entre as ruas Pamplona e Doutor Seng, Bela Vista, neste sábado (19). A medida tem como objetivo melhorar as condições de segurança de pedestres e de fluidez no trânsito local.

A Engenharia de Campo da CET vai monitorar e orientar o tráfego na região, com o objetivo de garantir boas condições de trânsito e preservar a segurança de pedestres e motoristas.

Para informações de trânsito, ocorrências, reclamações, remoções e sugestões, ligue, acesse o site ou baixe o aplicativo SP156. O atendimento é 24 horas por dia. https://sp156.prefeitura.sp.gov.br/portal/servicos

 Recomendações

–      Respeite a sinalização;

–      Não estacione em locais sinalizados com cones e/ou cavaletes;

–      Ao avistar a canalização de orientação na pista, reduza a velocidade dos veículos para maior segurança.

Covid-19

Você sabia que cuidados simples podem ser adotados na prevenção da covid-19, doença provocada pelo coronavírus? Ela inicialmente se manifesta como um resfriado comum. Por isso, os cuidados básicos de prevenção à gripe podem ser adotados como:

– Utilize lenços descartáveis e jogue-os no lixo após o uso;

– Cubra sempre o nariz e a boca ao tossir e espirrar, se possível, não utilizando as mãos;

– Lave as mãos frequentemente com água e sabão;

– Evite aglomerações ou locais pouco arejados;

– Evite tocar nos olhos, nariz e boca;

– Não compartilhe objetos de uso pessoal.

Novo Centro de Acolhida tem capacidade para receber 260 pessoas

No imóvel, localizado na região central, os atendidos recebem quatro refeições diárias, serviços de higiene e manutenção do dormitório

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), inaugurou neste mês mais um Centro de Acolhida Especial (CAE) para famílias em situação de rua, localizado na região central, no terreno do antigo Hotel Plaza, também chamado de Art-Palácio. O imóvel tem 70 quartos, com capacidade para atender 260 pessoas  e foi adaptado para receber as famílias.

Os núcleos familiares são compostos por mulheres e homens trans, mães solo, famílias que antes estavam acolhidas em serviços diferentes, entre outras situações. O local dispõe de suítes quádruplas, triplas ou duplas e os conviventes recebem quatro refeições diárias, serviços de higiene e manutenção do dormitório.

Ricardo Alves, acolhido pela unidade, fala como o espaço transformou a sua vida e de seus filhos. “Eu acho muito importante este centro de acolhida, porque se não tivesse este local, o que eu iria fazer com os meus quatro filhos, sem emprego, sem dinheiro? Provavelmente, iria ficar na rua”, disse.

Ricardo Roberto Pinto, também acolhido pelo CAE, fala da felicidade de ter um local para morar. “Eu estava morando na rua com minha mulher e três filhas. Conseguir esse espaço foi uma vitória, porque tirei minha família do risco, agora estamos em segurança. Posso até sair para trabalhar”.

“Neste hotel as famílias conseguem ficar unidas. As equipes do CAE irão atuar para que essas pessoas sejam inseridas na sociedade, que possam trabalhar para, futuramente, conquistar até uma casa própria”, declarou Edneide Correria da Silva, representante do Centro de Referência e Desenvolvimento Comunitário Correia (CRDC).

O atendimento social é realizado pela equipe técnica da parceria entre a SMADS e a Organização da Sociedade Civil (OSC) Centro de Referência e Desenvolvimento Comunitário Correia (CRDC). O serviço já recebeu 12 famílias no novo centro de acolhimento.

_____________________________________________

14/12/2020

Virada Cultural terá arte indígena com grafite

Artistas indígenas e não indígenas se reúnem para grafitaço no entorno da reserva Guarani no Jaraguá

Vem aí a Virada Cultural 2020. Promovida pela Prefeitura de São Paulo, a 16ª edição do evento terá mais de 500 atrações, entre 12 e 13/12, desenvolvidas de modo virtual em decorrência das necessidades de isolamento social, entre as quais, um “grafitaço”, no Jaraguá, resultado do trabalho de 12 artistas indígenas e não indígenas.

A ação nos muros e paredes em plena via pública do entorno da aldeia indígena Tekoa Pyau questiona o “apagamento” cultural, ao mesmo tempo em que pretende promover o acesso público à memória, existência e diversidade da arte indígena. Por meio da pintura, os artistas interferem na realidade da comunidade, para resgatar a sua cultura e demonstrar amparo social e acolhimento afetivo.

Do grupo de artistas, seis são indígenas, três da aldeia vizinha Tekoa Itakupe e três que não moram em aldeamento. Eles desenvolveram no ano passado um trabalho coletivo no interior da Terras Indígenas Guarani localizadas na região, junto com os demais artistas não indígenas. Nesta atividade, foram produzidos vários painéis artísticos.

A própria comunidade escolheu as áreas públicas onde serão pintados os grafites. A estimativa é a de que sejam utilizadas cerca de 200 latas de spray de cores variadas. O trabalho vai ser transmitido pelo Youtube, Facebook e Instagran, pela mídia indígena Mídia Guarani mbya. Cada mural coletivo terá 23m de comprimento por 7m de altura.

“São Paulo é o quarto município brasileiro em número de população indígena habitante. Divididas em 12 aldeias – na zona norte e zona sul da cidade – os povos indígenas fazem parte do histórico cultural da nossa capital. Incluir na Virada Cultural uma atividade com os povos indígenas é marcar na agenda o que a cultura já traz para os paulistanos: a sua integração histórica”, afirma a secretária municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Claudia Carletto..

COPIND

No dia 14 de setembro deste ano, foi criada a Coordenação dos Povos Indígenas (COPIND), vinculada à Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC). Até então, a defesa dos interesses indígenas no município estava a cargo da Coordenação de Promoção da Igualdade Racial (CPIR), também sob responsabilidade da SMDHC.

A coordenação da COPIND está a cargo do advogado Noel Villas Boas, que carrega a experiência e o legado de seu pai, o sertanista Orlando Villas Boas, morto em 12 de dezembro de 2002, e reconhecido internacionalmente como o maior indigenista do mundo, com duas indicações ao Prêmio Nobel. “Cresci entre os índios e ao lado do meu pai, eles são como uma extensão da minha família”, diz Noel.

O coordenador da COPIND falou sobre a importância da atividade do final de semana. “O Graffitaço no Jaraguá é uma forma de sinalizarmos a importância e o reconhecimento da riquíssima cultura dos Guarani de São Paulo. Preservar suas raízes, e conter a variedade dentro da unidade, define a cidade de São Paulo”.

SERVIÇO

Grafitaço no Jaraguá

Local: Av. Inácia de Toledo, do nº 161 a 675

Quando: 12 a 13/12

Horário: das 8h às 17h

O evento vai ser transmitido pela rede indígena Mídia Guarani mbya no YouTuber, Facebook e Instagram, pelo comunicador indígena Richard Wera Mirim e o YouTuber Mituo Miyake

Virada Cultural: confira como foi o segundo dia do evento

Ontem, domingo (13) atrações como o espetáculo “Omolu Atotó – Ritual de cura da cidade em 3 pontos” e os números do Circo Volante entreteram quem esteve na região central]

Coreografias, contação de histórias e cenas aéreas marcaram o segundo e último dia da 16ª edição da Virada Cultural, realizada pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cultura. Este ano, devido à pandemia do novo coronavírus, o tema do evento foi “Tudo de arte, nada de aglomeração”.

Na Ladeira da Memória, Escadaria do Bixiga e Estação da Luz foi realizada a apresentação do Coletivo Tá Dito, com o espetáculo  Omolu Atotó – Ritual de cura da cidade em 3 pontos. O número contou com dança, música e contação de histórias.

Já o projeto Circo Volante, da Companhia K, divertiu quem estava na região da Praça da Rapública com seus acrobatas, malabaristas com elementos de fogo e cenas aéreas, executadas no palco móvel puxado por uma caminhonete.

Zona Azul volta a vigorar em toda a cidade de São Paulo

Os horários de funcionamento devem ser respeitados, com a ativação do Cartão Azul Digital (CAD) de acordo com a sinalização do local, independentemente da proximidade de unidades de saúde

A Prefeitura, por meio do Departamento de Operação do Sistema Viário (DSV), informa que a Zona Azul volta a vigorar em toda a cidade de São Paulo. Desde 23 de março, a vigência Zona Azul estava suspensa em um raio de 300 metros de unidades de saúde como hospitais, ambulatórios, Unidades Básicas de Saúde (UBS), Unidades de Pronto Atendimento (UPA), Assistências Médicas Ambulatoriais (AMA) e prontos-socorros. Portaria publicada neste sábado (12), no Diário Oficial da Cidade revogou essa suspensão.

Com a medida, os horários de funcionamento da Zona Azul devem ser respeitados em todas as regiões da cidade de São Paulo, com a ativação do Cartão Azul Digital (CAD) de acordo com a sinalização do local, independentemente da proximidade de unidades de saúde.

Fase Amarela de reabertura tem mudança de horários para o fim de ano

Novas medidas para minimizar riscos de contágio da covid-19 entraram em vigor neste sábado (12)

A Fase Amarela do Plano São Paulo de reabertura terá mudanças a partir deste sábado (12) no sentido de tentar diminuir o risco de contágio pelo novo coronavírus. A cidade voltou para a Fase Amarela em 30 de novembro. As novas medidas foram anunciadas nesta sexta-feira (11) pelo Centro de Contingência da Covid-19 e valem por 30 dias prorrogáveis.

Visando minimizar as grandes concentrações de pessoas nas ruas, shoppings e estabelecimentos comerciais, ficou estabelecida a possibilidade de ampliação do horário de funcionamento do comércio de rua e dos shoppings por um período de 12 horas. Mas o horário limite para o fechamento destes espaços será às 22 horas.

Evidências apontadas por epidemiologistas do mundo todo indicam que o lazer noturno é o ambiente de maior propagação do vírus. Os jovens acabam se expondo mais e em 60% dos casos são assintomáticos. Como moram com pessoas mais velhas, acabam transmitindo a doença.

Animais idosos adotados na Cosap têm direito a cartão de saúde

Produto da guarda responsável, o benefício dá acesso a atendimento vitalício e prioritário em qualquer um dos três hospitais veterinários públicos da capital paulista

Os animais adultos e idosos que forem adotados na capital paulista ganharão mais do que um novo lar. Por meio de um cartão de saúde criado pela Coordenadoria de Saúde e Proteção ao Animal Doméstico (Cosap), os bichinhos terão direito a atendimento vitalício e prioritário em qualquer um dos três hospitais veterinários públicos de São Paulo (veja abaixo a relação das unidades).

O benefício integra o programa de guarda responsável e nasceu com o pensamento de mudar a realidade e oferecer esperança para esses animais, incentivando a adoção que costuma ser menos comum. Muitos gatos e cachorros disponíveis para adoção são adultos ou idosos, portadores de doenças crônicas ou até mesmo com alguma deficiência, causada por acidente, descuido e até maus-tratos. Sem uma patinha ou com um pedaço da orelha faltando, eles estão entre os cem animais domésticos a espera de um lar na Cosap.

Por não preencherem os requisitos que as pessoas geralmente procuram ao adotar, esses animais aguardam anos e anos para o grande dia. A única obrigatoriedade do programa é que o munícipe resida em São Paulo e que a adoção seja realizada no Centro Municipal de Adoção.

Como usar o Cartão Idoso nos hospitais veterinários

A pessoa que adotar um animalzinho idoso ou com doença crônica no Centro Municipal de Adoção receberá um cartão com os dados do animal – nome, espécie, RGA (Registro Geral do Animal) e microchip, fornecido pela Cosap.

Sem a necessidade de pegar uma senha e passar pela triagem, basta que o dono do animal entre em contato com um dos hospitais para fazer o agendamento. Com o cartão, o bichinho poderá ser atendido ao longo da vida, com prioridade, nos três hospitais veterinários públicos de São Paulo.

Terceiro Hospital Veterinário Público

Em agosto, a capital ganhou o terceiro Hospital Veterinário Público, localizado na zona Sul, na Rua Agostino Togneri, 153 – Santo Amaro. Os outros dois hospitais ficam nas zonas Leste e Norte da cidade.

Todos os hospitais oferecem serviços gratuitos de consultas, cirurgias, exames laboratoriais, medicação e internação aos animais. No total, são nove especialidades: clínica geral, oftalmologia, cardiologia, endocrinologia, neurologia, oncologia, ortopedia e odontologia.

O atendimento nos hospitais veterinários municipais é ofertado exclusivamente aos tutores de animais moradores da cidade de São Paulo e, prioritariamente aos assistidos por programas sociais como Bolsa Família, Renda Mínima, Renda Cidadã ou outro programa equivalente. Por conta da demanda, os atendimentos são realizados conforme a disponibilidade de vaga.

Os casos de urgência e emergência, estabelecidos a critério médico, são priorizados. Para ser atendido, o responsável pelo animal deve comparecer com comprovante de residência no município em seu nome, além de RG e CPF.

Serviço

Hospital Veterinário – Unidade Zona Sul (Santo Amaro)

Rua Agostino Togneri, 153, Jurubatuba, próximo à Estação Jurubatuba da CPTM

Hospital Veterinário – Unidade Zona Leste (Tatuapé)

Avenida Salim Farah Maluf, esquina com Rua Ulisses Cruz, próximo ao metrô Tatuapé

Hospital Veterinário – Unidade Zona Norte (Tucuruvi)

Avenida General Ataliba Leonel, 3.194, próximo à Estação Parada Inglesa do Metrô

SAMU recebe 16 novas ambulâncias

Veículos atuarão na periferia da cidade, para garantir mais agilidade e conforto aos pacientes e enfermeiros

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), entregou nesta segunda-feira (14), as 16 novas ambulâncias que atuarão no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). A renovação da frota do SAMU, com doação do Ministério da Saúde (MS), começou em 2017 e, até dezembro de 2020, a gestão municipal já entregou 92 novas ambulâncias.

“São ambulâncias novas, bem equipadas e que vão ser distribuídas pela periferia, garantindo mais conforto e agilidade aos pacientes e para as equipes que atuam nos veículos”, disse a enfermeira coordenadora do SAMU, Maísa Ferreira dos Santos.

Na primeira etapa, em 2017, foram 14 novas ambulâncias entregues. Em 2018, mais 18 ambulâncias; em 2019, outras 32. Em 2020, foram entregues outras 28 ambulâncias da marca Mercedes Benz, modelo 415 Sprinter, ano/modelo 2019 com motor à diesel 146 CV.  As novas viaturas entregues nessa segunda-feira serão distribuídas entre as seis regiões da cidade, sendo: três para Leste, três para a Sudeste, três para a Sul, três para a Oeste, três para a região Norte e uma para o Centro. Em 2021, a cidade receberá mais 30 novas ambulâncias.

Para a compra das 16 novas ambulâncias foi feito um aporte de mais de R$ R$ 2 milhões pelo MS – para cada viatura foram investidos R$ 172.700,00. Cada ambulância está equipada para o atendimento de Suporte Básico de Vida, sendo tripulada por dois componentes, dos quais um é condutor e o outro técnico/auxiliar de enfermagem.

Atualmente, o órgão conta com 122 ambulâncias habilitadas. Destas, 107 são de Suporte Básico de Vida, em que são realizados atendimentos menos complexos que o Suporte Avançado, considerado uma UTI móvel. O Suporte Básico de Vida constitui uma sequência de etapas do socorro à vítima em situação iminente de risco à vida, sendo que geralmente seu atendimento é realizado fora do ambiente hospitalar, sem a realização de manobras invasivas. O objetivo principal é não agravar lesões já existentes ou gerar novas lesões. Outras 15 viaturas são de Suporte Avançado de Vida. Hoje, 75,4% da frota está renovada. A meta da administração é renovar o total de 122 ambulâncias.

O SAMU ainda conta com 36 Motolâncias URAMs. Esses recursos estão distribuídos nas 83 Bases descentralizadas nas 6 Coordenadorias Regionais de Saúde do município de São Paulo. O Serviço conta também com uma Central de Operação 192, além da sede administrativa.

A Secretaria Municipal da Saúde é responsável por toda a administração do SAMU, que, em 2020, demandou recurso orçado de R$91,3 milhões, incluindo repasse federal.

Em 2020, o SAMU recebeu 1.085.126 mil ligações, uma média de 3.200 ligações por dia, com 177 mil atendimentos concluídos. As ocorrências mais atendidas pelo órgão são: pessoa enferma com diagnóstico específico, inconsciente/desmaio, problemas respiratórios, convulsões e quedas. Até novembro de 2020, a ocorrência mais atendida pelo SAMU neste ano foi a de problemas respiratórios.

Durante a pandemia do novo coronavírus, o SAMU teve um importante papel no atendimento dos casos suspeitos e confirmados. De março até o dia 11 de dezembro, o SAMU realizou 12.152 atendimentos em toda a cidade de São Paulo. Foi implementado um protocolo para Pandemia/Epidemia, e criado um fluxo para controle de entrada dos chamados da doença.

O SAMU manteve os atendimentos, intensificando as medidas de paramentação e desparamentação, desinfecção das ambulâncias, e cuidados no manejo dos pacientes. Foram criados protocolos específicos, treinados e orientados os profissionais, a fim de prevenir contágio. Além disso, as ambulâncias contam com kits específicos desenvolvidos para uso em transferências e óbitos dos pacientes. Uma ambulância e uma maca foram adaptadas para transferência dos pacientes com Covid-19. Durante a pandemia, o SAMU contratou 4 equipes para emitir declarações de óbito em domicílio. De abril a julho, foram realizados 1.966 atendimentos, sendo emitidas 1.219 declarações de óbito.

O SAMU também melhorou o tempo médio de resposta para os atendimentos. Nas prioridades menos graves, em comparação com 2018, houve uma redução média de 35% no tempo de atendimento. No caso da prioridade Alfa, reduziu-se em aproximadamente 1 hora o tempo de atendimento. Nas prioridades mais graves, Delta e Echo, reduziu-se o tempo resposta em 20 e 26% respectivamente.

Em outubro de 2020, a Central de Regulação do SAMU, que recebe todos os telefonemas do 192, mudou de endereço para um prédio próximo à Central antiga e passou por uma ampla reforma, mantendo hoje espaços mais amplos e modernos, resultando em melhores condições de trabalho aos funcionários. Foram investidos R$ 1,8 milhão (parcelado em 60 vezes), sendo o custeio mensal do imóvel de R$ 78,1 mil (R$ 48 mil de aluguel e R$ 30,1 mil da parcela do investimento).

O SAMU de São Paulo possui atualmente 1.369 funcionários. Destes, 349 foram contratados neste ano 2020 – entre eles, médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e condutores. Os médicos e enfermeiros estão divididos entre intervencionistas, que trabalham diretamente nas ambulâncias, e médicos reguladores, responsáveis por classificarem as ocorrências de acordo com a prioridade clínica do caso.

A Central também realiza outros tipos de atendimento, entre eles: transferências específicas para obesos mórbidos (serviço iniciado em junho de 2020 e que, até novembro, contou com 29 atendimentos); transferências específicas para Covid-19 (serviço iniciado em abril de 2020 e que, até novembro, contou com 225 atendimentos); transferências específicas de UTI Neonatal (nove atendimentos até novembro de 2020) e apoio à comitivas presidenciais e a ações judiciais (14 atendimentos realizados no período de junho a novembro deste ano).

Theatro Municipal recebe a Noite de Gala do Circo

O espetáculo Facunda, uma opereta tropicalista, fala do feminino e suas diversidades

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, promove, nos dias 15 e 16 de dezembro, às 20h, no Theatro Municipal de São Paulo, a Noite de Gala do Circo, com duas apresentações do espetáculo Facunda. O evento celebra o “Dia do Palhaço”, comemorado anualmente em 10 de dezembro. Com direção de Lu Lopes (Palhaça Rubra) e Monica Alla (Grupo Ares), a edição deste ano fala do feminino.

Facunda fala das mulheres e suas diversidades. Aborda a capacidade criadora do circo como superpotência humana, realizando obras inspiradoras e fundamentais para a sociedade. Parte do processo criativo do espetáculo está inspirado em mulheres ativas e obras de artistas femininas universais, que provocam rupturas de padrões e apresentam novas perspectivas práticas para nossas gerações.

As cenas performáticas serão fruto da integração de técnicas de circo, dança, vídeo arte, música ao vivo, teatro físico e comicidade, provocando reflexões.

Sinopse

Multiplicar-se! A mulher se multiplica quando recebe estímulos diversos em si, deixando que circule no próprio organismo, integrando todas as potências e se deixando reverberar para criar com todos os corpos, obras de arte vivas e de magnitude conectora com a própria existência.

RECEBER… GERAR… ENTREGAR… É um ciclo criativo trivial da mulher. Dimensões complexas atravessam o coração feminino em meio ao cotidiano e a um sistema cartesiano criado pela humanidade. Por isso as mulheres que se lançam para um cotidiano poético fazem de suas vidas uma obra ativa e encantadora. Estas mulheres sustentam em si uma dimensão selvagem, unindo instinto e intuição pela via amorosa. Mulheres ímpares integram o masculino e feminino para brincar em pares que também se integram num movimento de soma e potência.

Ficha técnica 

Criação E Concepção – Lu Lopes e Monica Alla

Direção Geral – Lu Lopes

Direção Circense – Monica Alla

Coreógrafo – Weidy San

Iluminação – Gita Govinda

Video Arte – Lu Lopes e Veridiana Ravizza

Direção Técnica – André Fratelli

Cenário E Figurino – Lu Lopes e Monica Alla

Coordenação De Produção – Cristiani Zonzini

Produção Executiva – Alê Ravizza

Assistente De Direção – Carolina Capelatto

ELENCO:

Barbara Francesquini – bambolê

Caroline Querobim – malabares

Dinny – Ilusionista

Gabi Germano– aéreo e bailarina acrobática

Tainá Ferroldi – contorcionista

Lala Telles – Aéreo e bailarina e multicordes

Mainá Yamachi – força capilar

Maíra Campos – Aramista e multicordes

Nay Bail– aéreo e bailarina acrobática

Priscila Menucci – Streap Tease

Tánia Oliveira – parada de mão

Thália Bombinha – Drag Queen

BANDA:

Camila Lordy – Piano e voz

Lu Lopes – Voz e berimbau

Priscila Hilário – Piano e percussão

PARTICIPAÇÕES ESPECIAIS EM VÍDEO:

Elza Wolf – Malabarista

Silvia Leblon – Palhaça

SERVIÇO:

Theatro Municipal de São Paulo

Praça Ramos de Azevedo s/n – República

Dias 15 e 16 de dezembro de 2020

Terça e quarta – 20h

Virada Cultural realizou mais de 500 atividades na cidade

Evento, realizado sábado (12) e domingo (13), teve como mote “Tudo de arte. nada de aglomeração”

Pensada para estabelecer uma relação de afeto e pertencimento entre a população e a cidade, a Virada Cultura chegou, neste final de semana, à sua 16ª edição, com o mote “Tudo de arte, nada de Aglomeração”. A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, realizou, em dois dias, mais de 500 atrações, entre atividades on-line e intervenções urbanas, distribuídas por todas as regiões de São Paulo, sem aglomeração de público, e pelo mundo, com transmissão virtual.

Este ano a Virada Cultural foi bem diferente dos anos anteriores, onde a população lotava as ruas e equipamentos públicos por toda a cidade. Mas essa mudança não fez com que o maior evento cultural do País fosse menos potente e emocionante. Após um ano tão difícil e apesar da cidade continuar em quarentena por conta da pandemia de covid-19, arte e a cultura deram alma e esperança às pessoas.

Mostrando que São Paulo continua ativa, com a cultura presente em todos os lugares, movimentando a geração de trabalho e renda do setor. Foram 3.411 pessoas contratadas, entre artistas, técnicos e fornecedores, inspirando e oxigenando o público com a excelência artística de nossas atrações, sem aglomerações e com toda a segurança que a ocasião exige.

Além das intervenções híbridas e móveis nas ruas e de apresentações na Internet, a Virada esteve presente em seis teatros, nove centros culturais, 18 casas de cultura e 22 bibliotecas espalhadas por todas as regiões da cidade. O evento, que teve um investimento de R$ 6 milhões, celebra a pluralidade nas mais diversas linguagens artísticas para todas as idades em: Artes Visuais, Circo, Dança, Literatura, Moda, Música, Performance e Teatro, com programação interativa e rodas de conversa e debates.

A abertura da Virada Cultural 2020 foi, com certeza, um dos momentos mais emocionantes de todo o evento, com o 2 Quilômetros de Gratidão, uma homenagem aos profissionais de saúde da cidade, que se sacrificam todos os dias cuidando da população. A ação contou com mais de 500 profissionais entre músicos, cantores, circenses, produtores e técnicos que se espalharam ao longo de seis quadras da Avenida Paulista para, ao som das “Bachianas nº 5” e “Trenzinho Caipira” do compositor Heitor Villa Lobos, aplaudir e agradecer a esses profissionais. Com direção de Nelson Baskerville, um grande flash mob tomou conta de um dos maiores símbolos de São Paulo.

Essa edição da Virada foi realmente única. E, embora não seja possível comparar números com anos anteriores, contou com uma enorme aceitação de público, muito pela colaboração de toda imprensa que ajudou na divulgação do evento, cumprindo assim seu objetivo maior, estabelecer uma relação de afeto e pertencimento entre a população e a cidade e levar arte e cultura gratuita para a para todos.

Três escolas municipais são premiadas no Desafio Criativos da Escola 2020

Projetos transformadores das EMEFs Paulo Duarte, Professora Áurea Ribeiro Xavier Lopes e Henrique Souza Filho receberão prêmio de 2 mil reais

Três escolas municipais da cidade de São Paulo ficaram entre as 50 premiadas na 6ª edição do Desafio Criativos da Escola.  Mesmo em meio à pandemia da covid-19, estudantes e professores toparam participar da Jornada Criativa para o desenvolvimento de planos de ação transformadores, tiveram bons resultados e agora receberão o prêmio de 2 mil reais para que possam coloca-los em prática.

Todas as unidades escolares vencedoras estão situadas na região Leste de São Paulo. Duas escolheram trabalhar com a temática da Qualidade de Vida. Foram a Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Professora Áurea Ribeiro Xavier Lopes, no bairro Parque São Lucas, que desenvolveu o projeto “Sonhe, acredite e realize!” e a EMEF Henrique Souza Filho “Henfil”, da Cidade Tiradentes, com plano “Redução de Desigualdade”. Já os estudantes da EMEF Paulo Duarte, em Sapopemba, escolheram a categoria Igualdade e desenvolveram o projeto “Vozes Femininas: Não se cale!”.

Os planos de ação premiados que têm como principais objetivos a melhoria das relações interpessoais, do bem-estar da comunidade e da saúde mental, promovendo práticas de cuidado e autoestima. Além do prêmio, os estudantes e educadores selecionados se tornarão embaixadores e embaixadoras do Criativos da Escola.

A cerimônia de divulgação dos vencedores foi transmitida pelo canal YouTube da Criativos da Escola na tarde do dia 10 de dezembro. É possível assistir a íntegra do evento de premiação CRIAR NA ESCOLA: QUE MUNDOS SONHAM OS ESTUDANTES?.

 Confira a proposta de cada projeto

Grupo Vozes Femininas – Não se cale! – EMEF Paulo Duarte

O projeto “Vozes Femininas – Não se cale” é uma campanha de combate à violência contra as mulheres nas redes sociais. Através da elaboração de conteúdos digitais busca-se chamar a atenção para os tipos de violência, a fim de debater e conscientizar.

Educadoras responsáveis: Aline Antochiw Amaral e Letícia Ribas Finatti

Grupo Redução de desigualdades – EMEF HENRIQUE SOUZA FILHO – HENFIL

A partir do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável (ODS) 10, foi desenvolvido um projeto para alcançar os moradores mais frágeis da redondeza da escola. Lá, parte da população se sente vítima de discriminação devido sua classe social e raça.

Educadores responsáveis: Bruno de Souza Rodrigues Ferreira e Lucia Maria do Valle

Grupo Sonhe, acredite e realize! – EMEF Professora Áurea Ribeiro Xavier Lopes

O Projeto Sonhe, acredite e realize! tem o objetivo de conscientizar um maior número de pessoas sobre o que é depressão e ampliar a rede de apoio, por meio de redes sociais e outras ações off-line.

Educadora responsável: Carina Jakitas Fonseca

Sobrre o  Desafio Criativos da Escola

A iniciativa faz parte do Design for Change, movimento global que surgiu na Índia e está presente em 65 países. O desafio encoraja crianças e jovens a transformarem suas realidades, reconhecendo-os como protagonistas de suas próprias histórias de mudança. O protagonismo, a empatia, a criatividade e o trabalho em equipe são os pilares centrais deste projeto que busca envolver e estimular educandos e educadores de diferentes áreas no engajamento e na atuação em suas comunidades.

Saiba mais sobre a 6ª edição do Criativo da Escola

Terminais da SPTrans recebem unidade móvel LGBTI no mês de dezembro

A iniciativa não interfere na operação das linhas nos terminais

A Prefeitura de São Paulo, por meio da SPTrans, informa que a unidade móvel LGBTI (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis, Transexuais e Intersexuais), pertencente ao Centro de Cidadania LGBTI da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, realizará atendimento nos  terminais Pirituba, Casa Verde, Jardim Britânia e Vila Nova Cachoeirinha entre os dias 15 e 29 de dezembro.

A iniciativa não interfere na operação das linhas nos terminais.

O atendimento aos passageiros é gratuito. A ação conta com dois articuladores sociais para prestação de serviços como assistência social, assessoria psicológica e jurídica.

Confira os dias e locais:

Dias 15 e 28  – das 11 às 16h

Term. Pirituba – Avenida Doutor Felipe Pinel, 60 – Pirituba

Dias 18 e 29 – das 11 às 16h

Term. Casa Verde – Rua Baía Formosa, 80 – Casa Verde

Dia 21 – das 11h às 16h

Term. Jardim Britânia – Avenida Pierre Renoir, 95, Jardim Britânia

Dia 22 – das 11 às 16h

Term. Vila Nova Cachoeirinha – Avenida Inajar de Souza –  Cachoeirinha

 

Capital inicia retestagem em pacientes que já tiveram covid-19

Pesquisa inédita será realizada pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, para verificar se as pessoas ainda possuem os anticorpos contra o novo coronavírus

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, inicia nesta segunda-feira (14) a Avaliação de Sororreversão, ou seja, a retestagem em pessoas que já testaram positivo para o coronavírus. Trata-se de uma iniciativa inédita.

A pesquisa visa mostrar se as pessoas que testaram positivo anteriormente continuam com a presença de anticorpos. Este estudo analisa a ação do vírus no organismo, índices de imunidade e até a reincidência.

No total, 1.097 pessoas que tiveram os resultados positivos nas fases 0, 2, 4 e 6 do inquérito sorológico passarão por novos testes para avaliar se houve perda de anticorpos. A ação se estende até 17 de dezembro.

Como nos inquéritos sorológicos anteriores, a seleção é feita por sorteio e participarão pessoas com mais de 18 anos que testaram positivo nos estudos realizados entre os meses de junho e setembro.

Projeto FLOReCIDADE revitaliza com paisagismo grandes vias na cidade

Ações incluem plantio de mudas de plantas e reforma de calçadas danificadas nos trechos contemplados

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal das Subprefeituras (SMSUB), já revitalizou mais de 462 mil metros quadrados de 120 praças, canteiros centrais e remanescentes em grandes vias da capital com o projeto FLOReCIDADE. Os trechos contemplados receberam a readequação de mais de 28 mil metros quadrados de calçadas.

Desde o início dos trabalhos, em junho de 2019, já foram plantadas 744 mil mudas de plantas. As espécies selecionadas são mais resistentes às condições externas, como gramas amendoim e esmeralda, e arbustos, como azaléias, dracenas, moréias e costelas de adão.

O projeto utiliza o paisagismo para planejar um novo desenho da área urbana, com etapas de correção do solo, adubação, plantio de mudas, despraguejamento e poda de árvores”, disse Caroline Rodrigues, que coordena o FLOReCIDADE na Secretaria das Subprefeituras.

Ao reorganizar canteiros e praças, o projeto difere e complementa os serviços diários realizados pelas 32 Subprefeituras, que atuam para manter e conservar praças e áreas verdes com corte de grama, roçada e poda de árvores.

Já foram contempladas pelas ações de paisagismo as avenidas dos Bandeirantes, General Ataliba Leonel, Luiz Dumont Villares, Radial Leste, e Professor Luiz Ignácio Anhaia Mello.

Também recebem cuidados regularmente o canteiro central da avenida 23 de Maio, além das avenidas Salim Farah Maluf, República do Líbano, Praça Sebastião Jayme Pinto e Praça Felisberto Fernandes.

No momento, o FLOReCIDADE executa obras na região da avenida Jabaquara. Serão revitalizados quase 29 mil metros quadrados, nos trechos:

– Avenida Jabaquara: entre a avenida Piassanguaba e Rua Domingos de Moraes

– Rua Domingos de Moraes: entre avenida Jabaquara e a rua Vergueiro

– Rua Vergueiro: entre rua Domingos de Moraes e avenida Bernardino de Campos

– Avenida Bernardino de Campos: entre rua Vergueiro e Praça Oswaldo Cruz

Prefeitura dobra o número de vagas de programa que garante cidadania a trans e travestis

Os interessados devem fazer sua inscrição entre os dias 14 e 18 de dezembro em um dos Centros de Cidadania LGBTI, por meio de agendamento telefônico, de acordo com sua região de domicílio

O programa Transcidadania, iniciativa da Prefeitura  para o empoderamento e resgate da cidadania de pessoas trans e travestis em situação de vulnerabilidade social, dobrou o número de vagas em dezembro, passando de 240 para 510, um aumento de mais de 100%.  Para ter acesso ao programa, a pessoa trans ou travesti em situação de vulnerabilidade deve fazer sua inscrição entre os dias 14 e 18 de dezembro em um dos Centros de Cidadania LGBTI, por meio de agendamento telefônico, de acordo com sua região de domicílio (contatos abaixo). Na data marcada, deve levar RG, CPF, carteira de trabalho e comprovante de endereço.

Além dos documentos, a admissão no programa tem pré-requisitos como não ter completado o ensino médio, estar estudando ou ter matrícula feita para o próximo ano letivo e estar sem emprego e/ou não ter trabalhado formalmente nos últimos quatro meses.

O programa, que tem foco na progressão escolar e qualificação, disponibiliza uma bolsa mensal no valor de R$ 1.097,25 para participantes, por seis horas de atividades diárias. Em 2017, o Transcidadania passou por uma descentralização com objetivo de levar o programa para as periferias. Com a ampliação, a prefeitura reforça o compromisso com a garantia dos direitos dessa população vulnerável, facilitando o acesso ao mercado de trabalho.

“Temos diversos exemplos de transformação de vida e de ressocialização de pessoas que passaram pelo Transcidadania. Histórias que embasam nossas ações e nos motivam a criar cada vez mais oportunidades neste programa que, de fato, resgata vidas em situação de extrema vulnerabilidade e que convivem diariamente com o descaso e até mesmo com a violência. Dobrar o número de vagas vai permitir que o programa tenha um impacto social ainda maior”, afirma a secretária municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Claudia Carletto.

A iniciativa de aumentar o número de vagas é resultado de uma parceria entre a Secretaria Municipal Desenvolvimento Econômico e Trabalho e a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, para atender uma necessidade da população trans, que historicamente é excluída da sociedade, da escola, da família e consequentemente levada à informalidade, tendo que recorrer muitas vezes à prostituição como forma de gerar renda.

“O Transcidadania é um programa que nos dá muito orgulho porque apoia, qualifica, dá autonomia financeira e empodera um público que por muito tempo tinha pouca ou nenhuma opção de ser protagonista na sociedade. Com essa iniciativa conseguimos engajar muitas empresas no tema da diversidade, ampliando os horizontes dessa população com a inserção no mercado de trabalho e mostrando para as empresas e as pessoas trans e travestis que não há mais espaço para preconceito no mercado de trabalho”, destaca a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso.

Saiba mais sobre o Transcidadania

O Programa Transcidadania tem como proposta fortalecer as atividades de inclusão profissional, reintegração social e resgate da cidadania para a população de travestis, mulheres transexuais e homens trans em situação de vulnerabilidade, atendidas pelo Centro de Cidadania LGBTI, equipamento gerido pela Coordenação de Políticas para LGBTI da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania.

O programa oferece condições de autonomia financeira, por meio da transferência de renda condicionada à execução de atividades relacionadas à conclusão da escolaridade básica, preparação para o mundo do trabalho e formação profissional e cidadã.

Outro objetivo é o aperfeiçoamento institucional, referente à preparação de serviços e equipamentos públicos para atendimento qualificado e humanizado.

Cada beneficiário recebe acompanhamento psicológico, jurídico, social e pedagógico durante os dois anos de permanência no programa. O Transcidadania é norteado por três eixos de atuação: autonomia, cidadania e oportunidades.

Serviço

Devido à pandemia e com intuito de não promover aglomerações, as inscrições para as novas participantes do Transcidadania serão realizadas mediante agendamento prévio de acordo com a região de moradia.

Zona Leste (11) 2032-3737

Zona Norte (11) 3951-1090

Zona Sul (11) 5523-0413

Zona Central (11) 2833-4323

Zona Oeste (11) 3832-7507

Área do comércio oferta mais de 200 vagas no Cate

Nesta semana as oportunidades estão distribuídas em lojas e supermercados da capital, entre os mais de 500 postos disponíveis em todos os setores

O comércio da capital, neste período próximo das festividades de fim ano,  é uma oportunidade de recolocação profissional para quem busca emprego. Nesta semana o Cate – Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo da Prefeitura está com mais de 500 vagas abertas, com pelo menos metade dedicadas ao setor. O processo seletivo conta com a primeira fase on-line, bastando se inscrever até as 18h do dia 16 pelo site www.bit.ly/vagasnocate. O candidato que atender ao perfil exigido, será convocado pela equipe do Cate para demais etapas do processo seletivo, com dia e horário agendados para evitar aglomeração nas unidades., em decorrência da pandemia pelo coronavírus.

“Mesmo em um ano com tantos sobressaltos na economia diante da crise sanitária, o comércio tem buscado soluções para manter as vendas e ampliar os quadros profissionais. É também a porta de entrada para muitas pessoas que se descobrem com habilidades para lidar com o público, sendo uma oportunidade para quem está começando na vida profissional ou mudando de área”, avalia a secretária municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso.

As ocupações de repositor e estoquista de mercadorias contam com 168 vagas, com salários que variam entre R$ 1.250 e R$ 1.555. As oportunidades são efetivas e temporárias, exigindo dos candidatos escolaridade entre fundamental e médio. Algumas empresas oferecem treinamento, não requerendo experiência prévia. A maior concentração das vagas está nas zonas Sul, Oeste e Leste.

Para vendedor estão disponíveis 30 oportunidades – ganhos entre R$ 1.100 e R$ 2.000. Os interessados precisam ter conhecimento de técnicas de venda, com pelo menos três meses de atuação. O ensino médio deverá ser comprovado durante o processo de contratação.

O setor do comércio oferece ainda no Cate oportunidades como operador de caixa e atendentes em supermercados em setores como hortifruti e de frios, que exigem experiência e facilidade para atuar com o público. Os rendimentos chegam a R$ 1.442 com oportunidades no bairro do Campo Belo, na Zona Sul.

Na construção civil, os trabalhadores encontram 135 vagas em cargos como carpinteiro, pedreiro, serralheiro, motorista de caminhão basculante, mestre de obras, eletricista, encanador e engenheiro civil, entre outros. Os salários vão de R$ 1.200 a R$ 2.544, sendo exigido experiência na maioria das atividades. Já a formação varia entre o fundamental e o superior em andamento, com algumas ocupações sendo solicitado conhecimento técnico.

Inscrições para a área da saúde encerram nesta terça-feira (15)

O Cate – Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo recebe até terça-feira (15), às 18h, inscrições para 319 vagas temporárias para o setor da saúde. As oportunidades são em áreas técnicas como da enfermagem (enfermeiros e técnicos), fisioterapia e da fonoaudiologia. As oportunidades são para um hospital da Zona Norte, preferencialmente para profissionais que residem na região.

Os salários variam entre R$ 2.911 e R$ 7.459 e será exigida a formação acadêmica completa, experiência na área e para algumas atividades especialização em Unidade de Terapia Intensiva. As inscrições ocorrem pelo site www.bit.ly/vagasnocate. A equipe do Cate fará a pré-seleção para convocar os candidatos que possuírem perfis que se encaixarem nas exigências da empresa e que estejam com disponibilidade para desenvolver as atividades por até 90 dias.

Covid 19: Dia D mobiliza 3 mil agentes de saúde em ação comunitária de combate

Na última sexta-feira (11) e sábado (12) foram realizadas intensas atividades para reforçar as recomendações sobre medidas de proteção individual e coletiva

Na sexta-feira (11) e no sábado (12), 3 mil agentes da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), saíram às ruas em uma grande ação comunitária para reforçar as orientações sobre o combate à covid-19. Em dois dias, foram pelo menos 1.500 atividades para insistir nas medidas de proteção individual e coletiva, como distanciamento social, uso da máscara de forma correta e do risco de aglomerações. O Dia D também lembrou a importância da higienização das mãos com água e sabão e/ou álcool em gel 70%.

Outra recomendação da equipe da SMS à população foi sobre as festas e confraternizações de final de ano. A orientação é para evitar eventos com grande número de pessoas. Aglomerações, encontros e reuniões familiares são desaconselhados, a não ser aqueles em que as pessoas residam na mesma casa.

Ao longo da semana, haverá ações no trânsito em conjunto com a Secretaria Municipal de Transportes, CET, GCM e CPTRAN, sempre entre 7h e 9h. Nesta segunda-feira (14), as equipes atuaram no Centro, na esquina das ruas 25 de Março e Ladeira Porto Geral. Terça-feira (15) as ações serão na Zona Oeste (esquina das ruas Ângelo Aparecido dos Santos Dias e João de Lorenzo).

Na quarta-feira (16), as atividades serão na região Sudeste, na Avenida Conde de Frontin, no cruzamento com a Radial Leste. Quinta-feira (17) será a vez da Zona Leste receber as ações, no cruzamento das avenidas Sapopemba e Rodolfo Pirani. Fechando a semana, na sexta-feira (18) os agentes estarão na zona norte, na esquina da Avenida Guapira com a Rua Benjamim Pereira, no Jaçanã.

DIA D

As atividades da sexta-feira e do sábado aconteceram nas 468 Unidades Básicas de Saúde de São Paulo, em locais com alto fluxo de pessoas como shoppings, comércio de rua, bares, restaurantes, academias, parques públicos, estações do metrô e trem, terminais de ônibus, locais de vulnerabilidade social, entre outros.

Foram mobilizados pelo menos 3 mil profissionais, entre agentes da Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa), colaboradores da Atenção Básica, agentes comunitários de saúde (ACS), agentes de promoção ambiental (APA), agentes de zoonoses, enfermeiros, farmacêuticos, nutricionistas, profissionais de Educação Física, assistentes sociais, cirurgiões dentistas, técnicos de enfermagem, administrativos, gerentes de UBS, entre outros.

Para impactar o maior número possível de pessoas, a SMS escolheu atuar também nas saídas das rodovias Anchieta, Dutra, Bandeirantes, Raposo Tavares e Anhanguera e em grandes vias urbanas da capital, como a estrada do M’Boi Mirim e as avenidas Duque de Caxias, Inajar de Souza, Salim Farah Maluf, Sapopemba, Juntas Provisórias, Aricanduva, Água Espraiada, Cupecê e Vital Brasil e em todas as saídas e entradas da Avenida 23 de maio.

Locais com intenso fluxo de comércio de rua, como o Largo 13 de Maio, a Rua 25 de março e ruas do Brás, Pari, além de mercados municipais, feiras livres e ruas badaladas de frequência noturna também fizeram parte da estratégia de mobilização dos agentes. Para chamar a atenção do público, foram usados faixas e megafones, além da distribuição de máscaras e amostras de álcool em gel.

As ações comunitárias com foco na orientação e prevenção da covid-19 começaram em abril. Até o momento foram realizadas 24.503 ações de prevenção e promoção da saúde junto às comunidades, que atingiram mais de 3 milhões de pessoas na cidade. A pandemia não acabou e a participação da sociedade na prevenção é fundamental.

Portal Transparência Covid-19 leva São Paulo a reconhecimento internacional

São Paulo foi eleita uma das cidades mais transparentes do mundo com relação à divulgação de informações sobre a pandemia pelo novo coronavírus

São Paulo foi eleita uma das cidades mais transparentes do mundo com relação à divulgação de informações sobre a pandemia pelo novo coronavírus, segundo a Transparência Internacional, uma Organização Não Governamental que observa como as administrações públicas de todo o mundo abrem seus dados para a população, no combate à corrupção.

A cidade, a partir da experiência positiva com a plataforma Transparência Covid-19, recebe a avaliação como ótima no quesito, e se aproxima às primeiras do ranking. Saiba mais no episódio do Aproveite São Paulo.

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/portal-transparencia-covid-19-leva-sao-paulo-a-reconhecimento-internacional

_________________________________________

11/12/2020

Boletim diário covid-19 no município de São Paulo

Até esta quinta-feira (10), 630.951 pessoas receberam alta após passar pelos hospitais de campanha, da rede municipal, contratualizados e pela Atenção Básica

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), atualiza nesta quinta-feira (10), boletim informativo sobre a situação do novo coronavírus na capital paulista nos hospitais da rede municipal e de campanha, contratualizados e Atenção Básica.

Acesse aqui o Boletim Diário – COVID-19 no Município de São Paulo de 10 de dezembro de 2020.

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/boletim-diario-covid-19-no-municipio-de-sao-paulo-1607643859.11

Hotel no centro da cidade passa a ser unidade de acolhimento para famílias em situação de rua

Assistência social cria mais 260 vagas para famílias vulneráveis na capital

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), inaugura nesta sexta-feira (11) mais um Centro de Acolhida Especial (CAE) para Famílias em situação de rua, localizado na região central da cidade. O imóvel tem 70 quartos com capacidade para atender 260 pessoas e foi adaptado para receber as famílias.

O atendimento social é realizado pela equipe técnica da parceria entre a SMADS e a Organização da Sociedade Civil (OSC) Centro de Referência e Desenvolvimento Comunitário Correia (CRDC). O serviço já recebeu 12 famílias no novo centro de acolhimento.

Os núcleos familiares são compostos por mulheres e homens trans, mães solo, famílias que antes estavam acolhidas em serviços diferentes, entre outras situações. O local dispõe de suítes quádruplas, triplas ou duplas e os conviventes recebem quatro refeições diárias, serviços de higiene e manutenção do dormitório. Os recursos de reforma e os móveis foram repasses da Secretaria.

Desde a situação de emergência decretada no município em decorrência da pandemia causada pelo coronavírus, foram criadas 1.709 novas vagas para pessoas em situação de rua, sendo 672 em oito equipamentos emergenciais em centros esportivos, 400 em Centros Educacionais Unificados (CEU), 207 em um Centro de Acolhida Especial para Idosos e 430 vagas para hospedagem de idosos em situação de rua já acolhidos na rede socioassistencial, em oito hotéis (sete na região central e um na região norte).

Das vagas criadas durante a pandemia, 1.023 estão em funcionamento. Os equipamentos funcionam 24 horas e são voltados a diversos perfis.

O imóvel

O empreendimento está localizado no espaço do antigo Hotel Plaza, que por anos foi fruto de uma disputa judicial, mas, desde outubro, integra oficialmente o portfólio de imóveis da Cohab-SP.

No evento, a Companhia de Habitação vai transferir a posse do imóvel para a SMADS.

O prédio do antigo Hotel Plaza, também chamado de Art-Palácio, está localizado na Avenida São João, número 407.

A desapropriação do terreno aconteceu com fundos da Secretaria Municipal de Cultura, que era responsável por 61% da área, referente à parte do cinema. O restante – 38% do edifício – foi desapropriado pela Cohab-SP, área em que serão adaptadas as moradias. Em outubro de 2020, a Justiça concedeu o auto de imissão na posse do terreno para a Cohab. Após tratativas entre as três Secretarias, foi acordada a cessão da área para a SMADS.

Cessão

A cessão do edifício é realizada por meio de ajuste formalizado entre as secretarias envolvidas. Esse ajuste define os termos da cessão de posse. A proposta inicial para a cessão é de 60 meses. Esse é um empreendimento ligado ao Fundo Municipal de Habitação (FMH) sendo a Cohab-SP o órgão operador do Fundo.

Cinema Art-Palácio

Além do Plaza Hotel, o prédio Art-Palácio também abriga um cinema homônimo, fechado desde 2012. Inaugurado oficialmente em novembro de 1936 com o nome de Ufa Palácio, estreou com o filme alemão “Boccaccio”. Por décadas foi respeitado como uma das principais salas de cinema de São Paulo, atingindo o ápice entre as décadas de 1950 e 1960. Foi nessa época que começaram e a ser exibidos filmes mais populares, concentrando os lançamentos do cineasta brasileiro Amácio Mazzaropi, que eram exibidos primeiro ali para, só depois, partir para o grande circuito.

A chegada dos anos 1970 ocasionou uma grande mudança no cenário cultural da cidade de São Paulo e o Cine foi um dos principais a sentir o impacto. Para manter as portas, nos anos 1980, passou a exibir filmes adultos, e assim foi até o fechamento, em 2012.

Ficha técnica 

Área total do terreno: 2.198,17 m²

Área construída: 5.214,92 m²

Número de unidades: 70

População atendida: 260

Controladoria participa de Seminário de lançamento do Observatório de Políticas Públicas do TCM/SP

O Observatório tem o objetivo de produzir indicadores sobre políticas públicas na cidade de São Paulo

A Controladoria Geral do Município de São Paulo participou nesta quinta-feira (10) da mesa de abertura do Seminário “Observatório de Políticas Públicas do Tribunal de Contas do Município de São Paulo (TCM/SP)”. Entre os participantes estavam o Presidente do TCM/SP, Conselheiro João Antônio da Silva Filho, o Conselheiro-dirigente da Escola de Gestão e Contas do TCM/SP, Maurício Faria, o Controlador Geral do Município de São Paulo, João Manoel Scudeler de Barros, além do representante da IEA/USP, Guilherme Ary Plonski, da Uninove, José Eduardo Storopoli, da UFABC, Gabriel Rossini e da Fundação Tide Setubal, Maria Alice Setubal. A mediação do encontro foi realizada pelo Diretor-presidente da Escola de Gestão e Contas, Maurício Piragino.

Durante a mesa de abertura do Seminário, Scudeler de Barros pontuou a importância da participação da CGM no lançamento da pedra fundamental do Observatório, reforçou a missão Controladoria e as diretrizes estabelecidas pela atual gestão municipal. “A Controladoria é uma instituição que tem como missão garantir a defesa do patrimônio público, promover as boas práticas voltadas à transparência e governança, à prevenção da corrupção, de irregularidades e de má condutas de servidores. Este desafio é construído mediante a aproximação com as demais instituições de controle e com o mundo acadêmico, a pesquisa, a ciência, a tecnologia e a inovação, o que valoriza, engrandece e agrega valor ao nosso trabalho, produzindo sim benefícios ao cidadão e à sociedade”.

Ele também citou as cooperações mais recentes firmadas com o TCM/SP e a maior eficiência que elas fornecem ao trabalho dos Auditores Municipais de Controle Interno e aos Procuradores que atuam na equipe da CGM. “Os acordos de cooperação entre a CGM/SP e o TCM/SP proporcionam o compartilhamento de conhecimentos e dados. Os sistemas nos auxiliam no gerenciamento e no cumprimento das determinações e recomendações apresentadas pelo Tribunal, além de emitir alertas em situações que mereçam atenção e indiquem possíveis irregularidades ou não atendimento às melhores práticas”. Dentre estas cooperações, citou as que envolvem o SISPATRI – Sistema de Controle de Bens Patrimoniais do Município de São Paulo, o Sistema DIÁLOGO e o Sistema ARIEL. “Tais parcerias são avanços que construímos no dia a dia a partir de uma boa relação institucional”, destacou.

O Observatório de Políticas Públicas tem o objetivo de produzir indicadores sobre políticas públicas na cidade de São Paulo, em áreas como Educação, Orçamento, Saúde e Urbanismo. Sua atuação terá como foco a identificação de desigualdades nestas políticas e no gasto público, e estará alinhada com os instrumentos de planejamento do município e com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), constantes na Agenda 2030.

Escola de Conselhos anuncia programação da IV turma

Equipamento da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania recebeu nome em homenagem a Paulo Freire

Esta quinta-feira (10), Dia Internacional dos Direitos Humanos, ganhou um significado especial para a Escola de Conselhos da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC). Além do anúncio da programação das aulas de sua IV turma de alunos, a instituição muda de nome, passando a ser chamada oficialmente de Escola de Conselhos Paulo Freire, em homenagem ao filósofo brasileiro reconhecido internacionalmente como um dos maiores educadores da história.

A Escola tem como objetivo capacitar pessoas idosas da cidade de São Paulo para o papel de conselheiros e conselheiras no Grande Conselho Municipal do Idoso (GCMI), órgão que tem papel chave no exercício da democracia participativa e no controle social das políticas para um envelhecimento digno e saudável da população paulistana.

O evento teve início às 10h da manhã em transmissão ao vivo pelas redes sociais da SMDHC a da Escola de Conselhos “Paulo Freire”, em função das restrições impostas pela Pandemia de COVID-19. O curso terá dez aulas com início com início previsto para fevereiro de 2021.

“A formação continuada é uma iniciativa da SMDHC, por meio da Coordenação de Políticas para Pessoa Idosa e do Grande Conselho Municipal do Idoso, que desde 2017 vem possibilitando a revelação de potencialidades das pessoas idosas atuantes na construção de uma sociedade igualitária e justa para todas as idades”, afirma a coordenadora de Políticas para Pessoa Idosa da SMDHC, Sandra Regina Gomes.

O público-alvo da Escola são os conselheiros, lideranças de Fóruns e pessoas idosas em geral que querem ampliar sua capacidade de participação na sociedade. Durante o ano de 2021estão previstos encontros temáticos com base no livro “Pedagogia da Autonomia”, de Paulo Freire, além de discussões sobre os serviços de atendimentos às pessoas idosas, as situações do idoso em situação de rua e desaparecido, e como vivem a população idosa negra, imigrante e LGBT.

A novidade nesta IV turma é que não há limites de participantes na Escola, já que as aulas serão transmitidas e ficarão gravadas na internet. Até agora 180 conselheiros se formaram, 60 em cada turma uma das três primeiras turmas. A programação será toda moldada para o ensino à distância, uma vez que os alunos estão inseridos no grupo mais vulnerável a complicações da COVID-19. As três turmas anteriores, antes da Pandemia, tiveram aulas presenciais, mas o currículo deste ano foi adequado para atingir o mesmo patamar de capacitação por meio de aulas à distância.

Confira a programação das aulas da IV Turma da Escola de Conselhos “Paulo Freire” em 2021:

1º dia

Abertura

Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania

Coordenação de Políticas para Pessoa Idosa

Grande Conselho Municipal do Idoso

Tema: Grande Conselho Municipal do Idoso: sua história, composição, atribuições, avanços e desafios.

Tradução de Libras

2º dia

Tema: O que são Políticas Públicas para pessoas idosas? Conhecendo as pautas e ações da Coordenação de Políticas para Pessoa Idosa da SMDHC.

Tradução de Libras

3º dia

Tema: Conhecendo a situação da Pessoa Idosa na cidade de São Paulo e o enfrentamento a pandemia do coronavirus.

Tradução de Libras

4º dia

Tema: Políticas de Garantia de Direitos da Pessoa Idosa – Assistência Social

Palestrante: Coordenação da Proteção Social Básica – Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social – SMADS

Palestrante: Coordenação da Proteção Especial – Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social – SMADS

Tradução de Libras

5º dia

Tema: Políticas de Garantia de Direitos da Pessoa Idosa – Saúde

Palestrante: Secretaria Municipal de Saúde

Tradução de Libras

6º dia

Tema: Políticas de Garantia de Diretos da Pessoa Idosa – Educação, Cultura, Esporte e Lazer

Palestrante: Secretaria Municipal de Esporte e Lazer

Palestrante: Secretaria Municipal de Educação

Palestrante: Secretaria Municipal de Cultura

Tradução de Libras

7º dia

Tema: Políticas de Garantia de Direitos da Pessoa Idosa – Habitação e Transporte

Palestrante: Secretaria Municipal de Habitação

Palestrante: Secretaria Municipal de Transporte

Tradução de Libras

8º dia

Tema: Medidas de Proteção à Pessoa Idosa – Ministério Público e Defensoria

Palestrante: Promotora do Idoso do Ministério Público de São Paulo.

Palestrante: Defensora Pública do Estado de São Paulo e integrante do Núcleo Especializado dos Direitos da Pessoa Idosa.

Tradução de Libras

9º dia

Tema: Fundo Municipal do Idoso e orçamento para a implementação das políticas.

Palestrante: Coordenação de Planejamento da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania – SMDHC

Palestrante: Secretaria da Fazenda

Tradução de Libras

10º dia

Tema: Ações de fortalecimento do Conselho Municipal do Idoso e a importância do controle social na efetivação da garantia de direitos.

Palestrante: Conselhos de Direitos da Pessoa Idosa

Palestrante: Instituto Paulo Freire

Encerramento: Grande Conselho Municipal do Idoso – GCMI

Tradução de Libras

Virada Cultural 2020 tem programação descentralizada

Com mais de 500 atrações, 16ª edição da Virada Cultural neste ano tem o mote “Tudo de arte, nada de aglomeração”

Nos dias 12 e 13 de dezembro, a Prefeitura Municipal de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, apresenta a 16ª edição da Virada Cultural, que neste ano tem o mote “Tudo de arte, nada de aglomeração”. São mais de 500 atrações, entre atividades on-line e intervenções urbanas, distribuídas por todas as regiões de São Paulo, sem aglomeração de público, com transmissão das principais atrações no site da Virada, no Twitter e YouTube. Além das ruas e da internet, a Virada está presente em 6 teatros, 9 centros culturais, 18 casas de cultura e 22 bibliotecas espalhadas por todas as regiões da cidade.

Neste ano, em que a cultura serviu de antídoto para a ansiedade causada pelo isolamento social, a Virada Cultural reforça ainda o papel da arte e da cultura como um fator de inclusão social e de oportunidades para todos. Por isso, a curadoria enfocou artistas da periferia de todas as regiões da cidade na programação, dando protagonismo e voz aos diversos grupos e artistas que tornam São Paulo uma cidade tão plural e vibrante.

Entre os destaques da programação descentralizada, está a Virada Cultural Paraisópolis. A 2ª maior favela da cidade recebe um palco com atrações para todos os públicos: MPB, sertanejo, reggae, samba, heavy metal, rap, funk, dança de rua e uma apresentação da Orquestra Filarmônica de Paraisópolis. Os shows são filmados direto de Paraisópolis, sem público, e transmitidos ao vivo.

Com obras de todos os cantos da cidade, acontece o lançamento do MAR 360º, plataforma pioneira no mundo a exibir em 360º a arte urbana. Serão exibidas obras de diferentes artistas em suportes como grafite, estêncil e fotografia, em grandes dimensões, feitas para o MAR (Museu de Arte de Rua) de São Paulo – uma parceria entre as secretarias municipais de Cultura, Subprefeituras e Educação que visa aprimorar a vocação da cidade para a produção de arte urbana e ampliar seu impacto positivo na cultura e identidade de São Paulo. O acesso será feito, a partir deste sábado, pelo endereço mar360.art.br.

Reforçando o compromisso da Prefeitura com a diversidade, a programação inclui artistas indígenas, LGBTQIA+, mulheres e negros. Dando voz à população indígena, a Biblioteca Belmonte promove o Ciclo Ancestralidade e Território Tenonde Porã. Uma série de debates que englobam desde a agricultura e ervas medicinais guarani, até questões como o feminicídio indígena e casamento homoafetivo – o Território Tenondé Porã foi o primeiro território nacional a oficializar uma união homoafetiva. Na Biblioteca Padre José de Anchieta, acontece show de Kunumí MC, com temas como a causa indígena e a cultura sagrada do seu povo, além da luta pela demarcação das terras e pela preservação da natureza.

Uma verdadeira celebração da diversidade, a Virada Ballroom, do Coletivo AMEM, é uma mostra multilinguagem, com performances de música, voguing, circo, drag, pole dance, poesia, fotografia, live painting e outras criações produzidas por artistas da comunidade queer. Transmitida online e também projetada em prédios do Largo do Arouche, a Virada Ballroom traz performances de bairros como Penha, Perus, Freguesia do Ó, Jabaquara e do Centro.

Entre o sem número de artistas mulheres escaladas na programação, um dos projetos que discutem os papéis de gênero na sociedade é o Empena Feminina, da ocupação Resultante Peso. Em seis empenas que rodeiam o Minhocão, serão projetados 10 trabalhos de 10 mulheres diversas e uma apresentação transmitida on-line, em tempo real, com mulheres convocadas para participar nas redes do projeto. A proposta é discutir os diferentes pesos, tanto o físico imposto por uma sociedade patriarcal, como o poético e o simbólico.

Celebrando a ancestralidade afro-brasileira, Beth Beli e o Coletivo Coletores apresentam o projeto multimídia Encruzas e Encruzilhadas: Ancestralidades e Afrofuturismos. São projeções mapeadas e diferentes trilhas sonoras em intervenções urbanas que têm como suporte seis pontos/territórios de referência para a cultura negra de São Paulo: Largo do Arouche; Jabaquara; Igreja do Rosário dos Homens Pretos da Penha; Casa de Cultura Brasilândia e Comunidade Cultural Quilombaque.

Clique aqui para conferir mais destaques da programação

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/virada-cultural-2020-tem-programacao-descentralizada

Monumentos são iluminados em homenagem à 1ª Bienal Virtual do Livro

Pela primeira vez, evento oficial da capital é realizado de forma virtual

Entre os dias 7 e 13 de dezembro, a Prefeitura de São Paulo está iluminando quatro monumentos da cidade em homenagem à 1ª Bienal Virtual do Livro de São Paulo, que ocorre neste período. Durante a semana, o Edifício Matarazzo (sede da Prefeitura), o Viaduto do Chá, a Ponte Octávio Frias de Oliveira (Estaiada) e a Biblioteca Mário de Andrade são iluminados com as cores oficiais da Bienal (vermelho, verde, azul e amarelo).

A Bienal Internacional do Livro de São Paulo é o maior evento literário da América Latina e faz parte do calendário oficial da cidade, com apoio da Prefeitura. Neste ano, por conta da pandemia da Covid-19, o evento será realizado de forma virtual pela primeira vez, com o tema “Conectando Pessoas e Livros”.

“Queremos, a partir da cidade de São Paulo, nos tornar um país não apenas de leitores, mas também de autores” disse o secretário de Relações Internacionais, Luiz Alvaro Salles Aguiar de Menezes.

A programação online conta com palestras, exposições de livros e jornada de negócios, que serão transmitidas por meio do site: https://www.bienalvirtualsp.org.br. Todas as atividades são gratuitas.

Prefeitura de São Paulo promove réveillon com shows on-line

Programação gratuita traz variedade de apresentações artísticas virtuais como aquecimento para a virada do ano, respeitando os protocolos de saúde pública

Com uma programação diversa e virtual, que celebra gêneros musicais como gospel, samba, funk, pagode, rap e sertanejo, no dia 31 de dezembro, a partir das 17h30, a Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Turismo, realiza o Réveillon Paulistano, tradicional festa da virada de ano da cidade.

Devido à pandemia de coronavírus, o público poderá conferir a programação exclusivamente por meio do canal oficial da Secretaria Municipal de Turismo no Youtube. Ao todo, serão seis shows com atrações apresentadas pelo mestre de cerimônias Thiago Lopes. No palco samba, o destaque é a Escola Campeã do Carnaval 2020 de São Paulo: Águia de Ouro.

O funk será representado pela cantora Lexa, que terá como convidado o seu marido, MC Guimê. Além de suas bem-sucedidas carreiras solo, eles já colaboraram na faixa “Fogo”, que estará no repertório.

As atrações gospel Tony Allison, Eliana Ribeiro, Eli Soares, Regis Danese, Sarah Farias e Ester Marcos se revezam no palco virtual. O show Amigos do Pagode reúne Sandra de Sá, Fundo de Quintal, Juliana Diniz, Pagode do Pezinho e Samba do Povo relembra sucessos que embalaram os anos 90.

O encontro entre os expoentes do rap contará com Rael da Rima, Rashid, Drik Barbosa, Jup do Bairro e Rico Dalasam que se apresentam sozinhos e depois colaboram em faixas conjuntas.

Quem encerra a noite é a dupla sertaneja Maiara e Maraisa, donas de sucessos como “10%” e “Medo bobo”. Com DVDs gravados em cidades como Goiânia, Campo Grande e São Paulo, as irmãs gêmeas estão entre as maiores artistas do gênero sertanejo da atualidade e prometem um panorama da carreira musical neste show.

Na hora da virada do ano, o público poderá conferir também uma queima de fogos surpresa, que será transmitida de algum lugar da cidade cujo endereço não será anunciado antecipadamente para evitar aglomeração em razão da pandemia de coronavírus.

São Paulo Tech Week: festival de inovação e tecnologia será on-line

Evento promovido pela Prefeitura de São Paulo começa neste sábado (12/12) com extensa programação para amantes de tecnologia e inovação

A Prefeitura de São Paulo realiza a partir de sábado (12/12), a São Paulo Tech Week (SPTW), um dos maiores festivais de inovação e tecnologia do mundo. Descentralizada, a SPTW apresenta neste ano mais de 150 eventos, selecionados por cerca de 90 curadores especializados em mais de 50 áreas, como transformação digital, mulheres, indústria 4.0 e educação. O evento é uma realização da SP Negócios, agência vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, e integra o calendário oficial de eventos da cidade desde 2017.

A SPTW terá sete dias de programações diárias totalmente on-line, até o dia 18, distribuídas em diversos formatos, como visitas guiadas, webinars e debates. Como parte das atividades de abertura da semana, o SportsTech Brasil Summit iniciará o festival no Museu do Futebol, no Pacaembu. Transmitido ao vivo pelo Youtube o evento irá reunir toda a indústria esportiva, oferecendo uma experiência interativa voltada a empreendedorismo, tecnologia e inovação no setor.

Entre os principais eventos estão a etapa brasileira da Startup World Cup 2020, que classificará uma startup para concorrer ao prêmio de US$ 1 milhão no Vale do Silício, na Califórnia (EUA), e o Big Festival – O Hub de Negócios da Indústria Mundial de Games na América Latina, cujo objetivo é debater como realizar negócios e promover jogos no mercado global.

As inscrições para as atividades podem ser realizadas gratuitamente até o dia 15 na plataforma do festival: www.saopaulotechweek.com

Cem por cento on-line em razão da pandemia do novo coronavírus, o festival fará sua festa de encerramento no dia 18, em parceria com o Silicon Drinkabout, com um happy hour de networking de inovação e empreendedorismo realizado por líderes da comunidade de startups de São Paulo, a Zero Onze Startups.

Serviço

São Paulo Tech Week

Data: 12 a 18 de dezembro

Horário: a partir das 9h

Inscrições: www.saopaulotechweek.com

Principais eventos

12/12 | 9h30

Abertura da São Paulo Tech Week (SPTW) durante o SportsTech Brasil Summit.

Link de acesso: www.youtube.com/sportsnetworkbr

12 a 18/12 | 11h30

InTalks powered by SPTW – Entrevistas ao vivo com executivos das principais empresas do país com as suas visões de futuro, aprendizados da pandemia e dicas para outros profissionais da área.

Link de acesso: www.saopaulotechweek.com

15/12 | 10h

A democratização e diversidade dos investimentos em startups e a transformação da cultura e governança.

Link de acesso: www.saopaulotechweek.com

16/12 | 14h

Big Festival – O Hub de Negócios da Indústria Mundial de Games na América Latina.

Link de acesso: www.saopaulotechweek.com

16/12 |17h

Startup World Cup Brazil 2020.

Link de acesso: www.startupworldcup.io/brazil-regional-2021

18 a 20/12 | 19h às 23h59

INOVATHON SPTW 2020 Cultura?Turismo – Hackaton com foco em buscar soluções criativas e inovadoras para a cultura e o turismo, dois dos setores mais atingidos pela pandemia.

Link de acesso: www.inovathons.com.br

18/12 | 18h

Premiação do Datathon de Nutrição – Pioneiro no Brasil, desafio de dados tem proposta de apresentar desafios para estimular análises e visualizações de dados disponíveis sobre nutrição e saúde para idosos. Começa dia 4/12.

Link de acesso: www.youtube.com/channel/UCi0IFksil2dA_mZGmq8QU4A

18/12 | 19h

Silicon Drinkabout powered by SPTW2020 – Festa de encerramento on-line.

Link de acesso: www.saopaulotechweek.com

Cidade de São Paulo entrega prêmios por luta pelos direitos humanos e preservação da memória

Homenagem marca o último dia do Festival dos Direitos Humanos nesta sexta-feira (11/12)

Dentro da programação da 8ª edição do Festival de Direitos Humanos, promovido pela Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC), serão homenageadas personalidades que se destacam na promoção da dignidade de todas as pessoas, em cerimônia no auditório da Secretaria de Justiça do Estado, nesta sexta-feira (11/12), às 15h. Haverá transmissão ao vivo no Facebook e no YouTube da SMDHC.

São dois prêmios, o 7º Dom Paulo Evaristo Arns, que reverencia quem lutou pelos direitos humanos na cidade de São Paulo e o 5º Alceri Maria Gomes da Silva, de preservação da memória e na busca pela verdade das violações às pessoas ocorridas durante o período da ditadura militar.

Dom Paulo Evaristo Arns foi arcebispo de São Paulo e cardeal nomeado pelo Papa Paulo VI, e ficou conhecido como o “Cardeal da Esperança” por denunciar os abusos do regime militar. Nos anos 1970, Dom Paulo peregrinava de quartel em quartel, usando sua influência para libertar dezenas de presos políticos.

Já Alceri Maria Gomes da Silva foi uma operária metalúrgica e militante política, assassinada pela ditadura militar, e, de acordo com investigações da Comissão Nacional da Verdade, é considerada desaparecida, uma vez que seus restos mortais não foram identificados.

7º Prêmio Dom Paulo Evaristo Arns

O vencedor do 7º Prêmio Dom Paulo Evaristo Arns é o Padre Júlio Lancellotti, que receberá um troféu de autoria de Tomie Othake, além de um certificado. Ele recebeu 15.598 indicações para o prêmio, de um total de 16.643. O processo de escolha aconteceu por meio de um Edital de Chamamento Público, com um formulário online aberto à sociedade civil. Com base nas indicações, o Comitê Municipal de Educação em Direitos Humanos elegeu uma lista tríplice, que foi enviada ao prefeito, para a escolha final.

O Padre Júlio Lancellotti é conhecido por estar à frente de vários projetos de atendimento à população carente, em especial pessoas em situação de rua.

Confira os vencedores de todas as edições:

2014: Frei Betto

2015: Luiza Erundina

2016: Padre Jaime Crowe

2017: Mara Gabrilli=

2018: Paulo Pedrini

2019: Margarida Bulhões Pedreira Genevois

2020: Padre Júlio Lancellotti

5º Prêmio Alceri Maria Gomes da Silva

O ganhador do 5º Prêmio Alceri Gomes da Silva é Anivaldo Padilha, cientista social e líder da igreja metodista, que foi torturado durante 22 dias seguidos em 1970 pelo regime militar. Anivaldo na época era líder da juventude metodista e do movimento ecumênico da juventude na América Latina, além de militar na Ação Popular – organização de oposição à ditadura. Somente por fazer parte da Ação Popular na época, foi motivo suficiente para que Anivaldo acabasse preso e torturado.

Além dele, haverá menção honrosa na premiação para a psicanalista e também ex-presa política Dodora Arantes e para a organização não governamental Cufa – Central Única das Favelas.

Confira os vencedores de todas as edições:

2016

Homenagem: Fábio Konder Comparato

Menção Honrosa Pessoa Física: Tata Amaral

Menção Honrosa Pessoa Jurídica: CAAF-Unifesp

2017

Homenagem: Flávia Schilling

Menção Honrosa Pessoa Física: Caco Barcellos

Menção Honrosa Pessoa Jurídica: Agência Pública

2018

Homenagem: José Luiz Del Roio

Menção Honrosa Pessoa Física: Amelinha Teles

Menção Honrosa Pessoa Jurídica: Memorial da Resistência

2019

Homenagem: Eugênia Gonzaga

Menção Honrosa Pessoa Física: Jean Willys

Menção Honrosa Pessoa Jurídica: Ponte Jornalismo

2020

Homenagem: Anivaldo Padilha

Menção Honrosa Pessoa Física: Dodora Arantes

Menção Honrosa Pessoa Jurídica: Central Única das Favelas

8º Festival de Direitos Humanos

O Festival é realizado anualmente, conforme previsto na Lei Municipal nº 16.357 de 06 de janeiro de 2016, que alterou a Lei nº 14.485, de 19 de julho de 2007, para incluir no Calendário de Eventos da Cidade de São Paulo a “Semana Municipal de Direitos Humanos e Cidadania” a ocorrer sempre na semana do Dia Internacional dos Direitos Humanos – 10 de dezembro – de cada ano, e é composto por uma série de atividades formadoras e culturais visando a disseminação dos direitos humanos e da cultura de paz na cidade de São Paulo.

Em razão da edição do Decreto Municipal nº 59.283, de 16 de março de 2020, que declarou situação de emergência no Município de São Paulo e definiu outras medidas para o enfrentamento da pandemia decorrente do coronavírus, as atividades presenciais foram suspensas e qualquer atividade que acarrete aglomeração foi desaconselhada. Assim, o Festival Municipal de Direitos Humanos 2020 é exclusivamente em plataforma virtual.

Serviço

7º Prêmio Dom Paulo Evaristo Arns e 5º Prêmio Alceri Maria Gomes da Silva

Data: 11/12 (sexta-feira) – 15h

Local: Auditório da Secretaria de Justiça do Estado – Páteo do Colégio, 148.

Transmissão: Facebook da SMDHC: https://www.facebook.com/SMDHC e YouTube da SMDHC: https://www.youtube.com/Smdhcsp

Site: http://www.festivaldireitoshumanos.com.br

São Paulo recebe o título de Cidade Amiga dos Animais

Durante a pandemia, município adotou recursos on-line para solicitação de castração e triagem de adoção de pets durante a quarentena

Com ações inovadoras na área de proteção animal durante a pandemia de covid-19, a cidade de São Paulo foi premiada como “Cidade Amiga dos Animais – melhores práticas no manejo humanitário de cães e gatos”, título concedido pela ONG Proteção Animal Mundial nos países da América Latina. A capital ficou ainda em segundo lugar na classificação geral do prêmio. O anúncio on-line dos vencedores foi realizado em 19 de outubro.

Diante do desafio de manter o acesso aos serviços para a população de cães e gatos durante a quarentena, a Coordenadoria de Saúde e Proteção ao Animal Doméstico (COSAP), da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), recorreu à tecnologia para garantir atendimento e cuidado aos bichinhos. Implantou recursos on-line para solicitação de castração e triagem aos interessados em adoção de animais.

Outras medidas como a inauguração do hospital público veterinário da Zona Sul, a doação de 13 toneladas de ração para animais em situação de vulnerabilidade e a implantação do Cartão Cuida Bem Idoso também garantiram a São Paulo o título de “Cidade Amiga dos Animais”.

Podcast Acontece em SP debate experiências do hip hop na educação e na pandemia após ação com bibliotecas municipais

Episódio número 61 do programa de entrevistas da Cidade de São Paulo conversa com B-girls sobre arte e cultura em momento de isolamento social

As artistas Deise Miranda e Carol Nola precisaram se reinventar durante a pandemia. Elas são b-girls, denominação dada a dançarinas de break dance e disseminadores da cultura hip hop.

As medidas de prevenção do coronavírus interromperam, em março, a programação do Mês do Hip Hop que as levou a apresentar nas bibliotecas municipais os conceitos e passos do movimento. A programação continuou de forma on-line, assim como várias outras atividades programadas durante a quarentena.

Ao longo do tempo, as experiências de isolamento trouxeram novas reflexões, entre elas de como a arte pode ser uma ferramenta para nos conectar com a sensação de liberdade, mesmo precisando ficar em casa.

“A arte como um todo teve um papel fundamental de prevenção até como um remédio, como um bálsamo, vendo sua série, desenhando… foi fundamental para a saúde mental”, opina Carol Nola.

Ouça o episódio completo ou assista a entrevista no Youtube:

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/podcast-acontece-em-sp-debate-experiencias-do-hip-hop-na-educacao-e-na-pandemia-apos-acao-com-bibliotecas-municipais

Cidade de São Paulo entrega os prêmios Dom Paulo e Alceri por luta pelos direitos humanos e preservação da memória

Homenagem marca o último dia do Festival dos Direitos Humanos nesta sexta 11/12

Dentro da programação da 8ª edição do Festival de Direitos Humanos – promovido pela SMDHC – serão homenageadas personalidades que se destacam na promoção da dignidade de todas as pessoas, em cerimônia no auditório da Secretaria de Justiça do Estado, nesta sexta-feira (11/12), às 15h. Haverá transmissão ao vivo no Facebook e no YouTube da SMDHC.

São dois prêmios, o 7º Dom Paulo Evaristo Arns, que reverencia quem lutou pelos direitos humanos na cidade de São Paulo e o 5º Alceri Maria Gomes da Silva, de preservação da memória e na busca pela verdade das violações às pessoas ocorridas durante o período da ditadura militar.

Dom Paulo Evaristo Arns foi arcebispo de São Paulo e cardeal nomeado pelo Papa Paulo VI, e ficou conhecido como o “Cardeal da Esperança” por denunciar os abusos do regime militar. Nos anos 1970, Dom Paulo peregrinava de quartel em quartel, usando sua influência para libertar dezenas de presos políticos.

Já Alceri Maria Gomes da Silva foi uma operária metalúrgica e militante política, assassinada pela ditadura militar, e, de acordo com investigações da Comissão Nacional da Verdade, é considerada desaparecida, uma vez que seus restos mortais não foram identificados.

7º Prêmio Dom Paulo Evaristo Arns

O vencedor do 7º Prêmio Dom Paulo Evaristo Arns é o Padre Júlio Lancellotti, que receberá um troféu de autoria de Tomie Othake, além de um certificado. Ele recebeu 15.598 indicações para o prêmio, de um total de 16.643. O processo de escolha aconteceu por meio de um Edital de Chamamento Público, com um formulário online aberto à sociedade civil. Com base nas indicações, o Comitê Municipal de Educação em Direitos Humanos elegeu uma lista tríplice, que foi enviada ao prefeito, para a escolha final.

O Padre Júlio Lancellotti é conhecido por estar à frente de vários projetos de atendimento à população carente, em especial pessoas em situação de rua.

Confira os vencedores de todas as edições:

2014: Frei Betto

2015: Luiza Erundina

2016: Padre Jaime Crowe

2017: Mara Gabrilli

2018: Paulo Pedrini

2019: Margarida Bulhões Pedreira Genevois

2020: Padre Júlio Lancellotti

5º Prêmio Alceri Maria Gomes da Silva

O ganhador do 5º Prêmio Alceri Gomes da Silva é Anivaldo Padilha, cientista social e líder da igreja metodista, que foi torturado durante 22 dias seguidos em 1970 pelo regime militar. Anivaldo na época era líder da juventude metodista e do movimento ecumênico da juventude na América Latina, além de militar na Ação Popular – organização de oposição à ditadura. Somente por fazer parte da Ação Popular na época, foi motivo suficiente para que Anivaldo acabasse preso e torturado.

Além dele, haverá menção honrosa na premiação para a psicanalista e também ex-presa política Dodora Arantes e para a organização não governamental Cufa – Central Única das Favelas.

Confira os vencedores de todas as edições:

2016

Homenagem: Fábio Konder Comparato

Menção Honrosa Pessoa Física: Tata Amaral

Menção Honrosa Pessoa Jurídica: CAAF-Unifesp

2017

Homenagem: Flávia Schilling

Menção Honrosa Pessoa Física: Caco Barcellos

Menção Honrosa Pessoa Jurídica: Agência Pública

2018

Homenagem: José Luiz Del Roio

Menção Honrosa Pessoa Física: Amelinha Teles

Menção Honrosa Pessoa Jurídica: Memorial da Resistência

2019

Homenagem: Eugênia Gonzaga

Menção Honrosa Pessoa Física: Jean Willys

Menção Honrosa Pessoa Jurídica: Ponte Jornalismo

2020

Homenagem: Anivaldo Padilha

Menção Honrosa Pessoa Física: Dodora Arantes

Menção Honrosa Pessoa Jurídica: Central Única das Favelas

8º Festival de Direitos Humanos

O Festival é realizado anualmente, conforme previsto na Lei Municipal nº 16.357 de 06 de janeiro de 2016, que alterou a Lei nº 14.485, de 19 de julho de 2007, para incluir no Calendário de Eventos da Cidade de São Paulo a “Semana Municipal de Direitos Humanos e Cidadania” a ocorrer sempre na semana do Dia Internacional dos Direitos Humanos – 10 de dezembro – de cada ano, e é composto por uma série de atividades formadoras e culturais visando a disseminação dos direitos humanos e da cultura de paz na cidade de São Paulo.

Em razão da edição do Decreto Municipal nº 59.283, de 16 de março de 2020, que declarou situação de emergência no Município de São Paulo e definiu outras medidas para o enfrentamento da pandemia decorrente do coronavírus, as atividades presenciais foram suspensas e qualquer atividade que acarrete aglomeração foi desaconselhada. Assim, o Festival Municipal de Direitos Humanos 2020 é exclusivamente em plataforma virtual.

Serviço

7º Prêmio Dom Paulo Evaristo Arns e 5º Prêmio Alceri Maria Gomes da Silva

Data: 11/12 (sexta-feira) – 15h

Local: Auditório da Secretaria de Justiça do Estado – Páteo do Colégio, 148.

Transmissão: Facebook da SMDHC: https://www.facebook.com/SMDHC e YouTube da SMDHC: https://www.youtube.com/Smdhcsp

Site: http://www.festivaldireitoshumanos.com.br

Rodízio Municipal de Veículos segue em vigor neste fim de ano e em janeiro

Seguindo as recomendações da área da Saúde, Prefeitura decide manter o Rodízio Municipal de Veículos e demais restrições durante os dias úteis deste fim de ano e do mês de janeiro

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria de Mobilidade e Transportes (SMT) e da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), informa que, por recomendação das autoridades de saúde do município, decidiu manter o funcionamento normal do Rodízio Municipal de Veículos no período de Natal, Ano Novo e durante o mês de janeiro. Também continuam valendo normalmente o rodízio de placas para veículos pesados (caminhões) e as demais restrições: Zona de Máxima Restrição à Circulação de Caminhões (ZMRC) e a Zona de Máxima Restrição ao Fretamento (ZMRF).

Durante o rodízio os veículos ficam impedidos de circular no Centro Expandido, incluindo as vias que delimitam o chamado Mini Anel Viário, formado pelas marginais Tietê e Pinheiros, avenidas dos Bandeirantes e Afonso D´Esccragnole Taunay, Complexo Viário Maria Maluf, avenidas Tancredo Neves e Juntas Provisórias, Viaduto Grande São Paulo e avenidas Professor Luís Inácio de Anhaia Melo e Salim Farah Maluf. A restrição é válida somente de segunda a sexta-feira, exceto feriados.

Dia da Semana

Segunda-feira: veículos com finais de placa 1 e 2

Terça-feira: veículos com finais de placa 3 e 4

Quarta-feira: veículos com finais de placa 5 e 6

Quinta-feira: veículos com finais de placa 7 e 8

Sexta-feira: veículos com finais de placa 9 e 0

Transitar em locais e horários não permitidos pela regulamentação prevista no Código de Trânsito Brasileiro implica em infração de trânsito de nível médio, resultando em multa no valor de R$ 130,16 e acréscimo de 4 (quatro) pontos no prontuário do motorista.

Cartão incentiva adoção de cães e gatos idosos

Benefício é uma ferramenta importante, criada para mudar a realidade e oferecer esperança aos cães abrigados no Centro Municipal de Adoção

Como forma de incentivar a adoção de cães e gatos idosos que vivem hoje no Centro Municipal de Adoção, a Coordenadoria de Saúde e Proteção ao Animal Doméstico (Cosap) lançou neste ano o cartão Cuida Bem – Idoso, uma ferramenta importante, criada para mudar a realidade e oferecer esperança a nossa turminha especial. São considerados idosos os cães e gatos com idade a partir de 8 anos.

“Adotar é uma chance de recomeço ao animal escolhido. É trazer luz a uma vida que se apaga a cada dia”, ressalta a coordenadora da Cosap, Analy Xavier.

O munícipe que adotar um cão ou gato idoso no Centro Municipal de Adoção receberá o cartão Cuida Bem – Idoso, que permitirá atendimento prioritário e vitalício desse animal em qualquer uma das unidades dos Hospitais Veterinários Públicos da capital. A única obrigatoriedade é que o tutor resida em São Paulo e que a adoção seja realizada no Centro Municipal de Adoção.

Boa parte dos animais que esperam por uma família nas dependências da Cosap é composta hoje por animais  adultos, idosos, portadores de doenças crônicas. São animais com uma bagagem triste de abandono e maus tratos. Muitos chegaram ainda filhotes, mas por não atenderem ao perfil procurado pela maioria das famílias, aguardam há mais de dez anos pelo grande dia. Que tal considerar uma adoção especial?

Vantagens de adotar um animal adulto:

Já cresceu e sabemos o tamanho que ele vai ficar

Já se conhece o temperamento

Menos bagunça/destruição de objetos

São mais resistentes às doenças

Adote!

A adoção é um dos pilares de atuação da COSAP e, sem dúvida, uma atividade que requer esforço e amplo envolvimento do poder público com a sociedade civil. Isso porque o alojamento municipal não é um lar definitivo, ao contrário, a estadia deve ser de curta permanência. Esses animais precisam de amor, de companhia, de famílias amorosas e responsáveis. Todos ansiosos pelo grande dia em que serão adotados!

Além disto, há filas de espera na DVZ para remoção de animais em vias públicas ou remoção por determinação judicial (casos de acumuladores, maus tratos, etc.). Novas entradas só são possíveis à medida que os animais alojados sejam adotados.

Todos os animais são castrados, vacinados, vermifugados, identificados por microchip e possuem Registro Geral do Animal (RGA), conforme Lei Municipal nº13.131/01.

Conheça nossos animais e ajude divulgá-los. Aqui você encontra filhotes e adultos, de diferentes portes, cores e pelagens, além dos animais especiais:

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/cartao-incentiva-adocao-de-caes-e-gatos-idosos

Prefeitura de São Paulo promove Dia D de combate à covid-19

Equipes da Secretaria Municipal da Saúde irão às ruas nestes dias 11 e 12 na Ação Comunitária para reforçar as medidas de proteção contra o coronavírus

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), realiza nesta sexta-feira (11) e no sábado (12) o Dia D Ação Comunitária. A estratégia é intensificar as orientações sobre o combate à covid-19 e insistir nas medidas de proteção individual e coletiva, como uso da máscara de forma correta, a higienização das mãos com água e sabão e/ou álcool em gel 70%. A ação também reforça a necessidade de distanciamento social e a importância de se evitar aglomerações desnecessárias.

O Dia D será realizado nas 468 Unidades Básicas de Saúde (UBS) da cidade de São Paulo. Haverá ações espalhadas em locais com alto fluxo de público como shoppings, comércio de rua, bares, restaurantes, academias, parques públicos, estações do metrô e trem, terminais de ônibus, e outros locais de vulnerabilidade social.

Nesta sexta-feira, das 7h às 9h, foram realizadas ações de conscientização no cruzamento das avenidas Duque de Caxias e Rio Branco, no Centro da capital, e na altura do número 6.000 da avenida Inajar de Souza, na Zona Norte.

A estratégia é intensificar as orientações sobre o combate à Covid-19 e insistir nas medidas de proteção individual e coletiva (Foto: Divulgação)

Além desses locais, a SMS também realizará ações do Dia D Ação Comunitária nas saídas das rodovias Anchieta, Dutra, Bandeirantes, Raposo Tavares e Anhanguera e em grandes vias urbanas da capital, como as avenidas Salim Farah Maluf, Sapopemba, Aricanduva, Inajar de Souza, Cupecê e Vital Brasil. Também estão previstas ações na rua das Juntas Provisórias, estrada do M’Boi Mirim, avenida Água Espraiada e em todas as saídas e entradas da avenida 23 de Maio.

A SMS e os órgãos de saúde no mundo todo recomendam que não sejam realizadas festas e confraternizações de final de ano. Aglomerações e eventos públicos estão proibidos. Encontros e reuniões familiares são desaconselhados, a não ser entre as pessoas que residam na mesma casa e com todos os cuidados. Máscara, higiene e distanciamento são o melhor presente para este momento. O momento é de valorizar e preservar a saúde e a vida.

___________________________________________

10/12/2020

Use máscara: Peça é a melhor forma de combater a covid-19

Proteja você, sua família, seus amigos e toda a sociedade

O uso de máscara ainda é a melhor forma de combater a covid-19. Na cidade, o uso da peça é obrigatório e quem tiver sem a proteção fica sujeito a multa. O uso da máscara é um gesto de educação que protege você, a sua família, os seus amigos e toda a sociedade.

O uso de máscaras caseiras é recomendado como proteção extra na hora de sair de casa. O uso preferencial da máscara cirúrgica fica para os profissionais de saúde e pacientes em tratamento. A utilização das máscaras é mais eficaz quando são adotados os seguintes cuidados:

A máscara deve cobrir queixo, nariz e ficar justa ao rosto

Higienize as mãos antes e depois de colocar a peça: lave com água e sabão, ou aplique álcool em gel 70%

Para colocar, ajustar ou retirar, sempre pegue pelas alças ou pelo elástico

Não toque no pano da máscara e não remova para falar, tossir ou espirrar

Se a máscara ficar úmida ou molhada, troque por outra limpa e seca

A máscara não substitui o isolamento social. Se puder, fique em casa e não faça aglomerações

Use a mesma peça por no máximo 3 horas (após esse período, o tecido perde a eficácia)

Para lavar, deixe de molho por 30 minutos em água potável (500 ml) e água sanitária (10 ml)

Depois disso, lave-a com água e sabão, com enxague em água corrente

Depois de seca, se possível, passe com ferro quente

Guarde-a bem fechada, em recipiente ou saco de plástico, que tenha um uso específico para isso

Onde usar?

Sempre que sair de casa

Em áreas comuns: ruas, espaços de lazer ao ar livre, mercados, lojas, bares e farmácias

No local de trabalho

No transporte público ou compartilhado: ônibus, metrô, trem, táxi e carros de aplicativos

Em áreas comuns de prédios e condomínios: corredores, elevadores e halls

Portanto, a proteção é obrigatória sempre que estiver em espaços de uso coletivo. Além disso, autoridades de saúde recomendam a utilização da máscara mesmo dentro de casa, sobretudo nas seguintes situações:

Se estiver com tosse, espirrando, ou com outros sintomas parecidos com os de gripe e resfriado

Quando tiver infectado, com diagnóstico de covid-19

Quando conviver ou cuidar de quem está infectado

Quando conviver com pessoas do grupo de risco, sobretudo se você precisar sair de casa

Plano de Ação Climática de São Paulo é aprovado pela rede de cidades C40

Documento busca orientar a ação do governo municipal para fortalecer a variável climática em suas políticas públicas

O Plano de Ação Climática da cidade de São Paulo (PlanClima SP), desenvolvido pela Prefeitura, foi aprovado pela rede de cidades C40 na terça-feira (8). O documento apresenta os esforços a serem empreendidos para neutralizar as emissões de gases de efeito estufa no município de São Paulo até 2050, indicando as medidas necessárias para fortalecer a resiliência, reduzir as vulnerabilidades sociais, econômicas e ambientais da população paulistana e aumentar sua capacidade de adaptação climática. Com esta aprovação, o PlanClima SP passa a ser reconhecido internacionalmente e foi atestada pela C40 sua compatibilidade com o Acordo de Paris.

Com o objetivo de engajar-se com as ambições globais relativas ao enfrentamento da crise climática, a Prefeitura de São Paulo aderiu ao compromisso Prazo 2020 – Carta Compromisso do Acordo de Paris, proposta pela C40, em 2018. Desde então, a Prefeitura esteve dedicada a elaboração de um documento estratégico que apresentasse ações de mitigação e adaptação climática a serem implementadas na cidade.

A aprovação do Plano de Ação Climática foi comunicada por meio de uma carta do Diretor Executivo da C40, Mark Watts, ao Prefeito de São Paulo, Bruno Covas, na qual são destacados os esforços da administração municipal para retratar as fontes de emissão de gases de efeito estufa na cidade, os efeitos das mudanças climáticas no território e as oportunidades para adoção de medidas ambiciosas. “Nosso trabalho na Prefeitura de São Paulo tem por objetivo garantir que as próximas gerações possam viver em uma cidade mais justa e sustentável”, afirmou o Prefeito Bruno Covas. “Mais do que pensar as ações climáticas para a maior cidade da América Latina, este Plano reforça o compromisso da Prefeitura com o meio ambiente e o futuro de São Paulo”, declarou o Secretário de Relações Internacionais, Luiz Alvaro Salles Aguiar de Menezes.

O PlanClima SP foi desenvolvido ao longo do último ano por meio de um Grupo de Trabalho Intersecretarial (GTI), formado pela equipe de Relações Internacionais, pelas Secretarias do Governo Municipal; do Verde e do Meio Ambiente; de Licenciamento; de Infraestrutura Urbana e Obras; de Desenvolvimento Urbano; de Habitação; das Subprefeituras; de Desenvolvimento Econômico e Trabalho; da Saúde; Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social; de Segurança Urbana; Controladoria Geral do Município; Autoridade Municipal de Limpeza Urbana; pelo Centro de Gerenciamento de Emergências, pela Companhia de Engenharia de Tráfego, pela São Paulo Transportes (SPTrans), pela São Paulo Obras, São Paulo Urbanismo e pela Companhia Metropolitana de Habitação de São Paulo.

O Acordo de Paris

Criado em 2015, durante a 21ª Conferência das Partes (COP21) da UNFCCC (United Nations Framework Convention on Climate Change), o Acordo de Paris é um tratado que estabelece mecanismos para que os países limitem o aumento da temperatura global abaixo de 2°C, em relação aos níveis pré-industriais, e fortaleçam a defesa contra os impactos da mudança do clima.

Sobre a C40 

A rede de cidades C40 reúne megacidades de diferentes partes do mundo comprometidas a enfrentar a mudança do clima.  O objetivo da rede é incentivar a cooperação internacional entre as grandes cidades e apoiá-las na adoção de medidas climáticas ambiciosas, liderando o caminho para um futuro mais saudável e sustentável. Atualmente, a C40 é presidida pelo Prefeito de Los Angeles (EUA), Eric Garcetti, e é composta por 97 cidades em todo o mundo.

Programa de Linguagem Simples de São Paulo é premiado no 24º Concurso Inovação no setor público

Desenvolvida pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia, iniciativa aproxima sociedade e governo com comunicação acessível

Após concorrência com 283 iniciativas, o programa de Linguagem Simples da cidade de São Paulo ficou em 2º lugar no concurso de Inovação no Setor Público promovido pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap). Premiado na categoria “Inovação em Serviços ou Políticas Públicas no Poder Executivo Estadual, do Distrito Federal e Municipal”, o programa Linguagem Simples foi a iniciativa municipal melhor colocada.

Capitaneado pela equipe do (011).lab, laboratório de inovação em governo da Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia, o programa foi idealizado para simplificar a linguagem que a Prefeitura usa com a população.

“Simplificar a comunicação do poder público com a população aproxima as pessoas do governo, melhora nossa eficiência e constrói um engajamento positivo entre servidoras e servidores na Prefeitura, além de inspirar outras iniciativas pelo país”, afirmou o secretário de Inovação e Tecnologia, Juan Quirós.

O programa começou com dois eixos: melhorar os textos de documentos públicos com projetos e ferramentas de apoio e engajar servidoras e servidores da Prefeitura no tema. Mais de 300 agentes já foram capacitados.

O projeto soma oito documentos capacitados e três materiais para apoiar o entendimento e a implementação da metodologia.

Curso de Linguagem Simples

Em mais uma frente do programa, o curso de Linguagem Simples, gratuito e disponível na plataforma da Enap, ensina conceito e metodologias para quem quiser fazer parte dessa inciativa. O curso foi pensado para capacitar quem trabalha no setor público, mas qualquer pessoa pode se inscrever, fazer e receber o certificado. Já foram 1.500 participantes! Para acessar, basta clicar aqui.

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/programa-de-linguagem-simples-de-sao-paulo-e-premiado-no-24o-concurso-inovacao-no-setor-publico

Nova Orientação Técnica ajuda a identificar perfis e competências para o atendimento ao público

Objetivo é melhorar a experiência da população na demanda por serviços e a valorização dos profissionais

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia (SMIT), aprovou e publicou, em novembro, mais uma Orientação Técnica da Política de Atendimento. O documento, revisto e validado pelo Comitê Municipal de Atendimento ao Cidadão (CMAC), descreve as competências necessárias para servidoras (es) e funcionárias (os) que trabalham com atendimento ao público.

A elaboração do documento foi uma parceria entre duas coordenadorias da SMIT: a de Atendimento ao Cidadão e Modernização dos Serviços Públicos (CASP) e a de Atendimento Presencial (CAP), responsável pelo gerenciamento das unidades do programa Descomplica SP, que aproximou o documento do cotidiano da gestão pública.

A Orientação aborda os perfis mais frequentes nas praças de atendimento e quais ações e ferramentas a gestão dessas equipes pode utilizar para cada perfil, visando melhorar a experiência da população na demanda por serviços e a valorização dos profissionais.

A expectativa é que a Orientação Técnica sirva para equipes de atendimento já formadas quanto para qualificar a formação de outras. O objetivo não é apenas abarcar funcionários(as) e servidores(as) da Prefeitura, mas também de empresas terceirizadas pelas Secretarias e Órgãos Municipais.

“Documentos como essa nova Orientação Técnica fortalecem a Política de Atendimento ao Cidadão e nos ajudam a montar times e valorizar os profissionais que estão na linha de frente do atendimento na cidade de São Paulo”, disse o secretário de Inovação e Tecnologia, Juan Quirós.

A Orientação mais recente e outras já aprovadas estão disponíveis nos links abaixo:

Orientações Técnicas aprovadas

Política de Atendimento

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/nova-orientacao-tecnica-ajuda-a-identificar-perfis-e-competencias-para-o-atendimento-ao-publico

Boletim diário covid-19 no município de São Paulo

Até esta quarta-feira (9), 624.919 pessoas receberam alta após passar pelos hospitais de campanha, da rede municipal, contratualizados e pela Atenção Básica

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), atualiza nesta quarta-feira (9), boletim informativo sobre a situação do novo coronavírus na capital paulista nos hospitais da rede municipal e de campanha, contratualizados e Atenção Básica.

Acesse aqui o Boletim Diário – COVID-19 no Município de São Paulo de 9 de dezembro de 2020.

De acordo com o documento, foram registrados 429.324 casos confirmados e 15.505 óbitos pela doença na capital. Outros 630.742 casos e 6.137 óbitos estão em investigação.

A taxa de ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) na capital é de 59%, sendo 57% nos hospitais municipais e 91% nos hospitais contratualizados.

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/boletim-diario-covid-19-no-municipio-de-sao-paulo-1607550235.37

Podcast Aproveite São Paulo explica os tipos de testagem para o coronavírus

Existem diferenças entre os três tipos de testes para detecção da presença do vírus causador da covid-19 no organismo

Tosse, dor de cabeça, coriza, febre alta, dificuldade para respirar. Em tempos de pandemia, esse conjunto de sintomas pode sinalizar a infecção por coronavírus. Para saber se realmente é covid-19, é essencial procurar atendimento médico e fazer um teste.

Para cada manifestação de sintomas ou estágio da doença há indicação de um tipo diferente de testagem, porque eles apresentam variados graus de sensibilidade e têm um momento ideal para serem feitos.

O teste rápido é realizado através de uma coleta de sangue e é indicado para pessoas que apresentam sintomas, como dor de cabeça, febre alta e dificuldade para respirar. Esse tipo de teste não é recomendado para quem não apresenta nenhum sintoma, já que pode dar um falso negativo.

O segundo tipo é que identifica a presença de anticorpos no sangue que combatem o vírus. Para que tenha maior sensibilidade no resultado, é recomendado que seja feito após pelo menos oito dias do início dos sintomas.

O RT-PCR é considerado o padrão ouro para diagnosticar a covid-19. O material de escolha para análise é a secreção respiratória, colhida no nariz e na garganta do paciente. O recomendado é que seja feito na primeira semana de sintomas.

Saiba mais no episódio #60 do podcast Aproveite São Paulo.

ouça o podcast

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/podcast-aproveite-sao-paulo-explica-os-tipos-de-testagem-para-o-coronavirus

Isolamento social: Capital registrou 40% na última terça-feira (8)

Cidade continua em quarentena. Novo coronavírus é um inimigo invisível, que ainda está presente

O Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP), do Governo de São Paulo, apontou que a cidade de São Paulo registrou o índice de 40% de isolamento social na última terça-feira (8). No início de dezembro, todo o estado de São Paulo retornou para a fase amarela do Plano São Paulo, endurecendo as restrições para evitar aglomerações e o contágio do vírus.

O novo coronavírus é um inimigo invisível, que ainda está presente. Não é hora de baixar a guarda, mas sim retomar os cuidados com os protocolos de higiene e segurança. Se puder, fique em casa, mas se sair, use máscara cobrindo o nariz e a boca (mesmo nos dias mais quentes), limpe as mãos com frequência, mantenha o distanciamento social e evite aglomerações. Essas são as medidas essenciais para o controle da doença.

Especialistas do Centro de Contingência do coronavírus ressaltam que a exigência do isolamento social continua, sobretudo para as pessoas de grupos de risco (como maiores de 60 anos, portadores de doenças cardíacas e/ou crônicas e pacientes imunodeprimidos ou em tratamento oncológico).

De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), foram registrados 426.439 casos confirmados e 15.438 óbitos pela doença na capital. Outros 625.984 casos e 6.140 óbitos estão em investigação.

SIMI-SP

A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social. O SIMI-SP é viabilizado por meio de acordo com as operadoras de telefonia Vivo, Claro, Oi e TIM para que o Governo de São Paulo possa consultar informações agregadas sobre deslocamento no Estado. As informações são aglutinadas e anonimizadas, sem desrespeitar a privacidade de cada usuário. Os dados de georreferenciamento também servem para aprimorar as medidas de isolamento social para enfrentamento ao coronavírus.

Isolamento social: Capital registrou 40% na última terça-feira (8)

Cidade continua em quarentena. Novo coronavírus é um inimigo invisível, que ainda está presente

O Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP), do Governo de São Paulo, apontou que a cidade de São Paulo registrou o índice de 40% de isolamento social na última terça-feira (8). No início de dezembro, todo o estado de São Paulo retornou para a fase amarela do Plano São Paulo, endurecendo as restrições para evitar aglomerações e o contágio do vírus.

O novo coronavírus é um inimigo invisível, que ainda está presente. Não é hora de baixar a guarda, mas sim retomar os cuidados com os protocolos de higiene e segurança. Se puder, fique em casa, mas se sair, use máscara cobrindo o nariz e a boca (mesmo nos dias mais quentes), limpe as mãos com frequência, mantenha o distanciamento social e evite aglomerações. Essas são as medidas essenciais para o controle da doença.

Especialistas do Centro de Contingência do coronavírus ressaltam que a exigência do isolamento social continua, sobretudo para as pessoas de grupos de risco (como maiores de 60 anos, portadores de doenças cardíacas e/ou crônicas e pacientes imunodeprimidos ou em tratamento oncológico).

De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), foram registrados 426.439 casos confirmados e 15.438 óbitos pela doença na capital. Outros 625.984 casos e 6.140 óbitos estão em investigação.

SIMI-SP

A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social. O SIMI-SP é viabilizado por meio de acordo com as operadoras de telefonia Vivo, Claro, Oi e TIM para que o Governo de São Paulo possa consultar informações agregadas sobre deslocamento no Estado. As informações são aglutinadas e anonimizadas, sem desrespeitar a privacidade de cada usuário. Os dados de georreferenciamento também servem para aprimorar as medidas de isolamento social para enfrentamento ao coronavírus.

Prêmio “Educador em Destaque” reconhece trabalhos inovadores e criativos da Rede Municipal de Ensino

Cerimônia será transmitida on-line na próxima terça-feira (15)

Na próxima terça-feira (15), às 18h, os professores que atuam nas Unidades Educacionais da Rede Municipal de Ensino serão homenageados no Prêmio “Educador em Destaque”. Serão distribuídos R$ 27 mil em prêmios para os indicados nesta categoria. A iniciativa reconhece trabalhos inovadores e criativos desenvolvidos nos Centros Educacionais Unificados (CEUs) e escolas públicas municipais de São Paulo.

De maneira excepcional, devido às normas de distanciamento social decorrente da pandemia de covid-19, a entrega do prêmio ocorrerá por meio de transmissão on-line, pelos canais do Facebook e YouTube da Secretaria Municipal de Educação.

Este ano serão homenageados três servidores na categoria “Apoio Emérito”, três servidores na categoria “Analista Emérito”, três servidores na categoria “Professor Emérito” e cinco servidores na categoria “Professor em Destaque”, totalizando 14 servidores homenageados. No total, 105 projetos e/ou trabalhos concorreram às premiações.

O Prêmio Educador em Destaque surgiu em 2009, por meio de um Decreto publicado no dia 27 de agosto daquele ano no Diário Oficial da Cidade de São Paulo. Foi criado com a finalidade de estimular e valorizar o trabalho dos professores, identificando experiências pedagógicas que contribuam para o constante aprimoramento da educação no Município de São Paulo. Em 2019 a premiação passou a homenagear também os analistas, que fazem um belíssimo trabalho nos CEUs, e, também, o Quadro de Apoio, ressaltando sua importante e fundamental atuação nas Unidades Educacionais.

Confira os nomes dos finalistas:

Professor em destaque:

Lígia Chiavolella Barbosa De Oliveira

EMEI Nelson Mandela, DRE FB

Projeto: “Grupo Lia de Itamaracá: a ciranda de todas as cores”

Paula De Oliveira Rezende

EMEF Maria Aparecida Rodrigues Cintra, DRE FB

Projeto: “Mulheres Incríveis: dez histórias, dez inspirações”

Renata Lucia Zanatta

EMEF Paulo Prado, DRE PJ

Projeto: “As múltiplas vozes presentes na EJA”

Bruno De Souza Rodrigues Ferreira

EMEF Henrique de Souza Filho, DRE – SM

Projeto: “Gente que faz escola, 30 anos de Henfil: Construindo um documentário sobre a escola”

Sara Mendes De Siqueira

EMEI Professor Alceu Maynard de Araújo, DRE IP

Projeto: “Primeiro acampadentro do Alceu: do fogo nascem os sonhos”

Professor Emérito:

– Aline Patrícia Avelino Ferraz, indicada pela DRE São Mateus

– Maria José Forti, indicada pela DRE Santo Amaro

– Cristovam Da Silva Alves, indicada pela DRE Guaianases

Analista emérito:

– Anderson Silva Coelho – Analista de Informações Cultura e Desporto – Educação Física

CEU Vila Rubi, na Diretoria Regional de Educação da Capela do Socorro

Projeto: “G.A. CEU Vila Rubi”

Dimensão: Atividades Esportivas e Atividades de Promoção ao Lazer;

– Clayton Vieira Lira – Analista de Informações Cultura e Desporto – Educação Física

CEU Azul da Cor do Mar, na Diretoria Regional de Educação de Itaquera

Projeto: “Bravus e Atena, Esporte, Empoderamento e Transformação”

Dimensão: Atividades Esportivas e Atividades de Promoção ao Lazer;

– Adriana Maria Do Espírito Santo Xavier – Analista de Informações Cultura e Desporto – Bibliotecária

CEU Alvarenga, na Diretoria Regional de Educação de Santo Amaro

Projeto: “Peuenos Leitores”

Eixo: Produção de Sentidos

Apoio emérito:

– Daniela Fiusa De Paula Fernandes – Auxiliar Técnico de Educação

CEI Vereador Roberto Gomes Pedrosa, na Diretoria Regional de Educação São Mateus

– Susana Maria De Medeiros – Auxiliar Técnico de Educação

CEI Vila Missionária, na Diretoria Regional de Educação de Santo Amaro.

– Rafael Domingues Pastor Silva – Auxiliar Técnico de Educação

EMEI Odiléia Botta de Matos, na Diretoria Regional de Educação da Capela do Socorro.

 

SPlica: Portal realiza tramitações de licenciamento on-line

Solicitações de projetos de licenciamento de obra serão autuadas, analisadas e tramitadas de maneira virtual

Licenciar uma edificação é indispensável para o funcionamento da mesma. Sempre que houver uma nova reforma ou uma regularização, é necessário ter aprovação da prefeitura para que o local possa operar normalmente. Agora, esse processo pode ser feito de forma on-line pelo Portal de Licenciamento.

Trata-se de um canal de acesso aos sistemas eletrônicos da Prefeitura de São Paulo para a solicitação, tramitação, análise técnica e emissão de documentos relativos ao licenciamento de edificações, como a aprovação do projeto, a regularização da edificação, o parcelamento do solo e outros. Para acessar, clique aqui.

Todo o processo pode ser feito por meio do Aprova Digital, ferramenta utilizada para a análise de processos 100% eletrônica. Para seguir o acesso e a solicitação, é importante ter o acompanhamento de um profissional habilitado, como um engenheiro ou arquiteto. Após criar seu cadastro, é possível escolher qual tipo de processo é necessário para sua edificação.

A modernização vai permitir o reaquecimento do setor da construção civil com aprovações mais céleres e procedimentos transparentes. Caso ainda tenha dúvidas, há um canal de atendimento direto com o cidadão, pelo e-mail: licenciamento@prefeitura.sp.gov.br.

O Portal de Licenciamento é o tema do episódio do SPlica dessa semana. Nele, é possível conferir todo o passo a passo para que a solicitação seja feita com sucesso. Assista ao vídeo, que já está disponível no canal do YouTube.

 

Prefeitura realiza processo seletivo para mais de 300 oportunidades de emprego na área da saúde

O cargo de técnico de enfermagem de terapia intensiva conta com a maior parte das vagas temporárias

A Prefeitura de São Paulo abre processo seletivo para 319 vagas temporárias para o setor da saúde. As oportunidades são em áreas técnicas para um hospital da Zona Norte da capital, preferencialmente para profissionais que residem na região. Os salários variam entre R$ 2.911 e R$ 7.459. As inscrições ocorrem até o dia 15 de dezembro, às 18h, por meio do site www.bit.ly/vagasnocate. A equipe do Cate – Centro de Apoio ao Trabalho e Empreendedorismo fará a pré-seleção para convocar os candidatos que possuírem perfis que se encaixarem nas exigências da empresa e que estejam com disponibilidade para desenvolver as atividades por até 90 dias.

“Este processo seletivo para vagas temporárias na área da saúde além de gerar emprego, em um ano marcado pela crise do coronavírus, também oferece a possibilidade destes profissionais conseguirem uma recolocação ainda em 2020, seja para conciliar com outro trabalho ou como atividade principal. No primeiro semestre o Cate promoveu outras seleções no segmento com mais de 1.000 vagas dedicadas principalmente aos hospitais de campanha da capital.”, diz a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso.

São 200 postos temporários para a colocação de técnico de enfermagem de terapia intensiva, com ganhos de R$ 2.911. É necessário possuir ensino superior completo em Enfermagem. Organizar o ambiente de trabalho, realizar registros e relatórios, comunicação com pacientes e com familiares são algumas das atividades que o prestador de serviços deverá realizar.

A área de enfermagem ainda contempla os cargos de enfermeiro e de profissional especializado em terapia intensiva – salários de até R$ 7459. Ambas as atividades exigem a formação superior completa e documentação profissional ativa.

Quem procura oportunidade para o cargo de fisioterapeuta encontra 45 vagas – salário de R$ 4.994. A formação acadêmica mínima para se candidatar é o ensino superior completo em Fisioterapia. A jornada de trabalho do selecionado será 12X36, das 7h até 19h ou 19h até 7h.

Para a área da fonoaudiologia são três vagas, também temporárias disponíveis, – remuneração de R$ 4.846. Para se candidatar é preciso possuir especialização no setor.

Serviço

Processo seletivo para área da saúde

Dias: Até 15 de dezembro

Horário: 18h

Site: www.bit.ly/vagasnocate

Isolamento social: Capital registrou 38% na última quarta-feira (9)

Cidade continua em quarentena. Novo coronavírus é um inimigo invisível, que ainda está presente

O Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP), do Governo de São Paulo, apontou que a cidade de São Paulo registrou o índice de 38% de isolamento social na última quarta-feira (9). No início de dezembro, todo o estado de São Paulo retornou para a fase amarela do Plano São Paulo, endurecendo as restrições para evitar aglomerações e o contágio do vírus.

“Infelizmente nós ainda estamos vivenciando uma pandemia, que vem mostrado nas últimas três semanas um aumento nas médias móveis de mortes, de internações e de casos. Portanto, nós não estamos no final da pandemia e, por isso, temos que estar vigilantes com a velocidade de instalação de novos casos, mortes e internações”, disse o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn.

O novo coronavírus é um inimigo invisível, que ainda está presente. Não é hora de baixar a guarda, mas sim retomar os cuidados com os protocolos de higiene e segurança. Se puder, fique em casa, mas se sair, use máscara cobrindo o nariz e a boca (mesmo nos dias mais quentes), limpe as mãos com frequência, mantenha o distanciamento social e evite aglomerações. Essas são as medidas essenciais para o controle da doença.

Especialistas do Centro de Contingência do coronavírus ressaltam que a exigência do isolamento social continua, sobretudo para as pessoas de grupos de risco (como maiores de 60 anos, portadores de doenças cardíacas e/ou crônicas e pacientes imunodeprimidos ou em tratamento oncológico).

“A nossa população deve continuar seguindo os preceitos sanitários de não se aglomerarem, de usarem máscaras, de procurarem ficar em casa e, quando necessário, saírem com responsabilidade”, disse o secretário.

De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), foram registrados 429.324 casos confirmados e 15.505 óbitos pela doença na capital. Outros 630.742 casos e 6.137 óbitos estão em investigação.

“É preciso ter muita atenção aos cuidados neste mês de dezembro. Aquelas frases de boas festas precisam ser substituídas por fique em casa, evite a aglomeração de pessoas. Caso exista a necessidade de uma visita, aos seus pais e avós, ela pode ser feita mantendo os protocolos, com distanciamento, máscaras e um tempo de exposição curto, que faz com que a taxa de contágio seja menor”, alertou o coordenador do Centro de Contingência Covid-19, José Medina.

SIMI-SP

A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social. O SIMI-SP é viabilizado por meio de acordo com as operadoras de telefonia Vivo, Claro, Oi e TIM para que o Governo de São Paulo possa consultar informações agregadas sobre deslocamento no Estado. As informações são aglutinadas e anonimizadas, sem desrespeitar a privacidade de cada usuário. Os dados de georreferenciamento também servem para aprimorar as medidas de isolamento social para enfrentamento ao coronavírus.

__________________________________________

09/12/2020

Cidade de São Paulo institui Plano Municipal de Políticas para Imigrantes

Capital paulista é a primeira do País a desenvolver uma iniciativa estruturada para orientar, monitorar e avaliar as ações em favor da população imigrante

A cidade de São Paulo é uma metrópole cosmopolita que traz as marcas do trabalho e da inventividade de imigrantes de muitos povos que ajudaram na sua construção e expansão ao longo da história. Nesta terça-feira 8/12, a capital consolida sua vocação de receber e integrar diferentes culturas com a publicação no Diário Oficial do Plano Municipal de Políticas para Imigrantes (PPI) 2021-2024, desenvolvido pela Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania com amplo debate e participação ativa do Conselho Municipal de Imigrantes (CMI).

O PPI é inédito no país e têm o reconhecimento de entidades internacionais como do Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) e da Organização Internacional para Migrações (OIM). Sua implementação reforça o papel de vanguarda da cidade de São Paulo na recepção e apoio às pessoas de outros países que vem se estabelecer no município. A capital paulista foi a primeira no país a possuir uma Política Municipal para Imigrantes, instituída por Lei municipal e regulamentada em 2016, o PPI vai aprofundar estas políticas ainda mais com o monitoramento e acompanhamento de metas.

“Não podemos nos esquecer que a cidade de São Paulo é formada por imigrantes do mundo inteiro, e que a nova onda migratória segue tendo a nossa cidade como o destino acolhedor que muitos buscam. Contamos com essa população para construir uma São Paulo mais plural e humana para todos”, afirma a secretária de Direitos Humanos e Cidadania, Claudia Carletto.

Para o representante do ACNUR no Brasil, Jose Egas, “o novo coronavírus está fazendo o mundo se sentir mais vulnerável, pois não respeita fronteiras, ameaça as pessoas e transforma a vida como conhecemos. Esta crise mostra que temos um papel a cumprir, que todas as pessoas fazem a diferença e que cada ação é importante”.

Atualmente cerca de 360 mil imigrantes residem em São Paulo, contemplando um total de 197 nacionalidades. A maior comunidade é a boliviana (estimada em pelo menos 70 mil pessoas), seguida por portugueses, chineses, japoneses, italianos, haitianos, espanhóis, sul-coreanos, argentinos e peruanos.

Política e Plano municipais têm como gênesis a participação colaborativa de imigrantes e poder público. A primeira foi elaborada de forma participativa e transversal por meio de um Comitê Intersetorial, composto por 13 secretarias municipais. O segundo, construído a partir das contribuições dos cerca de 800 imigrantes que participaram da 2ª Conferência Municipal de Políticas para Imigrantes, realizada em novembro do ano passado, traz ações e metas estabelecidas com base em 78 propostas apresentadas na ocasião.

O (CMI) – órgão consultivo composto de forma paritária por imigrantes e poder público municipal e vinculado à Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania – é um dos resultados da implantação da Política Municipal. Esse conselho participa da formulação, implementação, monitoramento e avaliação das medidas implementadas no município em benefício da comunidade imigrante de São Paulo.

Entre outras medidas implantadas nesse contexto e desenvolvidas pela SMDHC e outras secretarias municipais está a criação do Centro de Referência e Atendimento para Imigrantes (CRAI), em novembro de 2014, o programa Portas Abertas, curso de Português para a população migrante nas escolas municipais, as ações para promoção da geração de renda trabalho voltadas para os imigrantes e os centros de acolhimento específicos.

Atendimento a imigrantes em São Paulo

O Centro de Referência e Atendimento para Imigrantes (CRAI), atendeu este ano um total de 4.276 imigrantes.

Localizado no centro da cidade à Rua Major Diogo, 834, Bela Vista, no local é possível obter apoio especializado e multilíngue, orientações sobre regularização migratória e acesso à informações e encaminhamento aos serviços sociais da Prefeitura.

Acesse a publicação do 1º Plano Municipal de Imigrantes na íntegra no link:

Publicações | Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania | Prefeitura da Cidade de São Paulo

 

Boletim diário covid-19 no município de São Paulo

Até esta terça-feira (8), 624.853 pessoas receberam alta após passar pelos hospitais de campanha, da rede municipal, contratualizados e pela Atenção Básica

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), atualiza nesta terça-feira (8), boletim informativo sobre a situação do novo coronavírus na capital paulista nos hospitais da rede municipal e de campanha, contratualizados e Atenção Básica.

Acesse aqui o Boletim Diário – COVID-19 no Município de São Paulo de 8 de dezembro de 2020.

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/boletim-diario-covid-19-no-municipio-de-sao-paulo-1607465835.21

 

Entenda o que é o Inquérito Sorológico, estudo que mapeia a situação da covid-19

Análise indica quantas pessoas na cidade já tiveram contato com o novo coronavírus

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), realiza um estudo analítico na capital que aponta quantas pessoas na cidade já tiveram contato com o novo coronavírus e, assim, nortear as ações da Saúde no controle da pandemia. Trata-se do Inquérito Sorológico

Por meio dessa análise é possível saber como está a defesa da população em relação à doença, com a visão da porcentagem da população que já foi infectada pelo vírus, tendo ou não apresentado sintomas, a cada nova fase do estudo, define mais o perfil da disseminação da doença no município. Isso porque, com os resultados do inquérito, pode-se conhecer melhor o avanço da covid-19 pelas regiões, aprofundar o conhecimento sobre qual o perfil da população mais afetada pela pandemia. O Inquérito Sorológico tem como referência 472 Unidades Básicas de Saúde (UBS), verificando a prevalência do SARS-Covid no município de São Paulo.

Como é realizado o exame

A amostragem é feita por sorteio aleatório na área de abrangência das 472 Unidades Básicas de Saúde e leva em consideração bases do IPTU de 2020, hidrômetros da Sabesp e cadastro da Estratégia Saúde da Família. Os moradores são contatados pelos agentes devidamente identificados com crachá, colete e avental da Saúde municipal. Ao atender o profissional, o morador recebe uma carta de apresentação com o nome e o telefone da UBS e, caso queira, pode fazer contato telefônico e confirmar a indicação da sua residência no sorteio.

O morador da residência sorteada recebe orientações do profissional da saúde sobre o estudo e assina o termo de adesão à pesquisa. Uma amostra de 5 ml de sangue do munícipe é coletada e encaminhada para análise no LabZoo – Laboratório vinculado à Secretaria Municipal da Saúde/COVISA, que subsidia as ações de vigilância epidemiológica do município – onde é realizado um teste rápido através do soro dessa amostra. Após o processamento, o resultado do exame será informado ao munícipe participante do estudo pela UBS de referência.

 

Tiago Camilo é o novo diretor do Centro Olímpico

O ex-judoca e medalhista nas Olimpíadas de Sydney e Pequim será responsável por dez modalidades de alto rendimento no COTP

O Departamento de Gestão do Esporte de Alto Rendimento da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, que administra o Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa, localizado na Zona Sul, tem novo diretor. É o ex-judoca e medalhista nas Olimpíadas de Sydney e Pequim, Tiago Camilo.

“Estou muito feliz por ter sido nomeado. Encaro como um grande desafio, pois grandes atletas passaram por aqui. Meu desejo é fazer um bom trabalho e auxiliar no que puder, trazendo toda a experiência de 20 anos de seleção”, afirmou.

Camilo assume o maior centro público de formação de atletas de alto rendimento do país. São dez modalidades que atendem atletas de 5 a 19 anos.

Medalhista

O ex-judoca é um grande colecionador de medalhas. Durante a sua carreira, acumulou diversas conquistas como o título mundial em 2007, no Rio de Janeiro, e as medalhas nas Olimpíadas de 2000, Sydney, (prata) e 2008, Pequim, (bronze).

 

Rede Fab Lab Livre SP retoma atendimento presencial em oito unidades

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia (SMIT), retomou em outubro o atendimento na rede Fab Lab Livre SP. Até o momento, oito unidades dos laboratórios públicos de fabricação digital foram abertas.

As unidades foram fechadas em função da quarentena, e a retomada segue determinações da portaria nº 747/2020.

A primeira unidade reaberta foi Cidade Tiradentes, na Zona Leste, em setembro. O atendimento está sendo realizado com 35% da capacidade total. Isso significa que são permitidas duas pessoas a cada 2 horas.

Confira abaixo os horários de funcionamento das unidades. O uso só será permitido por meio de agendamento prévio feito pela central telefônica SP156. No momento, as atividades oferecidas são utilização de equipamentos e máquinas e a orientação de projetos.

  • São Joaquim Guarapiranga, Chácara do Jockey, Centro de Formação Cultural Cidade Tiradentes 

Segunda a sexta: 9h-15h

Sábado: 9h-13h

  • Galeria Olido, Vila Itororó, Centro Cultural São Paulo

Segunda a sexta: 10h-16h

Sábado: 10h-14h

  • Centro Cultural da Juventude

Segunda a sexta: 11h-17h

Sábado: 11h-15h

  • Centro Cultural da Penha

Segunda a sexta: 10h-14h

Sábado: 10h-14h

Laboratórios têm protocolos de segurança e uso deve ser agendado no telefone SP156

 

Inscrições para cursos técnicos da Escola Makiguti são prorrogadas até 14 de dezembro

Localizado na Cidade Tiradentes, Escola Makiguti oferece seis cursos na área da saúde

As inscrições para o processo seletivo da Escola Municipal de Educação Profissional e Saúde Pública Professor Makiguti estão prorrogadas até 14 de dezembro. O equipamento, que é administrado pela Fundação Paulistana, entidade vinculada à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, oferece 420 vagas em seis cursos técnicos na área de saúde.

Os cursos técnico são de análises clínicas, farmácia, gerência em saúde, saúde bucal, hemoterapia e cuidados de idosos. A inscrição é válida após o pagamento da taxa de R$ 22,00 até o dia 15/12/2020, o candidato que não efetivar o pagamento da taxa será desclassificado. Os certificados e diplomas são reconhecidos em âmbito nacional em nível auxiliar e técnico.

A duração dos cursos é de três semestres, realizados presencialmente na Escola Makiguti, em Cidade Tiradentes, devido à pandemia os cursos estão no sistema de ensino hibrido, com aulas teóricas on-line e práticas presenciais temporariamente. Os aprovados poderão estudar no período matutino, das 7h50 às 11h30, verpertino, das 14h10 às 17h50, ou noturno, que será das 19h às 22h40, dependendo da disponibilidade do curso escolhido.

Por conta da pandemia, o vestibular será realizado integralmente on-line, por meio de uma redação cujo tema será: “Transformações econômicas, sociais e comportamentais durante a pandemia”. O texto deverá ser enviado até o dia 14 de dezembro pelo site da Vunesp, ou encaminhado por correio para a Fundação Paulistana. A avaliação deve ser manuscrita com caneta de tinta preta em formulário previamente disponibilizado na área do candidato no site da Vunesp.

Serão avaliados coesão e coerência e o uso correto da estrutura quanto ao gênero pedido e seu envio correto seguindo as diretrizes de até 500KB e em uma das seguintes extensões: PDF, PNG, JPG ou JPEG.

A segunda etapa do processo seletivo é baseada na escolaridade cursada em escola pública. Alunos formados na rede pública de ensino recebem 15 pontos na avaliação, e os candidatos que moram e estudam na Cidade Tiradentes recebem outros 15 pontos extras, acrescidos na nota final do exame. A documentação deve ser enviada até 14 de dezembro pelo site da Vunesp.

O resultado final será divulgado dia 13 de janeiro de 2021, no Diário Oficial da Cidade de São Paulo. Além disso, estará disponível para consulta na internet, no site da Vunesp. Para mais informações e efetivação da inscrição no processo seletivo, acesse o site da Vunesp pelo link: http://bit.ly/vestibularmakiguti2021 ou ligue (11) 3874-6300 e (11) 2039-0750. O atendimento funciona das 8h às 20h.

Os cursos

Técnico em Análises Clínicas

Auxilia e executa atividades padronizadas de laboratório – automatizadas ou técnicas clássicas – necessárias ao diagnóstico, nas áreas de parasitologia, microbiologia médica, imunologia, hematologia, bioquímica, biologia molecular e urinálise. Colabora, compondo equipes multidisciplinares, na investigação e implantação de novas tecnologias biomédicas relacionadas às análises clínicas. Opera e zela pelo bom funcionamento do aparato tecnológico de laboratório de saúde. Em sua atuação é requerida a supervisão profissional pertinente, bem como a observância à impossibilidade de divulgação direta de resultados.

Técnico em Saúde Bucal

Atuando na promoção, prevenção e controle das doenças bucais, promove e participa de programas educativos e de saúde bucal, orientando indivíduos e grupos, principalmente com relação à escovação e aplicação de flúor. Participa da realização de estudos epidemiológicos em saúde bucal. Realiza, sob supervisão do cirurgião-dentista, atividades clínicas voltadas para o restabelecimento da saúde, conforto, estética e função mastigatória do indivíduo. Supervisiona, sob delegação, o trabalho do auxiliar de consultório dentário. Controla estoques e gerencia a manutenção do aparato tecnológico presente num consultório dentário.

Técnico em Gerência em Saúde

Participa do planejamento, controle e avaliação da implementação de políticas públicas de saúde. Gerencia serviços e unidades de saúde e seus processos de trabalho. Assessora estudos de custos e viabilidade e desenvolve projetos de gestão em saúde. Participa do tratamento estatístico de indicadores de saúde, além de atuar na previsão e provisão do sistema de estoque, compras e distribuição de material.

Técnico em Farmácia

Realiza operações farmacotécnicas, identificando e classificando os diferentes tipos de produtos e de formas farmacêuticas, sua composição e técnica de preparação. Auxilia na manipulação das diversas formas farmacêuticas alopáticas, fitoterápicas e homeopáticas, assim como de cosméticos, sob a supervisão do farmacêutico. Executa as rotinas de compra, armazenamento e dispensação de produtos, além do controle e manutenção do estoque de produtos e matérias-primas farmacêuticas. Atende as prescrições médicas dos medicamentos e identifica as diversas vias de administração. Utiliza técnicas de atendimento ao cliente, orientando-o sobre o uso correto e a conservação dos medicamentos.

Cuidador de Idosos

Capacita profissionais que buscam trabalhar e/ou empreender na área. Entre os temas abordados estão os cuidados relativos à higiene e à saúde, de forma ética e humanizada, imunização do idoso e medicamentos e Primeiros Socorros. O cuidador de idoso deve ser alguém capaz de ajudar naquilo que estes não podem mais fazer por si só; essa pessoa é responsável em dar apoio e ajuda para suprir às suas necessidades, visando a qualidade e melhoria de vida.

Hemoterapia

O profissional formado no Curso Técnico em Hemoterapia poderá trabalhar em bancos de sangue, hemocentros, serviços de hemoterapia e hematologia terapêutica, diagnóstica e industrial. A hemoterapia é uma prática onde se utiliza o sangue e os seus componentes na forma de terapia em diversas situações nas quais a reposição dos componentes sanguíneos se faz necessária. A técnica vem sendo empregada desde os primórdios da medicina sendo fundamental para salvar vidas. Os avanços na ciência, nessa área, proporcionaram um desenvolvimento da hemoterapia no mundo, promovendo a melhora da qualidade de vida de pacientes e salvando vidas. O profissional da saúde atuante nessa área desempenha um papel essencial e dinâmico, devendo executar um serviço de excelência, garantindo a segurança e a qualidade para os pacientes que fazem uso do sangue proveniente de doações.

Serviço

Processo seletivo 2021 – Escola Makiguti

Inscrições: até 14 de dezembro

Site: http://bit.ly/vestibularmakiguti2021

Entrega da redação e documentos: até 14 de dezembro

Valor da inscrição: R$ 22

 

Mães com covid-19 podem amamentar sem risco para o bebê

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), benefícios do aleitamento superam os riscos de transmissão do coronavírus para a criança

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/maes-com-covid-19-podem-amamentar-sem-risco-para-o-bebe

 

Prefeitura divulga 38º levantamento de ações internacionais de enfrentamento ao coronavírus

Documento é atualizado semanalmente pela equipe de relações internacionais e tem como objetivo contribuir não só com as medidas implementadas em São Paulo, mas também com as decisões de outros governos, cidades e países. A versão publicada nesta segunda (7) é a mais recente

Em 11 de março, a Organização Mundial de Saúde (OMS) decretou o estado de pandemia mundial por coronavírus. Com isso, a área de Relações Internacionais da Prefeitura de São Paulo iniciou um levantamento internacional de ações e boas práticas realizadas para o enfrentamento da Covid-19 com a finalidade de contribuir com as medidas de contenção que estão sendo aplicadas na cidade de São Paulo. A versão publicada nesta segunda (7) é a mais recente.

O documento apresenta diversas ações implementadas por cidades e países, como descontos fiscais e medidas econômicas, políticas de atendimento à população de rua, acolhimento a mulheres e crianças em situação de violência doméstica, medidas e serviços de saúde pública, restrições parciais ou totais de funcionamento de estabelecimentos privados, educação, transporte coletivo, fechamento de fronteiras, entre outros. O principal ponto em comum é o isolamento preventivo obrigatório e monitorado.

“O tempo é de mudanças e solidariedade. O combate ao coronavírus é um desafio mundial e nossas principais armas são a ciência, a informação correta e a responsabilidade social. O momento exige união. Em São Paulo, estamos enfrentando a Covid-19 com muita seriedade e transparência. Nosso esforço está voltado para que o vírus tenha a maior dificuldade de se alastrar e contaminar muita gente ao mesmo tempo. Eu acredito no espírito solidário, criativo e empreendedor de São Paulo”, afirmou o prefeito de São Paulo, Bruno Covas.

Semanalmente, serão disponibilizadas informações pesquisadas pela equipe com o objetivo de contribuir não só com as medidas implementadas em São Paulo, mas também com as decisões de outros governos, cidades e países. Acreditamos que as ações locais são essenciais para contribuir com os desafios globais e a união dos esforços será o grande diferencial no impacto da pandemia no cenário mundial.

“Este é o momento de unirmos nossos esforços a favor da humanidade e em respeito a todos os cidadãos do mundo que estão contribuindo com as medidas de contenção do coronavírus. “Expandir as ações que estão sendo realizadas globalmente vai contribuir com o amparo que a população merece neste cenário”, destaca o secretário de Relações Internacionais, Luiz Alvaro Salles Aguiar de Menezes.

 

Educação lança coleção de livros sobre jogos de tabuleiro

Ação será transmitida ao vivo na página do Facebook na próxima quinta-feira (10), às 15 horas

A Secretaria Municipal de Educação, por meio da Coordenadoria dos Centros Educacionais Unificados (COCEU), lançará na quinta-feira (10) a Coleção Jogos de Tabuleiro. A ação será transmitida ao vivo na página do Facebook (facebook.com/EducaPrefSP) e marcará a comemoração dos 25 anos do Programa Jogos de Tabuleiros com a apresentação de materiais pedagógicos sobre Xadrez, Jogo da Onça, Mancala Awelé e GO.

No evento de lançamento os assessores que contribuíram na construção dos materiais estarão presentes para falar sobre a prática dos jogos e suas concepções culturais.

A coleção de livros do Programa será distribuída às Unidades Educacionais em versão impressa, mas também estará disponível a todos uma versão digital para qualquer interessado ter acesso.

Atualmente, 50 mil estudantes praticam pelo menos um tipo de jogo de tabuleiro nas mais de 300 unidades escolares com projetos registrados. Destes alunos, cerca de 20 mil participaram de algum dos festivais promovidos pela SME. A COCEU estima que cerca de 10 mil professores já concluíram curso de pelo menos um dos jogos que compõem o Programa Jogos de Tabuleiro.

O xadrez foi o primeiro jogo de tabuleiros que surgiu nas escolas municipais de São Paulo como conteúdo pedagógico. O programa também promove a prática de jogos como: Jogo da Onça, Mancala Awelé e GO.

Participações:

Fátima Brum – Coordenadora dos Centros Educacionais Unificados (COCEU);

Marcos Cezar – responsável pelo Programa Jogos de Tabuleiros da Rede Municipal de Educação;

Jefferson Pelikian – Mestre Internacional de Xadrez, foi técnico da Seleção brasileira infanto-juvenil entre 1998 e 2009. Considerado um dos melhores técnicos de Xadrez do Brasil, foi assessor da SME no programa Jogos de Tabuleiro de 2011 a 2019;

Liliane Pereira Braga – dedica-se a culturas afro-diaspóricas e projetos culturais entre África e Américas há décadas. Participou do Núcleo Étnico-Racial da SME, estando na equipe que incluiu o Mancala Awelé no Programa Jogos de Tabuleiro. É assessora técnica do Programa desde 2016;

Marcele Garcia Guerra – mestre em Direito e Doutora em Antropologia Social, ambas pela Universidade de São Paulo, atua como formadora em cursos de História e Cultura Indígena na RME. Desde 2018, é assessora técnica do Programa Jogos de Tabuleiro;

Felipe Herman Van Riemsdijk – campeão brasileiro de Go em 2016 e Presidente do Brasil Nippon Kiin (Associação Brasileira de Go) desde 2018, detém o título de 5º Dan Japonês de Go. Assessor do programa Jogos de Tabuleiro desde 2017, auxiliando na inclusão do jogo na RME.

Lançamento da Coleção Jogos de Tabuleiro

Evento on-line

Data: 10 de dezembro

Horário: 15 horas

Transmissão: facebook.com/EducaPrefSP

 

São Paulo estrutura seu plano de vacinação contra a covid-19

Capital paulista utilizará as 468 Unidades Básicas de Saúde e em torno de 150 postos em lugares estratégicos

A cidade de São Paulo já está com o seu plano de vacinação contra a covid-19 estruturado e seguirá a programação do plano estadual, com início previsto para 25 de janeiro de 2021.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informou segunda-feira (7) que o município utilizará todas as suas 468 Unidades Básicas de Saúde (UBS) para a vacinação contra a covid-19 e disponibilizará em torno de 150 postos satélites pela cidade.

A vacinação será em duas doses com intervalo de 21 dias entre uma e outra.

A partir da liberação da vacina pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o primeiro grupo a ser vacinado é o de profissionais da Saúde, juntamente com as populações indígena e quilombola. Neste grupo, a primeira dose será aplicada a partir de 25 de janeiro e segunda dose, a partir de 15 de fevereiro.

Na sequência, serão imunizadas as pessoas maiores de 75 anos, a primeira dose será aplicada a partir de 8 de fevereiro e a segunda a partir de 1º de março. A vacinação será dividida por faixas etárias. O calendário da primeira fase será concluído com a vacinação das pessoas com idades entre 60 e 64 anos, conforme quadro abaixo.

Além das 468 UBS, os 150 postos satélites serão locais estratégicos e com grande movimentação de pessoas como praças, shoppings, estações de metrô, terminais de ônibus e pontos comerciais, visando facilitar o acesso ao público-alvo da campanha de vacinação.

Esta estratégia de postos satélites já é utilizada nas campanhas de vacinação da SMS ao longo dos anos. Os locais são definidos pelas Coordenadorias Regionais de Saúde e visam o alcance do maior número de pessoas elegíveis para cada fase da vacinação.

A Prefeitura de São Paulo anunciou também que a compra de insumos (seringas e agulhas) já foi realizada, bem como a logística de transporte refrigerado da vacina já foi elaborada. Veja abaixo o calendário de vacinação:

A cidade de São Paulo já está com o seu plano de vacinação contra a covid-19 estruturado e seguirá a programação do plano estadual, com início previsto para 25 de janeiro de 2021.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informou segunda-feira (7) que o município utilizará todas as suas 468 Unidades Básicas de Saúde (UBS) para a vacinação contra a covid-19 e disponibilizará em torno de 150 postos satélites pela cidade.

A vacinação será em duas doses com intervalo de 21 dias entre uma e outra.

A partir da liberação da vacina pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o primeiro grupo a ser vacinado é o de profissionais da Saúde, juntamente com as populações indígena e quilombola. Neste grupo, a primeira dose será aplicada a partir de 25 de janeiro e segunda dose, a partir de 15 de fevereiro.

Na sequência, serão imunizadas as pessoas maiores de 75 anos, a primeira dose será aplicada a partir de 8 de fevereiro e a segunda a partir de 1º de março. A vacinação será dividida por faixas etárias. O calendário da primeira fase será concluído com a vacinação das pessoas com idades entre 60 e 64 anos, conforme quadro abaixo.

Além das 468 UBS, os 150 postos satélites serão locais estratégicos e com grande movimentação de pessoas como praças, shoppings, estações de metrô, terminais de ônibus e pontos comerciais, visando facilitar o acesso ao público-alvo da campanha de vacinação.

Esta estratégia de postos satélites já é utilizada nas campanhas de vacinação da SMS ao longo dos anos. Os locais são definidos pelas Coordenadorias Regionais de Saúde e visam o alcance do maior número de pessoas elegíveis para cada fase da vacinação.

A Prefeitura de São Paulo anunciou também que a compra de insumos (seringas e agulhas) já foi realizada, bem como a logística de transporte refrigerado da vacina já foi elaborada. Veja abaixo o calendário de vacinação:

A cidade de São Paulo já está com o seu plano de vacinação contra a covid-19 estruturado e seguirá a programação do plano estadual, com início previsto para 25 de janeiro de 2021.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) informou segunda-feira (7) que o município utilizará todas as suas 468 Unidades Básicas de Saúde (UBS) para a vacinação contra a covid-19 e disponibilizará em torno de 150 postos satélites pela cidade.

A vacinação será em duas doses com intervalo de 21 dias entre uma e outra.

A partir da liberação da vacina pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o primeiro grupo a ser vacinado é o de profissionais da Saúde, juntamente com as populações indígena e quilombola. Neste grupo, a primeira dose será aplicada a partir de 25 de janeiro e segunda dose, a partir de 15 de fevereiro.

Na sequência, serão imunizadas as pessoas maiores de 75 anos, a primeira dose será aplicada a partir de 8 de fevereiro e a segunda a partir de 1º de março. A vacinação será dividida por faixas etárias. O calendário da primeira fase será concluído com a vacinação das pessoas com idades entre 60 e 64 anos, conforme quadro abaixo.

Além das 468 UBS, os 150 postos satélites serão locais estratégicos e com grande movimentação de pessoas como praças, shoppings, estações de metrô, terminais de ônibus e pontos comerciais, visando facilitar o acesso ao público-alvo da campanha de vacinação.

Esta estratégia de postos satélites já é utilizada nas campanhas de vacinação da SMS ao longo dos anos. Os locais são definidos pelas Coordenadorias Regionais de Saúde e visam o alcance do maior número de pessoas elegíveis para cada fase da vacinação.

A Prefeitura de São Paulo anunciou também que a compra de insumos (seringas e agulhas) já foi realizada, bem como a logística de transporte refrigerado da vacina já foi elaborada. Veja abaixo o calendário de vacinação:

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/sao-paulo-estrutura-seu-plano-de-vacinacao-contra-a-covid-19

____________________________________________

08/12/2020

Boletim diário Covid-19 no município de São Paulo

Até esta segunda-feira (7), 624.773 pessoas receberam alta após passar pelos hospitais de campanha, da rede municipal, contratualizados e pela Atenção Básica

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo atualiza nesta segunda-feira (7), boletim informativo sobre a situação do novo coronavírus na capital paulista nos hospitais da rede municipal e de campanha, contratualizados e Atenção Básica.

Acesse aqui o Boletim Diário – COVID-19 no Município de São Paulo de 7 de dezembro de 2020

De acordo com o documento, foram registrados 424.000 casos confirmados e 15.401 óbitos pela doença na capital. Outros 620.318 casos e 6.125 óbitos estão em investigação.

A taxa de ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) na capital é de 56%, sendo 54% nos hospitais municipais e 83% nos hospitais contratualizados.

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/boletim-diario-covid-19-no-municipio-de-sao-paulo-1607386164.37

 

Mês do forró: São Paulo celebra o ritmo que popularizou a zabumba, o triângulo e a sanfona

Programação integra a Virada Cultural 2020, que começa no próximo sábado (12)

refeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, realiza entre os dias 11 e 13 o show on-line  “Homenagem aos 108 anos de Luiz Gonzaga”. O evento contará com a apresentação de 23 grupos consagrados de forró da cidade e do Brasil. Além disso, a SMC fechou parceria com o Centro de Tradições Nordestinas (CTN). Serão dois dias de shows presenciais, respeitando todos os protocolos do covid-19. As apresentações ocorrem no mesmo final de semana da Virada Cultural (12 e 13 de dezembro).

Por toda a cidade, diversas intervenções irão celebrar o ritmo musical. Entre os destaques está a Sanfonástica mulher-lona, com a artista Livia Mattos. Vestida de picadeiro e lona de circo, ela realiza um mini-concerto ambulante, com sua inseparável sanfona. Já o Paredão do Forró, da designer, diretora de arte, artista plástica e de rua, Letícia Ribeiro Nogueira, presenteará a cidade com 26 colagens na região de Pinheiros, próximo aos tradicionais redutos de casas de shows e bares de forró, homenageando os principais cantores do gênero como Luiz Gonzaga, Genival Lacerda, Dominguinhos e Jackson do Pandeiro, entre outros.

Na Zona Norte, o projeto Piano Itinerante, do músico Enok Virgulino, levará pianistas em cima de um carro de trio elétrico pelas principais avenidas da Freguesia do Ó, Casa Verde e Limão. A cantora Elba Ramalho encerra a programação da Virada Cultural on-line no dia 13, com um show para celebrar o Dia do Forró e os 108 de Luiz Gonzaga. Gravado no Teatro Municipal, com uma banda de cinco músicos, Elba promete uma homenagem especial ao Rei do Baião, com clássicos do gênero.

Os equipamentos da SMC também receberão programação especial para o Mês do Forró. As casas de cultura terão diversas apresentações por meio do Facebook como a música Adriana Sanchez, com o Salve Lua; Tributo a Luiz Gonzaga, em Guaianases; Mês do Forró com Refungá, no Butantã, entre outros. Em São Migue. l, o Trio Amizade fará um espetáculo musical na sacada da casa com limitação de público, 20 lugares demarcados, distanciamento de 1,5 e respeitando as diretrizes das retomadas dos espaços culturais. A Casa de Cultura Itaquera – Raul Seixas realizará uma intervenção de forró na rua com a Banda Severina pelas ruas do bairro.

O Centro Cultural da Vila Formosa realizará o espetáculo on line Cabra é Fêmea. Já no Teatro Flávio Império, a programação conta com a apresentação da artista Adriana Sanchez, com Vira e Mexe (presencial). Ainda em comemoração ao Mês do Forró, pelo perfil https://www.instagram.com/pe_de_manaca, o público poderá assistir, ao vivo, ao show Pé de Manacá – Forró Pé de Mulher, que surgiu do encontro de cinco mulheres e do desejo em comum de cultivar uma troca musical que mantivesse sua centralidade no estudo do forró.

Todos os eventos da programação respeitam os protocolos de segurança relacionados ao covid-19.

Programação do mês do forró

Homenagem aos 108 anos de Luiz Gonzaga

A exibição on-line canais da SPForró

11/12 – Sexta-feira

13h – DJ Douglas Mota

14h – Trio Tarrabufado

15h – Trio Amizade

16h – Trio Flor de Mussambê

17h – Bill Ramos

18h – Cacá Lopes

19h – Trio Sabiá

20h – Enok Virgulino

12/12 – Sábado

13h – DJ Douglas Mota

14h – Trio Raça de Pajeú

15h – Trio Borogodó

16h – Fabinho Zabumbão

17h – Trio Beijo de Moça

18h – Banda Sarrabulho

19h – Diana do Sertão

20h – Bernadete França

13/12 – Domingo

13h – Trio da Lua

14h – Krakatoa Trio

15h – Trio Kabeça Fria

16h – Quarteto Refungá

17h – Banda da Jaca

18h – Bando de Régia

19h – 2 Dobrado

20h – Trio Dona Zefa

Dia do Forró no CTN (Centro de Tradições Nordestinas)

Local: Área externa CTN

12/12 – sábado

16h às 17h – Banda Bicho de Pé

18h às 19h – Adriana Sanchez

20h às 21h – Viva Dominguinhos: Liv Moraes e Trio Macaíba

13/12 – domingo

14h às 15h – Balaio de Baião e Trio Borogodó

16h às 17h – Marisko

18h às 19h – Rastapé

Forró dos Ratos Bike System

Locais: Casa Verde

Freguesia do Ó

Cachoeirinha

Faria LIma

Largo da Batata

Datas: 12/12 – 18h às 20h

13/12 – 16h às 18h

A Sanfonástica mulher-lona – Livia Mattos

Locais: Praça Horácio Sabino (Pinheiros)

CTN (Centro de Tradições Nordestinas)

Data: 13/12, às 16h (Pinheiros) e 18h (CTN)

Paredão do Forró

Local: Av. Faria Lima (próximo ao Canto da Ema).

Datas: 12 e 13/12

Projeto Piano Itinerante – Enok Virgulino

Local: Casa Verde,

Limão

Freguesia do Ó

Encerramento no CTN

Data: 13/12 – 17h às 18h

Elba Ramalho – Homenagem a Luiz Gonzaga, Dominguinhos e Jackson do Pandeiro

Local: Online (gravado no Teatro Municipal de São Paulo)

Data: 13/12, 17h30

Casas de Cultura

Salve Lua, Tributo a Luiz Gonzaga com Adriana Sanchez

Casa de Cultura de Guaianases

03/12, às 18h

Facebook

Mês do Forró com Refungá

Casa de Cultura do Butantã

03/12, às 16h

Facebook

Baile dos Ratos

Casa de Cultura de Cidade Ademar

Dia do Samba quanto o Dia do Forró

06/12, às 15h

Presencial (Carro de som)

Trio Flôr de Mussambê

Casa de Cultura de São Rafael

09/12, às 18h

Facebook

Luiz Wilson

Casa de Cultura de Parelheiros

11/12, às 18h

Facebook

Trio Dona Zefa

Casa de Cultura de Campo Limpo

11/12, às 18h

Facebook

Gustavo Araújo

Casa de Cultura de Parelheiros

12/12, às 18h

Facebook

Trio Macaíba – 20 anos de forró pé de serra

Casa de Cultura Hip Hop Leste

13/12, às 18h

Facebook

Forró do Assaré

Casa de Cultura de São Mateus

13/12, às 18h

Facebook

Forró pra Gonzagão com o Trio Forró tradicional

Casa de Cultura do Tremembé

13/12, às 20h

Facebook

Intervenção artística de forró

Casa de Cultura da Freguesia do Ó

13/12, às 19h

Facebook

Projeto artístico com o Trio amizade

Casa de Cultura de São Miguel

13/12, às 20h

Presencial

Trio Raça do Pajeú

Casa de Cultura de Parelheiros

20/12, às 15h

Facebook

Banda Severina

Casa de Cultura de Itaquera – Raul Seixas

20/12, às 16h

Presencial

Pé de Manacá Forró, rabeca e canto das mulheres

Casa de Cultura da Freguesia do Ó

20/12, às 18h

Youtube

Trio Lua Branca

Casa de Cultura M’boi Mirim

Dia do Forró – Música

18/12, às 19h

Facebook

 

Balaio de Baião

Casa de Cultura da Vila Guilherme

13/12, às 16h

Youtube

Centros culturais de Teatros

Live Cabra é Fêmea

Centro Cultural Vila Formosa

12/12,às 20h

Online

Vira e Mexe – Adriana Sanchez

Teatro Flávio Império

13/12, às 18h

Presencial

Bibliotecas

Pé de Manacá – Forró Pé de Mulher

Página/perfil onde será feita: https://www.instagram.com/pe_de_manaca

Ao Vivo

Biblioteca Adelpha Figueiredo

02/12, às 19h

Biblioteca Marcos Rey

05, 12, às 19h

Biblioteca Chácara do castelo

09/12, 19h

Biblioteca Paulo Duarte

12/12, às 19h

 

Biblioteca Aureliano Leite

18/12, às 19h

 

Centro de Memória do Circo lança “O Diário de Polydoro”, a certidão de nascimento do circo nacional

Livro revela a história, as andanças e o registro original do diário do palhaço Polydoro, que excursionou pelo Brasil e pela América Latina no final do século XIX

Escrito de punho próprio, o Diário de Polydoro é um dos mais antigos e importantes registros históricos do circo brasileiro. A obra, que será lançada na próxima quinta-feira (10) na sede do Centro de Memória, é composta por fac símile do documento original, textos e imagens que contextualizam a história do palhaço e do circo brasileiro. Composto por duas encadernações, o diário dispõe de informações como o nome das cidades por onde seu autor passou, a quantidade de vezes em que lá esteve e o número de espetáculos apresentados.

Em páginas amareladas que atravessaram mais de um século no tempo, nele também encontram-se dados sobre as companhias em que atuou e outras informações registradas pelo palhaço Polydoro – José Ferreira Polydoro (1854-1916) e seus descendentes, entre 1873 e 1921.

O evento será realizado no Dia do Palhaço. Na ocasião, haverá uma grande intervenção artística e circense no Largo do Paissandu, dividida em dois atos: uma dança aérea com os artistas circenses que farão acrobacias verticais no topo do prédio da Galeria Olido, no início da noite, e uma grande projeção, com a vídeo artista Elka Andrello, na parede da Galeria Olido, com fotos históricas dos palhaços brasileiros.

O livro foi concebido e confeccionado no segundo semestre de 2020, durante a pandemia do novo coronavírus, por muitas mãos. Com quase 400 páginas, a obra é composta pela digitalização do documento histórico e outros capítulos que objetivam contextualizar o documento, como uma árvore genealógica da família germinada por José Ferreira Polydoro, que já chegou na sua 5ª geração. Dela também faz parte uma lista de companhias em que Polydoro atuou, acompanhada de históricos de algumas delas, narrados pelo pesquisador Júlio Amaral de Oliveira (1919 – 1990).

Além disso, há uma seção denominada “Itinerância”, em que o leitor poderá acompanhar as andanças de Polydoro e família através de mapas. Ela tem início em 1854 (ano de nascimento do artista), estende-se até 1921 (que é quando a família Polydoro interrompe a escrita do diário) e adentra o ano de 1922, na Semana de Arte Moderna.

Por fim, o capítulo seguinte é composto por textos de pesquisadores convidados. São eles: Alice Viveiros de Castro, Ermínia Silva, Mário Fernando Bolognesi e Walter de Sousa Júnior.

Com este projeto, o Centro de Memória do Circo propõe se debruçar sobre este documento tão importante para a história do circo no Brasil. Para o atual secretário da cultura, Hugo Possolo, o diário é a certidão de nascimento do circo brasileiro:

“Para estabelecer a dimensão necessária do circo no Brasil, O Diário de Polydoro, considerado a certidão de nascimento do circo brasileiro, ultrapassa seu imenso valor, enquanto documento histórico, para se colocar como a expressão de uma emoção que volta ao rosto antes apagado. Vem para ser o entendimento daquilo que uma arte ainda tem a oferecer, especialmente por reconhecer o mérito de gerações que se dedicaram ao ofício, em busca de aplauso e pão, para seguir seus sonhos”, revela Hugo.

Sobre o documento 

O Diário de Polydoro é formado por duas encadernações em capa dura e de tamanhos diferentes. No tamanho menor, encontra-se o que foi escrito de punho próprio pelo palhaço; e no maior, recortes de jornais acerca do seu trabalho.

O documento histórico também abre caminho para observar a itinerância do artista circense, no século XIX. Em 1916, Polydoro já havia participado de 5.983 espetáculos, em 43 anos de carreira, apresentando-se em 82 cidades paulistas, 59 mineiras, 47 fluminenses, 19 gaúchas, oito catarinenses, cinco paranaenses, e uma Capixaba, 13 cidades argentinas oito uruguaias.

Por gerações, o diário se manteve sob a guarda da família. Em 10 de dezembro – Dia do Palhaço – de 2014, Enzo Polydoro, tataraneto do famoso palhaço, transferiu a posse do valioso documento para o Centro de Memória do Circo, que agora, 6 anos depois, lança essa importante obra para a história do circo brasileiro.

Sobre o  Centro de Memória do Circo

Inaugurado no dia 16 de novembro de 2009, o Centro de Memória do Circo, da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, integra o Centro Cultural Olido, localizado num dos mais importantes sítios históricos do circo brasileiro, o Largo do Paissandu. Sua missão é pesquisar, resgatar, reunir, registrar, preservar e difundir o patrimônio material e imaterial do circo brasileiro

.Considerado o coração da instituição, o acervo do Centro de Memória do Circo é constituído por aproximadamente 80 mil documentos, de diferentes suportes e formatos – fotografias, peças gráficas, figurinos, aparelhos, áudios visuais, áudios, virtuais, etc. O Centro de Memória do Circo também abriga a exposição permanente “Hoje Tem Espetáculo”, que já foi vista por 293.000 pessoas, desde sua inauguração em 2012. A instituição também prima por apresentar programação de espetáculos, oficinas, palestras e debates sobre o tema circo. Além de vir realizando, desde 2013, um ciclo voltado para o resgate de saberes circenses, como arquitetura nômade, artes gráficas (tabuletas), gastronomia e figurino circense.

Em 2015, pelo seu trabalho desenvolvido em prol da memória do circo, recebeu a Ordem do Mérito Cultural do Ministério da Cultura; em 2015, foi indicado como instituição do ano, pelo Prêmio Governador do Estado; em 2016, recebeu o Registro Memória do Mundo Brasil, da UNESCO, pelo Arquivo Circo Garcia que se encontra sob sua guarda.

Sobre Polydoro 

José Ferreira Polydoro (1854 – 1916)

Nasceu em 16 de março de 1854, na Ilha de Faial, em Portugal. Aos 13 anos, em 1867, veio para o Brasil, no Rio de Janeiro, onde ficou sob os cuidados de um tio que bancou seus estudos no Colégio Dom Pedro II. Em 1870, ingressou no Clube Ginástico Português, onde recebeu formação de ginástica e trapézio e realizou suas primeiras apresentações. Iniciou sua vida artística na Barraca Luso-brasileira, situada no campo de Sant’Anna. Em 1873, entrou para a Companhia Elias Castro, iniciando assim sua carreira no circo, onde veio a se tornar palhaço. Há quem afirme que o nome Polydoro surgiu da imitação que fazia do ex-ministro do Exército, condecorado pela Guerra do Paraguai, chamado Polydoro.

Ao longo de 43 anos de carreira integrou mais de 50 companhias circenses, como o Circo Bastos, Circo Chiarini, Companhia Candido Ferraz – com quem Polydoro realizou sua primeira turnê no Uruguai e Argentina –, Cia Sampaio, Circo Pery, Circo Americano, Circo Irmãos Carlo, Circo Casali, entre outros.

Foi um dos primeiros palhaços cantores a conquistar respeito do público. Tinha destaque nas matérias publicadas nos jornais sobre os circos e recebeu muitas homenagens através de cartas que eram publicadas nos jornais. Quando integrava o elenco do Circo Pery, em 1881, apresentou-se para o Imperador Dom Pedro II e a Imperatriz Tereza Cristina.

Casou-se duas vezes. Do seu primeiro casamento, com Francisca Azeredo, nasceram três filhas: Astrogilda, Elia – faleceu ainda criança – e Arethuza. Essa chegou a se apresentar com o pai no Circo Pery. Do casamento com Adele Figueirôlla, bailarina e equestre, nasceram dez filhos: Arnaldo, Arabella, Nilo, Saint Clair, Dural, Olga, Luiz, José, Arnaldo e Adelita.

José Ferreira Polydoro faleceu aos 62 anos, em Florianópolis, no dia 02 de novembro de 1916, quando, então, integrava o elenco do Circo Paulistano.

Serviço

Lançamento do livro “O Diário de Polydoro” – quinta-feira (10), às 16h30, no Centro de Memória do Circo (Av. São João, nº 473) e nas redes sociais.

Grátis

 

Virada Cultural 2020: Tudo de Arte, Nada de Aglomeração

Evento, que está na 16ª edição, será realizado sábado (12) e domingo (13) com atividades on-line e intervenções urbanas, distribuídas por todas as regiões da cidade

Confira a programação em: www.viradacultural.prefeitura.sp.gov.br

No próximo sábado (12) e domingo (13), a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, apresenta a 16ª edição da Virada Cultural, que neste ano tem o mote “Tudo de Arte, Nada de Aglomeração”. São mais de 400 atrações, entre atividades on-line e intervenções urbanas, distribuídas por todas as regiões de São Paulo, sem aglomeração de público e pelo mundo, com transmissão virtual. Além das ruas e da Internet, a Virada está em seis teatros, nove centros culturais, 13 casas de cultura e 22 bibliotecas espalhadas por todas as regiões da cidade. O evento, que representa um investimento de R$ 6 milhões, celebra a pluralidade nas mais diversas linguagens artísticas para todas as idades em: artes visuais, circo, dança, literatura, moda, música, performance e teatro, com programação interativa que também prevê rodas de conversa e debates.

A arte e a cultura dão alma à cidade de São Paulo. Nesse momento da pandemia e o retorno à fase amarela do Plano São Paulo, elas se tornam ainda mais relevantes e urgentes para manter todos unidos, apesar da distância imposta pelo cenário atual. A cidade continua em quarentena, mas segue ativa, com a cultura presente em todos os lugares, movimentando a geração de trabalho e renda do setor (são 3.411 pessoas contratadas, entre artistas, técnicos e fornecedores), inspirando e oxigenando o público com a excelência artística de nossas atrações, sem aglomerações e com toda a segurança que a ocasião exige.

Entre as atrações musicais, que abrangem os mais variados ritmos (do samba ao metal, passando pela MPB, o forró, o rap, o reggae e a música clássica), o destaque são os shows que serão transmitidos do Theatro Municipal de São Paulo, como os de Elza Soares e Flavio Renegado, Arnaldo Antunes e Criolo. Gloria Groove, MC Kekel e Renan da Penha, assim como Elba Ramalho, o Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, a Orquestra Sinfônica Municipal e o Terceiro Encontro Nacional de Mulheres na roda do samba, com Mart’nália e Fabiana Cozza, também fazem parte da programação..

Para quem está com saudades de uma festinha, o Clube em Casa reúne os principais DJs da cidade em uma série de apresentações musicais on-line, utilizando como cenário algumas casas de show que atualmente se encontram fechadas por conta da pandemia. São elas: Aparelha Luzia, Casa Caracol, Casa da Luz, Casa do Mancha, Fatiado Discos, Mundo Pensante, Prato do Dia e Tokyo.

Considerada uma das coleções mais importantes da história e “o novo testamento do piano”, as 32 sonatas de piano de Beethoven foram compostas entre 1795 e 1822. Desde então, sua execução na íntegra se tornou um desafio para pianistas do mundo todo e foi realizada raríssimas vezes. Durante a Virada Cultural 2020, o Palco Piano percorre a cidade com mais de 13 pianistas se revezando na execução integral das 32 sonatas que totalizam uma obra prima de 10 horas e 12 minutos. O evento, que será transmitido pela internet, marca as comemorações de 250 anos deste gênio da música.

Também presente na Virada Cultural 2020, o projeto Jazz na Kombi é uma iniciativa de músicos amantes do ritmo, que tem como objetivo devolvê-lo ao seu lugar de origem, a rua, ocupando espaços públicos. Desde 2014, quando o projeto nasceu numa das escadarias da Praça Roosevelt, o Jazz na Kombi vem realizando edições do “Menor Festival de Jazz do Mundo”, além de nove edições do Iquiririm Jazz Festival e participações em eventos como a Mostra Funarte de Festivais de Música das Olimpíadas 2016, no Rio de Janeiro.

Statues on Fire possui cinco turnês pela Europa e desponta como um dos nomes mais promissores do punk e hardcore nacional. Com três discos lançados por gravadoras da Europa e EUA, é uma das maiores de hardcore do Brasil. A banda se apresenta domingo (13), às 14h, presencialmente com restrição de até 50 pessoas, na Casa de Cultura do Butantã. O show será transmitido via Youtube.

Uma intervenção de Itamar Assumpção é a proposta dos coletivos Transverso, Paulestinos, Casadalapa e RaulZito na fachada do Centro Cultural da Penha no domingo, às 17h. O evento terá transmissão on-line pelo facebook /centroculturaldapenha e no MU.ITA – Museu Itamar Assumção (www.itamarassunpção.com).

A instalação Anhagabaú: Um rio de luz e resistência, do Studio Visualfarm, ocupará a nova fonte do vale com projeções, música, dança e arquitetura. Com direção artística de Alexis Anastasiou, um dos VJs pioneiros na arte de videomapping no país, a instalação acontece das 19h de sábado (12) às 4h de domingo, ininterruptamente, com projeções, imagens e texturas nas árvores e na fonte do vale. Ao mesmo tempo, um sistema de som emitirá uma paisagem sonora que dará vida à instalação visual. Além disso, em quatro momentos durante a noite, teremos apresentações da Dança das Turmalinas Negras, grupo de performance paulista formado por garotas pretas. Essas apresentações serão feitas em dois momentos: com a fonte ligada e desligada, criando um diálogo entre corpos humanos, tecnologia e água.

O projeto Empena Feminina faz a ocupação Resultante Peso, realizando intervenções urbana em seis empenas que rodeiam o Minhocão. Serão projetados dez trabalhos de dez mulheres diversas e uma apresentação transmitida on-line em tempo real, com mulheres convocadas para participar nas redes do projeto. A proposta é discutir os diferentes pesos, tanto o físico imposto por uma sociedade patriarcal como o poético e simbólico.

Um dado triste e alarmante neste período de quarentena foi o aumento da violência à mulher. Para discutir isso, a performance on-line Mulheres em Quarentena: o que restou do barro silenciou a mulher, vem como resposta ao silêncio imposto a esse público. Seis mulheres de várias regiões do país, etnias e condições sociais se colocarão de pé por quatro horas. Com a cabeça coberta de argila, elas recebem pingos d’água constantes, que vão desmanchando do decorrer da atuação num loop que irá durar 24 horas. As imagens vêm acompanhadas de um campo sonoro criado especialmente para a ocasião.

Olhar da Onça é uma obra poética visual que busca “sentidos da floresta sobre a cidade”, como propõe a artista e curadora Andreia Duarte, aliada há 20 anos à causa indígena. Serão dez horas seguidas de projeção em prédios na área central de São Paulo sob a perspectiva da floresta, de líderes e de artistas indígenas, reforçando a discussão sobre a importância de pensar a existência para além da humanidade.

Recriar a destruição provocada pelas queimadas na Amazônia no meio da cidade de São Paulo: essa é a proposta da instalação Mata, proposta pelo Midiadub, estúdio de produção criativa interdisciplinar formado por artistas, designers, storytellers e desenvolvedores. Por meio de softwares 3D e de uma trilha sonora imersiva, o paulistano vai poder assistir de perto a Floresta Amazônica sendo consumida pelo fogo.

No Jaraguá, 12 indígenas participam do Grafitaço, no entorno da reserva dos índios Tekoa Pyau, em intercâmbio com outros artistas, em uma ação coletiva que convida para a reflexão sobre a memória, existência e diversidade indígena.

O projeto Circo Volante, da Cia K, traz acrobatas em camas elásticas, malabaristas com elementos de fogo e cenas aéreas em mastros com liras em um palco móvel puxado por uma caminhonete. A estética pós-apocalíptica, inspirada no festival Burning Man, está presente no cenário, no figurino e na ambientação sonora com discotecagem ao vivo. Já o projeto Palco Vertical irá levar shows de dança vertical integrados com o circo contemporâneo à Biblioteca Mário de Andrade e ao Edifício Martinelli.

Em Jardim Suspenso, projeto do Grupo Ares sob iniciativa e direção da acrobata e coreógrafa Mônica Alla, os dançarinos são convidados a ocupar os ares e os sonhos dos espectadores, o impossível se cria para ambos. Seja na parede, seja no chão ou até mesmo voando ou flutuando muito acima do solo, os dançarinos-acrobatas criam imagens que conversam e partem do mundo real, mas que visam expandir o imaginário para além do possível. Imagens se criam dentro de nós e dos espectadores, colocando para os olhos aquilo que a garganta não consegue exprimir.

Na performance de moda Do Palco às Ruas, o público poderá acompanhar, do Centro Cultural São Paulo, a realização de ensaios de moda e de vídeo em tempo real com figurinos de produções líricas e de dança do Theatro Municipal de São Paulo, com 80 figurinos de montagens como Dama das Camélias, Paraíso Perdido, Sagração da Primavera, Madame Butterfly, Turandot e Orfeu.

Já o Drags na Rua convida drag queens para paradas e apresentações de lip sync (sincronia labial) trazendo a cultura das boates LGBTs para as ruas de São Paulo, enquanto o Omolu Atotó – Ritual de cura da cidade em 3 pontos se faz presente através da dança, dos corpos negros, da música e de contações de história sobre a cultura afro-brasileira.

Outra ação antirracista da SMC é a Virada Cultural das Bibliotecas em toda a cidade, que traz as perspectivas indígenas e negras com projetos de exposição em vídeo mapping que levam a literatura (e a fazem ecoar) para além dos muros físicos das comunidades em que se inserem. Ainda no campo da literatura, a Biblioteca Mário de Andrade apresenta o projeto Coro de Vozes, uma intervenção online com 50 autores e autoras das mais diferentes origens, gerações, regiões e estilos que gravaram vídeos com a leitura de trechos inéditos ou escritos nos últimos meses.

O Festival Sem Barreiras, parceria da SMC com a Secretaria Municipal da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida (SMPED), destaca o trabalho de 19 artistas das mais variadas linguagens, como o samba, o rap, o teatro e a fotografia, para dividirem com o público, além de seus talentos, a força da narrativa por um mundo mais justo e empático.

Entre as intervenções visuais, destaque para o lançamento do MAR 360º, plataforma pioneira no mundo a exibir em 360º a arte urbana. Serão exibidas obras de diferentes artistas em suportes como grafite, estêncil e fotografia, em grandes dimensões, feitas para o MAR (Museu de Arte de Rua) de São Paulo – uma parceria entre as secretarias municipais de Cultura, Subprefeituras e Educação – que visa aprimorar a vocação da cidade para a produção de arte urbana e ampliar seu impacto positivo na cultura e identidade de São Paulo.

Ainda no campo das artes visuais, o projeto de arte digital urbana Na Lata, do desenhista André Gola, propõe o rastreamento e visualização dos sentimentos dos habitantes de São Paulo em tempo real. Em “Sentimentos da virada”, ele utiliza animações do personagem ‘Suadinho’, para expressar as emoções dos habitantes da cidade. Os sentimentos são rastreados por um sistema de reconhecimento facial no Instagram e de análise afetiva de textos no Twitter com geolocalização em São Paulo. As “selfies”/animações dos sentimentos correspondentes serão projetados em larga escala em edificações urbanas da cidade durante a Virada Cultural.

No teatro, o espetáculo (In)justiça, da Companhia de Teatro Heliópolis, reflete sobre aspectos do sistema jurídico brasileiro e do conceito de justiça. O espetáculo estreou no ano passado e foi indicado aos prêmios Shell, na categoria Melhor Música, e Aplauso Brasil, como Melhor Espetáculo de Grupo.

Também tem atração pra garotada. A premiada companhia de teatro Pia Fraus apresenta Bichos de Bicicletas. Já em Kombinado não é Caro, do grupo Respeitável Público, quatro artistas mambembes resgatam as brincadeiras infantis esquecidas a bordo de uma Kombi, com técnicas circenses de perna de pau, malabares e equilíbrio e músicas criadas especialmente para o espetáculo.

Prepare as buzinas, regule os faróis e aperte os cintos para uma aventura divertidíssima com a galera do Beatles para Crianças, que apresenta o espetáculo Meu Primeiro Show Rock diretamente do Trio Elétrico Yellow Submarine! Para curtir da janela de casa, das calçadas das ruas ou de dentro do carro com a família, o espetáculo interativo criado pelos educadores Fabio Freire e Gabriel Manetti com a super banda BPC propõe uma passeio pelas canções dos Beatles, permeadas por histórias como Help, A história do Vaso, Octopus Garden e O Sonho Maluco.

O projeto Oficina de Pote, da Cia Caju Azul, vai distribuir mil potes em regiões vulneráveis de São Paulo. Os potes serão um convite para que as crianças e seus cuidadores coloquem a mão na massa e criem suas próprias fantasias e brinquedos. Seu objetivo é desenvolver criatividade, arte e imaginação.

A cultura está presente em todos os lugares da cidade. A segunda maior favela de São Paulo recebe a Virada Cultural Paraisópolis, com atrações para todos os públicos: MPB, sertanejo, reggae, samba, heavy metal, rap, funk, dança de rua e uma apresentação da Orquestra Filarmônica de Paraisópolis.

Outras ações 

Desde março, a Secretaria Municipal de Cultura vem realizando ações para permitir que o setor cultural da cidade enfrente a crise causada pela pandemia do novo coronavírus. Foram antecipados os editais de fomento, num investimento de R$ 65 milhões, além da realização de quatro chamamentos para artistas e técnicos produzirem atividades on- line, do Festival Palco Presente, e da manutenção da programação on-line de 113 equipamentos culturais, incluindo todas as atividades formativas, como oficinas, debates e palestras. Além disso, a Lei Emergencial Aldir Blanc teve o acréscimo de R$ 20 milhões de recursos municipais aos mais de R$ 70 milhões destinados à cidade para atender o setor cultural, somando mais de R$ 90 milhões para o auxílio a espaços e territórios culturais que tiveram suas atividades interrompidas pela pandemia e a realização de diversos editais para movimentar e recuperar as atividades culturais em São Paulo.

 

CadÚnico: mais de 6,5 mil atendimentos nos mutirões durante a pandemia

Prefeitura efetuou cadastros e atualizações nas regiões mais vulneráveis da cidade

A Prefeitura, por meio das secretarias municipais de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) e de Educação (SME), promoveu mutirões semanais para cadastramento e atendimento de dúvidas do Cadastro Único no período entre 13 de julho e 4 de dezembro. Durante estes cinco meses, 13 territórios foram selecionados para atender às regiões de maior vulnerabilidade.

Foram 6.558 atendimentos realizados em 21 Centros Educacionais Unificados (CEUs), aproveitando os espaços que estavam com as aulas suspensas por conta da pandemia. Sapopemba foi o território com o maior número de registros: 1.051 cadastros em uma semana. Os atendimentos seguiram protocolo sanitário, garantindo a organização das filas e equipamentos de proteção para os munícipes.

A partir do CadÚnico, o munícipe pode ter acesso aos programas Bolsa Família, Renda Mínima, Renda Cidadã, Ação Jovem, Benefício de Prestação Continuada, ID Jovem, Carteira do Idoso, Passe Livre, Leve Leite, Viva Leite e Tarifa Social de Energia Elétrica, porém o cadastramento não significa a inclusão automática da família em programas sociais da Prefeitura. A seleção para inclusão nestes programas ocorre de acordo com os critérios de cada programa de benefício social.

As famílias cadastradas devem atualizar o Cadastro Único sempre que houver alteração nos dados prestados ou no prazo máximo de 24 meses contados da última atualização, que pode ser feito por meio de agendamento prévio pelo telefone 156, opção 2, ou no Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), mais próximo

 

Prefeitura anuncia Cozinhando pela Vida III e investimento para produção de marmitas para população vulnerável

Organizações interessadas devem se candidatar via e-mail até às 23h59 do dia 12 de dezembro

Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, anunciou nesta segunda-feira (07) a retomada do Cozinhando pela Vida, que contrata organizações da sociedade civil para a produção de marmitas destinadas à população vulnerável e em situação de rua. Com um investimento total de R$ 1,5 milhão, o edital do projeto está disponível até às 23h59 do dia 12 de dezembro.

“Com o Cozinhando pela Vida I e II, nós distribuímos cerca de 138 mil refeições prontas para a população vulnerável da cidade de São Paulo. O projeto é completo e muito importante, especialmente durante a pandemia do coronavírus, pois além de levarmos alimentos para quem mais precisa, também incentivamos à geração de renda das entidades, que empregarão cozinheiros e profissionais da área que estão desempregados”, destaca a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso.

As propostas deverão atender uma série de requisitos, como, por exemplo, priorizar a compra de insumos e alimentos de comerciantes nos arredores da cozinha utilizada, incentivando o comércio local. A entidade deve, também, contratar no mínimo 20 e no máximo 50 cozinheiros ou profissionais de cozinha que atualmente estejam desempregados e sem alternativa de geração de renda.

O plano de trabalho também prevê o uso de pelo menos uma e no máximo cinco cozinhas que estejam de acordo com as legislações sanitárias vigentes. A distribuição das marmitas deverá ser próxima do local de produção, especialmente em locais de alta vulnerabilidade e insegurança alimentar na cidade. A organização deverá entregar, pelo menos, 500 refeições diariamente e no mínimo 30 mil marmitas até o fim do vínculo de parceria.

“As entidades poderão utilizar cozinhas próprias ou fazer uso de espaços cedidos gratuitamente por parceiros. É interessante destacar que o local de preparo deve ser próximo dos pontos de entrega das marmitas, facilitando o deslocamento da equipe”, comenta Aline Cardoso.

Para participar, a organização deverá produzir um plano de trabalho que deve, obrigatoriamente, conter: identificação, histórico da entidade, público alvo, objetivos e metas, metodologia trabalho, equipe do projeto, composição das receitas e despesas necessárias para o projeto. A proposta deverá ser enviada até às 23h59 do dia 12 de dezembro no e-mail cosan@prefeitura.sp.gov.br. Não serão considerados documentos em meio físico.

Os documentos serão avaliados por uma Comissão de Avaliação, que irá analisar a coesão e coerência do plano de trabalho, quantidade de marmitas produzidas diariamente, valor do repasse solicitado e logística para produção, aquisição de produtos e entrega das refeições. O resultado será publicado no Diário Oficial do município e também no site da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e trabalho: www.prefeitura.sp.gov.br/desenvolvimento

Em caso de dúvidas, os interessados devem encaminhar os questionamentos para o e-mail cosan@prefeitura.sp.gov.br até às 15h do dia 11 de dezembro. Acesse o edital na íntegra e os anexos do plano de trabalho no link: http://www.bit.ly/cozinhandopelavida3

Projeto Cozinhando pela Vida 

A iniciativa, idealizada pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, contrata entidades e organizações da sociedade civil para a produção de marmitas que são direcionadas para a população em situação de rua ou vulnerabilidade econômica e alimentar. Realizado entre julho e outubro, a primeira e segunda edição do projeto contou com a participação de quatro entidades, que totalizaram a produção de 138 mil refeições, entregues nas regiões vulneráveis do centro da cidade e da zona norte de São Paulo.

 

Prefeitura de São Paulo define calendário de pagamento do benefício Renda Básica Emergencial

Em parcela única, mais de 480 mil famílias serão contempladas

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS), informa que 480.146 famílias receberão a partir do dia (9) o pagamento único referente às parcelas de outubro, novembro e dezembro de 2020, no valor de R$ 100/mês, conforme calendário abaixo. A Lei nº 17.504 de 11 de novembro deste ano instituiu o Renda Básica Emergencial para reduzir os efeitos da pandemia causada pelo novo coronavírus.

Pessoas com deficiência, independentemente de idade, receberão um benefício no valor de R$ 200,00/mês, não sendo válido para os que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). O valor será creditado de forma eletrônica.

O Renda Básica Emergencial é um benefício financeiro concedido pela Prefeitura de São Paulo às famílias em situação de vulnerabilidade inscritas no Programa Bolsa Família até setembro de 2020 e também às famílias de trabalhadores ambulantes do comércio informal que atendam aos critérios do Programa Bolsa Família e que possuam Termo de Permissão de Uso (TPU) vigente ou que estejam cadastrados no sistema Tô Legal! para o comércio ou prestação de serviços ambulantes.

O Responsável Familiar (RF) que possuir Conta Fácil, Conta Poupança Fácil ou Poupança na CAIXA receberá o benefício nessa conta. Para quem não possui conta na CAIXA, será aberta uma Conta Poupança Social Digital. Nesse caso, é possível receber o benefício pelo aplicativo “Caixa Tem” em um telefone celular com acesso à Internet. Quem não possuir internet poderá sacar em uma agência da CAIXA, com documento de identificação válido com foto, de acordo com o calendário.

Não é necessário que os munícipes se dirijam aos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), postos do Descomplica SP ou agências da CAIXA para realizar cadastros ou solicitar a abertura de conta, o benefício será gerado automaticamente para as famílias que atendam aos critérios do programa. Os canais de atendimento ao cidadão para dúvidas sobre o benefício são o site da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social e a Central 156.

Aviso aos cidadãos

De acordo com a Coordenação de Gestão de Benefícios (CGB) de São Paulo, 428.142 munícipes receberão um SMS a partir de quarta-feira (9) com a mensagem informando a data do pagamento. As mensagens serão enviadas no dia em que o pagamento cai para cada beneficiário. As 52.004 pessoas que não têm o cadastro de celular receberão uma carta via correio.

As contas que ainda não foram abertas automaticamente são de pessoas com documentação ou CPF irregulares ou alguma informação incompleta no cadastro. Para esses casos, a Prefeitura e a CAIXA estão tomando as ações necessárias para que essas contas sejam abertas o mais breve possível.

O calendário de pagamento será de acordo com o final do número do NIS:

Final do NIS Data do crédito

1 e 2 09/12

3 e 4 10/12

5 e 6 11/12

7 e 8 14/12

9 e 0 15/12

A partir do dia 9 será possível consultar a situação do benefício por meio da Central e do Portal 156.

Serviço: Calendário do Renda Básica Emergencial

Data de início: 09/12/2020 (quarta-feira)

 

Prefeitura aplica avaliação diagnóstica em 292 mil alunos

Testes poderão ser realizados por plataforma on-line. Escolas ficarão abertas e farão atendimento de famílias sem acesso à Internet

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação, iniciou uma grande fase diagnóstica para saber o nível de aprendizado dos estudantes durante o período de isolamento social. Os alunos do 4º ao 9° ano do Ensino Fundamental têm até 22 de dezembro para fazer cinco provas que vão avaliar: Língua Portuguesa, Matemática, Ciências, História e Geografia. Ao todo, mais de 1,4 milhão de avaliações serão realizadas, todas 100% on-line. Alunos do Ensino Médio já foram avaliados.

Os estudantes terão acesso à plataforma do Sistema Educacional de Registro da Aprendizagem (SERAp), através do login (ra+7dígitos do código EOL) e senha (4 últimos dígitos do EOL). Os alunos podem entrar em contato com a escola caso não saibam o código EOL. Para os que não tiverem acesso à internet ou possibilidade de fazer os exames, as escolas estão abertas das 10h às 16h e poderão recebê-los para realização das provas no Laboratório de Educação Digital. Nesses casos é necessário entrar em contato com a unidade para orientação quanto agendamento.

Nesse primeiro momento serão avaliados os ciclos interdisciplinar (4º ao 6° ano) e autoral (do 7º ao 9º ano). Na volta das aulas presenciais, uma avaliação mais abrangente será realizada na rede, para crianças do 2° ao 9° ano. Para o 1º ano, alunos recém-promovidos da pré-escola, o instrumento de acompanhamento da aprendizagem será a sondagem.

A realização das avaliações é de extrema importância para os alunos e para a rede municipal de educação. A pasta adotou medidas conforme indicaram os Conselhos de Educação, de não reprovação. Dessa forma a prova é importante para saber quanto foi possível aprender durante as aulas on-line e para SME preparar programas de recuperação e reforço no próximo ano.

Não houve investimento para essa avaliação, todo o material usado teve como base o Trilhas de Aprendizagem.

Acessibilidade

Todas as provas do Ensino Fundamental contam com tradução para LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais) e transcritas em áudio e audiodescrição para atendimento aos estudantes cegos.

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/prefeitura-aplica-avaliacao-diagnostica-em-292-mil-1

 

Isolamento social: Capital registrou 39% na última segunda-feira (7)

Cidade continua em quarentena. Novo coronavírus é um inimigo invisível, que ainda está presente

O Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP), do Governo de São Paulo, apontou que a cidade de São Paulo registrou o índice de 39% de isolamento social na última segunda-feira (7). No início de dezembro, todo o estado de São Paulo retornou para a fase amarela do Plano São Paulo, endurecendo as restrições para evitar aglomerações e o contágio do vírus.

O novo coronavírus é um inimigo invisível, que ainda está presente. Não é hora de baixar a guarda, mas sim retomar os cuidados com os protocolos de higiene e segurança. Se puder, fique em casa, mas se sair, use máscara cobrindo o nariz e a boca (mesmo nos dias mais quentes), limpe as mãos com frequência, mantenha o distanciamento social e evite aglomerações. Essas são as medidas essenciais para o controle da doença.

Especialistas do Centro de Contingência do coronavírus ressaltam que a exigência do isolamento social continua, sobretudo para as pessoas de grupos de risco (como maiores de 60 anos, portadores de doenças cardíacas e/ou crônicas e pacientes imunodeprimidos ou em tratamento oncológico).

“São Paulo continua em quarentena e o retorno à normalidade ocorrerá somente com a vacinação da população. Só assim impediremos que centenas de vidas sejam ceifadas a cada dia. Enquanto isso, precisamos do apoio da população, nos ajudando com as medidas de prevenção”, afirmou o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn. “Enquanto isso, fiquem em casa. Só saiam quando necessário e, se saírem tenham responsabilidade”, finalizou.

De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), foram registrados 424.000 casos confirmados e 15.401 óbitos pela doença na capital. Outros 620.318 casos e 6.125 óbitos estão em investigação.

SIMI-SP 

A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social. O SIMI-SP é viabilizado por meio de acordo com as operadoras de telefonia Vivo, Claro, Oi e TIM para que o Governo de São Paulo possa consultar informações agregadas sobre deslocamento no Estado. As informações são aglutinadas e anonimizadas, sem desrespeitar a privacidade de cada usuário. Os dados de georreferenciamento também servem para aprimorar as medidas de isolamento social para enfrentamento ao coronavírus.

 

Prefeitura reforma galeria na Rua Brigadeiro Tobias

As obras na via da região central têm previsão de término este mês e irão sanar os problemas de alagamento da área

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal das Subprefeituras, está reformando a galeria de águas pluviais da Rua Brigadeiro Tobias, entre a Rua Mauá e a Avenida Washington Luís, na região central. A Subprefeitura Sé construiu 150 metros lineares de galeria e com a finalização da obra, prevista para este mês, irá sanar os problemas de alagamento enfrentados pelos moradores e comerciantes da área.

Também foram construídos poços de visitas (PV) para facilitar a manutenção e a microdrenagem.

“Vamos refazer aproximadamente 150 metros de extensão de rede de galeria. Esse trecho tem ligação com a galeria principal, que desce pela Rua Mauá, sentido Cantareira”, explicou Donizete Rocha, encarregado da Subprefeitura Sé.

“Aqui era uma área com muitos alagamentos. Com a realização dessa obra não teremos mais esse problema”, disse Antônio Morales, dono de um estabelecimento na região.

As solicitações para este e outros serviços podem ser feitas pelos canais da Central SP156.

Subprefeituras

Desde 2002, com a aprovação da lei 13.399, a cidade de São Paulo passou a contar com as subprefeituras.

As 32 Subprefeituras são “pequenos municípios” e têm o papel de receber pedidos e reclamações da população, e solucionar os problemas apontados, criando um canal mais próximo da administração municipal com a população de cada região. Elas cuidam da manutenção do sistema viário, da rede de drenagem, limpeza urbana, vigilância sanitária e epidemiológica, entre outras responsabilidades.

 

Procuradoria do município retoma serviços presenciais para Dívida Ativa

Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia redesenhou atendimento e digitalizou serviços, que devem ser agendados na central telefônica ou no portal SP156

A Procuradoria Geral do Município (PGM) voltou a realizar atendimento presencial nesta segunda-feira, 7 de dezembro, para casos previamente agendados que envolvam assuntos referentes à Dívida Ativa.

Os atendimentos vão tratar de todos os débitos com a Prefeitura de São Paulo (IPTU, multa de trânsito etc.) que não foram pagos no prazo de vencimento e que já estão em cobrança pela Procuradoria — seja por processo  judicial (execução fiscal) ou extrajudicial, como em protesto, entre outros.

A retomada do atendimento presencial é resultado de uma parceria da PGM com a Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia (SMIT). A digitalização dos serviços, a solução de agendamento e o redesenho do modelo de atendimento foram desenvolvidos pela Coordenadoria de Atendimento ao Cidadão e Modernização em Serviços Públicos (CASP), com parceria da Coordenação de Atendimento Presencial (CAP), ambas da SMIT.

“Estamos inovando nos serviços prestados aos cidadãos, desde a concepção até o atendimento na ponta. Garantia de eficiência e qualidade na resolução das demandas dos munícipes junto à Prefeitura”, afirma o secretário de Inovação de Tecnologia, Juan Quiros.

Os protestos e pedidos de execução fiscal continuam suspensos até 31 de dezembro deste ano.

Também suspensos desde março devido às restrições para prevenção à Covid-19, os atendimentos retornam em novo formato e com equipe reestruturada, com acompanhamento da Coordenadoria de Atendimento Presencial (CAP) da SMIT, mas ainda com a preocupação de evitar aglomerações e garantir a segurança de cidadãos e profissionais.

“A SMIT auxiliou na adequação dos serviços da PGM ao modelo adotado no Descomplica SP e às diretrizes da Política de Atendimento. Digitalizamos quase a totalidade dos serviços, instauramos o atendimento por agendamento, construímos o sistema de Governança, os manuais e procedimentos-padrão, e capacitamos os atendentes e equipe de suporte”, completou o secretário.

Assim, nesta etapa da pandemia, haverá uma triagem prévia e apenas serão agendados atendimentos que não possam ter uma solução por meio dos serviços digitais e a distância implementados pelo órgão nos últimos meses.

A triagem e o agendamento devem ser feitos pelo telefone 156 ou no Portal SP156: www.sp156.prefeitura.sp.gov.br.

Consulte aqui os serviços digitalizados da PGM no SP156, na seção ‘Dívida Ativa’.

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/procuradoria-do-municipio-retoma-servicos-presenciais-para-divida-ativa

 

Inscrições para Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional são prorrogadas até 10 de dezembro

Ao todo, a eleição abre 28 vagas para conselheiros(as), representantes da sociedade civil e seus respectivos suplentes

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, anuncia que o chamamento de candidatos em ingressar na gestão do conselho no biênio 2021-2023 do Comusan – Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, foi prorrogado. Os interessados deverão encaminhar as propostas via e-mail ou presencialmente até 10 de dezembro.

Poderão se inscrever como candidatos(as) às vagas para a composição do COMUSAN as entidades, organizações, grupos e movimentos sociais que se enquadrem nos segmentos, conforme critérios estabelecidos na 6ª Conferência Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional realizada em julho de 2015, seguindo artigo 3º, §2º, do Decreto nº 55.867, de 23 de janeiro de 2015.

No segmento 1 são eletivos de participar: movimentos das mais diversas vertentes que atuem com a temática alimentar e serão priorizados os de reforma agrária e urbana, agricultura familiar e urbana, extrativistas, assalariados rurais, meio ambiente e agroecologia. Além disso, ONGs e Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público que atuem em pró da sociedade em situação de vulnerabilidade social, e, os imigrantes que se encontram na mesma situação. Para este primeiro segmento, serão destinadas 08 vagas para titulares e 08 para suplentes.

Já no segundo agrupamento, serão ofertadas 03 vagas para titulares e 03 para suplentes. Entram nesta divisão entidades sindicais e associados patronais que prestam serviço na área da alimentação, turismo, agronegócios e sistema S, com exceção das empresas multi ou transnacionais. No terceiro segmento, serão ofertadas 05 vagas para titulares e 05 para suplentes, participarão as associações que atuem na área de consultoria de Segurança Alimentar e Nutricional, instituições de ensino e pesquisa e grupos vinculados à Universidades Públicas, priorizando aquelas que atuem com pessoas em situação de alta vulnerabilidade.

No quarto grupo serão ofertadas 08 vagas, sendo 04 para titulares 04 para suplentes, e os participantes devem seguir os seguintes pré-requisitos: entidades que atuam com patologia para necessidades de pessoas especiais, crianças e idosos. Além disso, instituições socioassistenciais que são beneficiárias dos programas de Segurança Alimentar e aquelas que atuem na preservação de doenças ligadas à má nutrição como desnutrição, anemia sobrepeso e obesidade.

O penúltimo grupo oferece 04 vagas para titulares e 04 para suplentes e serão aceitos micro empreendimentos, cooperativismo social, negócios de economia solidária e associações de trabalhadores como agricultores, pescadores, cozinheiros e produtores de comida, sindicatos e centrais sindicais.

Na sexta e última seleção serão inseridos 08 candidatos, divididos entre titulares e suplentes, para aqueles que se enquadram como povos e comunidades tradicionais, povos indígenas, ciganos e população negra.

A candidatura deve ser composta dos seguintes documentos: cópia da carta de princípios ou estatutos, em que apareça a missão e as ações de defesa dos direitos humanos, principalmente no que se refere à uma alimentação adequada; carta do representante legal da entidade, constando nome completo, CPF, número de celular e e-mail; cópia de Ata de Eleição e posse da Diretoria atual, exclusivamente para entidades legalmente constituídas e por último, a fica de inscrição da candidatura da organização (anexo I no edital).

A documentação deverá apresentada obrigatoriamente, pelo e-mail: comusan@prefeitura.sp.gov.br ou presencialmente na Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho – SMDET, situada à Avenida São…

 

Prefeitura realiza nova fase de testagem sorológica em São Paulo

Estudos buscam novas evidências para a ampliação das ações de enfrentamento à covid-19 na capital

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, realiza três novas pesquisas sorológicas na capital paulista, entre elas a inédita avaliação de Sororreversão. Estas ações são implantadas de acordo com o plano de estratégias estruturado para o enfrentamento à covid-19 e subsidiam a gestão municipal na tomada de novas medidas de combate à pandemia.

O primeiro estudo teve início segunda-feira (7) com a implementação de um Censo Sorológico Escolar nos Centros Educacionais Unificados (CEUs), que será realizado com cerca de 1.100 crianças e funcionários.

O objetivo deste novo estudo é continuar a realização de teste sorológico nas escolas municipais de São Paulo, a fim de conhecer a prevalência da infecção pelo SARS-CoV-2 nos professores, alunos e apoiadores. A ação de detecção de anticorpos para covid-19 neste grupo se estende até o dia 10 de dezembro.

A segunda iniciativa é um estudo inédito na capital: a avaliação da Sororreversão. Este processo de retestagem terá início em 14 de dezembro.

Neste cenário, a Prefeitura avalia se os cidadãos reagentes nas fases anteriores das testagens ainda permanecem com anticorpos contra o novo coronavírus. Participarão, novamente por sorteio, munícipes com mais de 18 anos, testados nos inquéritos sorológicos realizados entre os meses de junho e setembro.

Leia também:

Entenda o que é o Inquérito Sorológico, estudo que mapeia a situação da Covid-19

Como contribuir para a saúde mental de crianças e adolescentes durante a pandemia

Conheça as regras para prevenção da Covid-19 em condomínios

Síndrome pós-Covid: as sequelas são muitas e precisam de atenção e tratamento

Estudos apontam que, em alguns casos, a redução da concentração de anticorpos nos soros dos pacientes diminui à medida que se distanciam as datas de infecção de cada caso testado. Desta forma, a Prefeitura planeja testar em dezembro 1.097 pessoas que passaram por testes na primeira etapa do estudo.

O primeiro Inquérito sorológico, realizado em oito fases, auxiliou o poder municipal em ações e estratégias no enfrentamento da covid-19 na cidade.

A terceira ação implementada ainda este mês será justamente a realização de um novo inquérito sorológico adulto, dividido em quatro fases com o sorteio de 5.760 indivíduos em cada etapa. O estudo terá início em 21 de dezembro e as outras três fases serão realizadas nos meses de janeiro e fevereiro de 2021.

Nesse novo estudo, será utilizado o método Elisa, que possui uma sensibilidade específica e características com pontos de corte para as amostras reagentes e não-reagentes, tornando mais precisa a avaliação da variação da concentração de anticorpos na população ao longo do tempo.

Os domicílios escolhidos para os testes serão estratificados por área de abrangência de cada uma das 472 unidades básicas de Saúde.

Com a chegada do final do ano e suas festividades, a circulação de pessoas em decorrência das compras apresenta elevação, mas a população deve evitar aglomerações seja nas ruas ou nos encontros de familiares. O enfrentamento não terminou. A pandemia continua.

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/prefeitura-realiza-nova-fase-de-testagem-sorologica-em-sao-paulo

 

Painel internacional debate meio-ambiente e transporte sustentável

Evento online En Route to Cop26 abordou questões sobre recuperação verde, clima e estratégias dos governos para a recuperação econômica no pós-pandemia

Na última terça-feira (1), o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, participou do evento online En Route to Cop26, realizado pela organização World Resources Institute (WRI) e demais parceiros. Com o objetivo de dialogar sobre a recuperação verde, o transporte sustentável e o clima, os participantes debateram sobre as estratégias dos governos para a recuperação econômica no pós-pandemia, os investimentos em transporte nas cidades para melhorar a saúde, a resiliência econômica e a ação climática, e as políticas da iniciativa privada para aumentar a produtividade e acessibilidade aos clientes e funcionários. O foco foi o debate sobre ações para zerar a emissão de carbono nas cidades.

Logo no início do painel, o CEO do WRI, Andrew Steer, apresentou um panorama sobre a recuperação e o transporte verdes em todo o mundo, destacando os caminhos que os governos devem fortalecer para mudanças reais no contexto da redução e corte da emissão de carbono, como o aproveitamento de dados e estatísticas, estímulos para deslocamentos de bicicleta e caminhadas, eletrificação da frota de transporte público, incluindo veículos escolares e de carga, e ênfase no transporte sob trilhos de pessoas e bens. Steer ressaltou ainda que atualmente os estímulos para os transportes cinzas são muito maiores do que para os transportes verdes, um alerta ao mundo para que as mudanças sejam melhores e mais eficazes.

Em sua fala, o prefeito Bruno Covas comentou sobre a transição da frota de ônibus na capital, que deve reduzir em 55,3% a emissão de gás carbônico em 10 anos, atingindo 100% em 20 anos. Também falou sobre os investimentos para requalificação das calçadas e a manutenção das ciclovias.

“Essas ações demostram o compromisso da Prefeitura de São Paulo com as gerações futuras, que poderão usufruir das mudanças que estão sendo feitas hoje”, comentou o prefeito. A fala foi destacada pelo moderador do evento, Ani Dasgupta, principalmente nas ações de renovação das calçadas em São Paulo, uma política de estímulo que proporciona o deslocamento seguro das pessoas na cidade, que também já havia sido citada por Steer, CEO do WRI.

O evento contou a participação do embaixador do Clima da França, Stéphane Crouzat, da prefeita de Freetown (Serra Leoa), Yvonne Aki-Sawyerr, e da co-diretora do Centro de Desenvolvimento Urbano Sustentável da Universidade de Columbia (EUA), Doutora Jacqueline Klopp. O painel “Recuperação e Transporte Verdes: o que é necessário e como fazer? ” foi mediado pelo diretor-global do WRI Ross Center of Sustainable Cities, Ani Dasgupta.

O En Route to COP26 é um evento de alto nível que busca auxiliar países, cidades e empresas em todo o mundo a impulsionar a ambição, a ação, o planejamento e a implementação do transporte de carbono zero. A videoconferência ocorre 12 meses antes da Conferência do Clima das Nações Unidas (COP26), que foi adiada em 2020 por conta da pandemia do novo coronavírus.

 

Cidade participa de campanha internacional sobre acessibilidade e direitos humanos

Iniciativa busca sensibilizar o público sobre a acessibilidade universal como um fator fundamental para o cumprimento dos direitos humanos nas cidades

A Prefeitura de São Paulo participou do lançamento da campanha “Acessibilidade Universal: Pilar e ponte para os Direitos Humanos e para o Desenvolvimento Sustentável”, que ocorreu paralelamente a 13ª Conferência dos Estados Partes da Convenção sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência, na última segunda (30). Por meio da articulação da equipe internacional da Prefeitura, a capital paulista foi representada pelo secretário municipal da Pessoa com Deficiência (SMPED), Cid Torquato.

O evento online foi organizado pelo Enviado Especial do Secretariado Geral das Nações Unidas sobre Pessoas com Deficiência e Acessibilidade, com apoio da rede Cidades e Governos Locais Unidos (CGLU). Com o objetivo de compartilhar as iniciativas que fortalecem os direitos humanos nas cidades e fomentam um desenvolvimento mais justo, a videoconferência sobre a campanha buscou sensibilizar a população sobre a acessibilidade universal como um fator importante para o cumprimento dos direitos humanos.

Durante o encontro, o representante da cidade de São Paulo apresentou as ações desenvolvidas no município para alcançar a acessibilidade universal e a localização dos direitos humanos. A sessão contou também com a participação da secretária-geral das Cidades e Governos Locais Unidos (CGLU), Emilia Saiz, do presidente da organização World Enable, Victor Pineda, e do diretor do programa World Blind Union, Hannes Juhlin Lagrelius.

A acessibilidade está presente na Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas, no 11º Objetivo de Desenvolvimento Sustentável, que diz respeito à inclusão, segurança, resiliência e sustentabilidade nas cidades e assentamentos humanos. Além disso, a acessibilidade tem sido considerada um elemento fundamental para aprofundar a democracia.

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/cidade-participa-de-evento-de-lancamento-de-uma-campanha-internacional-sobre-acessibilidade-e-direitos-humanos

 

Pista do Centro Olímpico recebe torneio internacional de atletismo

Grande Prêmio Brasil Caixa de Atletismo é válido para obtenção de índice para as Olimpíadas no Japão

A pista de atletismo do Centro Olímpico recebeu o Grande Prêmio Brasil Caixa de Atletismo, disputado nos dias 5 e 6 de dezembro. A competição internacional voltou para São Paulo depois de 25 anos e reuniu 154 atletas de 17 países em 21 provas, 11 no masculino e 10 no feminino.

O campeonato integra o calendário oficial da World Athletics (federação internacional), além de ser uma das principais competições de atletismo a serem realizadas em toda América Latina em 2020, que será válida para obtenção de índice para participar das olimpíadas. Como cada país possui um número limitado de vagas, os atletas só disputarão os Jogos Olímpicos caso atinjam determinado índice.

As duas finais dos 100m, foram vencidas por brasileiros. Vitória Rosa teve o seu melhor resultado do ano com 11.30 (0.3) e Felipe Bardi que confirmou a sua boa temporada fazendo 10.25 (-0.2). Já nos 400m com barreira, venceram os brasileiros, Bianca dos Santos com a marca de 57.40 e Márcio Teles, com 50.60. Darlan Romani, recordista sul-americano de arremesso de peso, foi o campeão com a marca de 20,91m.

Caio Teixeira, o único representante do Centro Olímpico, correu os 400 m com barreiras e ficou em quinto lugar com 51.58 (season best – a melhor marca pessoal dele nesta temporada).

A entrada de público foi proibida por conta da pandemia. O torneio segue as medidas e protocolos de segurança sanitária das autoridades competentes.

 

Prefeitura abre inscrição para Ensino de Jovens e Adultos – EJA 2021

Devido ao período de pandemia, os interessados devem fazer a inscrição on-line

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação, abriu as inscrições para as vagas de Ensino fundamental (1º ao 9º Ano), na modalidade EJA, das Escolas Municipais em 2021. Os estudantes interessados em ingressar na Educação de Jovens e Adultos – EJA deverão ter a idade mínima de 15 anos completos no ato da matrícula. Não é necessário ter comprovante de escolaridade, pois a escola tem condições de fazer uma prova de classificação e determinar a série mais adequada. Mais informações podem ser obtidas na Instrução Normativa Nº 36, de 15 de Outubro de 2020.

Durante o período de pandemia, os interessados em cursar a EJA deverão manifestar interesse por meio de preenchimento de formulário on-line. Cada escola/região tem um link específico para inscrição. Selecione o link abaixo da escola/curso de interesse.

Diretoria Regional de Educação Butantã

EMEF Brasil-Japão

EMEF Deodoro da Fonseca, Mal.

EMEF João XXIII

EMEF José de Alcantara Machado Filho

EMEF Luiz Eduardo Matarazzo, Cde.

EMEF Maria Alice Borges Ghion, Profa.

Diretoria Regional de Educação Campo Limpo

Em breve

Diretoria Regional de Educação Capela do Socorro

EMEF Frei Damião

EMEF CEU Jardim Eliana

EMEF João de Deus Cardoso Melo

EMEF Manoel de Abreu

EMEF CEU Manoel Vieira de Queiroz Filho

EMEF Miguel Vieira Ferreira

EMEF Olegário Mariano

EMEF Plinio Salgado

EMEF Teodomiro Toledo

EMEF CEU Três Lagos

EMEF Vargem Grande

CIEJA Lélia

Diretoria Regional de Educação Freguesia/Brasilândia

EMEF Angelina Maffei Vita, Da.

EMEF Aroldo De Azevedo, Prof.

EMEF Castro Alves.

EMEF Cecilia Moraes De Vasconcelos, Prof.

CIEJA Rose Mary Frasson, Prof.

EMEF  Miltom Campos, Sen.

EMEF Osvaldo Quirino Simões, Prof.

EMEF Primo Pascoli Melare, Prof.

EMEF Sebastião Nogueira De Lima, Des.

EMEF Zilka Salaberry De Carvalho

Diretoria Regional de Educação

EMEF Anna Lamberga Zéglio, Ver.

EMEF Dias Gomes

EMEF Idêmia de Godóy, Profa.

CEU EMEF Inácio Monteiro

CEU EMEF Jambeiro

EMEF Luis Carlos Prestes, Sen.

EMEF Mailson Delane, Prof.

EMEF Saturnino Pereira

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/prefeitura-abre-inscricao-para-ensino-de-jovens-e-adultos-2013-eja-2021

 

Secretaria da Saúde oferece nova programação no YouTube

Vídeos mostram diversidade da linha de cuidado que o SUS oferece na capital

O canal da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) no YouTube está de cara nova. A programação foi repaginada para mostrar a diversidade da linha de cuidado que o SUS oferece na capital. A grade inclui histórias inspiradoras, dicas para o dia a dia, práticas completas, palavras de especialistas e as novidades da gestão pública da saúde municipal, presentando serviços e equipamentos.

A saúde integral de diferentes segmentos da sociedade – mulheres, homens, idosos, comunidade LGBTQIA+ e de todas as populações que recebem atenção especial das políticas públicas da cidade de São Paulo – como a população negra, povos indígenas e pessoas em situação de vulnerabilidade – está na pauta do conteúdo criado pela SMS e pela Prefeitura de São Paulo.

Para não perder nenhuma novidade, basta se inscrever no canal e ativar o sininho. Assim, sempre que entrar um vídeo novo, você será notificado. Conheça a programação semanal e programe-se para acompanhar todas as atualizações do canal.

SEGUNDA-FEIRA – Saúde Zen

O programa vai mostrar o uso de outros recursos terapêuticos em benefício da saúde dos cidadãos e da comunidade. Entre as modalidades estão técnicas da Medicina Tradicional Chinesa como Acupuntura, Fitoterapia e práticas meditativas, Homeopatia, Fitoterapia, Ayuverda (medicina indiana), Ioga, Dança Circular, Reiki, Arteterapia, Musicoterapia, Quiropraxia, Osteopatia e Terapia Comunitária.

TERÇA-FEIRA – Saúde Para Todes

Este é o programa voltado para a saúde da comunidade LGBTQIA+, com assuntos relacionados à saúde dos gays, lésbicas, transexuais e transgêneros. Não vão faltar histórias inspiradoras e surpreendentes e dicas de saúde e bem-estar.

Quarta-feira – Coisa de homem

Os aspectos que envolvem a saúde masculina ocupam a grade na quarta-feira. O programa vai tocar em pontos como a diferença entre homens e mulheres na rotina de cuidados com a saúde, além de qualidade de vida e os hábitos preventivos que colaboram para o envelhecimento saudável.

Saúde é o Bicho

Os animais, sejam os de estimação, de grande porte, silvestres e até aqueles não tão bem-vindos assim, como pernilongos, mosquitos, pombos e as pragas urbanas, também ganham espaço na grade. Prepare-se para um conteúdo com informações variadas sobre saúde, curiosidades e os serviços disponíveis no município (vacinação, posse responsável, adoção, castração e muitos outros temas).

QUINTA-FEIRA – Dona de Mim

Às quintas-feiras, o canal receberá o quadro “Dona de Mim”. Focado na saúde da mulher, o programa trará conversas sobre saúde mental e física, cuidados com a alimentação, com a saúde íntima, direito ao próprio corpo e planejamento familiar.

 SEXTA-FEIRA – AtivaIdade

Velhice não é um fim, mas a possibilidade de novos recomeços. O programa AtivaIdade trará pautas direcionadas ao público 60+, com enfoque em autonomia e independência e nos serviços oferecidos pelo SUS para promover a saúde de quem chegou aos 60 e quer viver mais e melhor.

Minuto Saúde

As notícias da saúde da cidade de São Paulo reunidas em esquetes de 1 minuto para mostrar o que há de mais novo e importante na rede pública

TODAS AS PROGRAMAÇÕES DA MATÉRIA ACIMA TEM IMAGEM NESTE LINK

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/secretaria-da-saude-estreia-nova-programacao-no-youtube

 

Capital participa de webinar sobre o modelo de simulação das Nações Unidas

Realizado pelo Escritório da ONU sobre Drogas e Crimes, evento abordou a educação como ferramenta para a promoção do estado de direito e prevenção da criminalidade

A Prefeitura de São Paulo participou do webinar “MUNs, prevenção à criminalidade e educação para a cidadania global: caminhos educacionais para fortalecer o conhecimento sobre Estado de direito entre jovens”, realizado na última quinta-feira (3) pelo Escritório da ONU sobre Drogas e Crimes (UNODC).

Com o objetivo de dialogar sobre o papel da educação na promoção do estado de direito e prevenção da criminalidade, os participantes abordaram como os MUNs podem encorajar jovens a aprender sobre os desafios globais na justiça criminal. O modelo das Nações Unidas é uma ferramenta educacional interativa que reúne milhões de jovens e educadores anualmente para aprender juntos, debater e encontrar soluções para as mais variadas pautas internacionais.

Na cidade de São Paulo, essa iniciativa é implementada nas escolas da rede pública por meio do programa Modelo de Simulação das Nações Unidas para o Ensino Médio (MONUEM-ERESP), em uma parceria da Secretaria Municipal de Educação (SME) com o Ministério das Relações Exteriores (ERESP), a área de Relações Internacionais da Prefeitura de São Paulo e o Instituto Global Attitude. O programa é aplicado às escolas de Ensino Médio da rede pública, com alunos de 14 a 18 anos que têm a oportunidade de ampliar seu conhecimento sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODSs), as relações internacionais e desenvolver, de maneira prática, habilidades como pesquisa, argumentação, solução de conflitos, empatia e cooperação.

“O MONUEM-ERESP é uma plataforma para a formação de jovens mais engajados com o futuro, que desenvolve habilidades como a mediação de conflito e a empatia, além de mostrar que a diversidade e o respeito são valores fundamentais para a nossa comunidade”, destacou o secretário municipal de Relações Internacionais, Luiz Alvaro Salles Aguiar de Menezes, que representou a capital no evento.

O evento online contou com a participação do assistente sênior do UNODC e Ponto-focal da iniciativa Educação para Justiça no Brasil e sobre assuntos relacionados a Modelos das Nações Unidas, Rodrigo Araujo, do presidente da Associação Brasileira de Modelos das Nações Unidas (ABRAMUN), Eduardo Giugliano, do professor e mestre em Sociologia da Cultura pela Universidad Nacional de Quilmes (Argentina), Matías Penhos, e da diretora da Organização HeforShe em Lisboa, Dussu Djabula.

Durante o webinar, os participantes dialogaram sobre as estratégias para realizar o modelo de simulação da ONU e de que forma os educadores podem atuar para o fortalecimento da liderança jovem. Este evento fez parte da Série de Diálogos Globais: Educação e Justiça, que ocorreu entre os dias 1º e 4 de dezembro com transmissões de debates sobre as respostas para os desafios da educação no mundo.

 

SP 07/12/2020

Boletim diário Covid-19 no município de São Paulo

Até este domingo (6), 624.714 pessoas receberam alta após passar pelos hospitais de campanha, da rede municipal, contratualizados e pela Atenção Básica

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo atualiza neste domingo (6), boletim informativo sobre a situação do novo coronavírus na capital paulista nos hospitais da rede municipal e de campanha, contratualizados e Atenção Básica.

Acesse aqui o Boletim Diário – COVID-19 no Município de São Paulo de 6 de dezembro de 2020

De acordo com o documento, foram registrados 423.775 casos confirmados e 15.373 óbitos pela doença na capital. Outros 619.243 casos e 6.124 óbitos estão em investigação.

A taxa de ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) na capital é de 57%, sendo 55% nos hospitais municipais e 85% nos hospitais contratualizados.

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/boletim-diario-covid-19-no-municipio-de-sao-paulo-1607302087.37

 

Isolamento social: Capital registrou 41% no último sábado (5)

Cidade continua em quarentena. Novo coronavírus é um inimigo invisível, que ainda está presente

O Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP), do Governo de São Paulo, apontou que a cidade de São Paulo registrou o índice de 41% de isolamento social no último sábado (5). No início de dezembro, todo o estado de São Paulo retornou para a fase amarela do Plano São Paulo, endurecendo as restrições para evitar aglomerações e o contágio do vírus.

O novo coronavírus é um inimigo invisível, que ainda está presente. Não é hora de baixar a guarda, mas sim retomar os cuidados com os protocolos de higiene e segurança. Se puder, fique em casa, mas se sair, use máscara cobrindo o nariz e a boca (mesmo nos dias mais quentes), limpe as mãos com frequência, mantenha o distanciamento social e evite aglomerações. Essas são as medidas essenciais para o controle da doença.

Especialistas do Centro de Contingência do coronavírus ressaltam que a exigência do isolamento social continua, sobretudo para as pessoas de grupos de risco (como maiores de 60 anos, portadores de doenças cardíacas e/ou crônicas e pacientes imunodeprimidos ou em tratamento oncológico).

De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), foram registrados 423.021 casos confirmados e 15.347 óbitos pela doença na capital. Outros 617.732 casos e 6.119 óbitos estão em investigação.

SIMI-SP 

A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social. O SIMI-SP é viabilizado por meio de acordo com as operadoras de telefonia Vivo, Claro, Oi e TIM para que o Governo de São Paulo possa consultar informações agregadas sobre deslocamento no Estado. As informações são aglutinadas e anonimizadas, sem desrespeitar a privacidade de cada usuário. Os dados de georreferenciamento também servem para aprimorar as medidas de isolamento social para enfrentamento ao coronavírus.

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/isolamento-social-capital-registrou-41-no-ultimo-sabado-5

 

Prefeitura promove a 8ª Edição do Festival dos Direitos Humanos

Cine-debates, filmes e intervenções artísticas e culturais, além de oficinas temáticas, serão realizadas por plataforma digital até sexta-feira (11)

Começa nesta segunda-feira a 8ª edição do Festival de Direitos Humanos da Prefeitura, que tem como tema principal as “Desigualdades Sociais – Reflexões e Práticas na Educação em Direitos Humanos”. A garantia dos Direitos Humanos é condição primordial para uma sociedade justa e inclusiva e uma questão essencial no desenvolvimento do processo civilizatório do ser humano com espécie.

Durante o festival, que vai desta segunda-feira (7) até sexta-feira (11) , estão programadas mesas, cine-debates, filmes e intervenções artísticas e culturais, além de oficinas temáticas, exclusivamente por plataforma digital, por força da situação de emergência instituída por decreto municipal que impede eventos de aglomeração pública.

“Infelizmente há um processo de desinformação que coloca a questão dos Direitos Humanos como algo menor, voltado para grupos. Os direitos humanos são para todas as pessoas e se as políticas são voltadas para grupos específicos, é somente porque há grupos específicos que são mais vulneráveis a violações de seus direitos,” afirma a secretária municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Claudia Carletto.

O Departamento de Educação em Direitos Humanos da Secretaria é o responsável pela organização do Festival e pela elaboração do conteúdo programático do evento. “O Festival desse ano foi organizado de uma forma para que todos nós possamos nos reconectar à essência do que são os direitos humanos. Discussões como essa são essenciais para que se crie um ambiente frutífero de reflexão, que resulte em boas práticas para a redução das desigualdades em todos os aspectos”, Cássio Rodrigo de Oliveira Silva, coordenador de Educação em Direitos Humanos da SMDHC.

O Festival de Direitos Humanos é realizado anualmente pela Prefeitura em alusão ao Dia Internacional dos Direitos Humanos (10/12). Previsto em lei e parte do Calendário de Eventos da Cidade, cabe à Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania promover o evento, criado para disseminar a cultura dos direitos humanos e da paz.

Em uma parceria com o Programa Agentes do Governo Aberto, serão promovidas oficinas relacionadas a temas como transparência, inovação, participação popular e integridade. A edição de 2020 conta também com a parceria da Universidade São Judas Tadeu, pelo programa de extensão “Educação em Direitos Humanos”.

O Dia Internacional dos Direitos Humanos (10/12) foi oficializado pela Assembleia das Nações Unidas, por ocasião da Declaração Universal dos Direitos Humanos, em 1948, documento elaborado com o objetivo de consolidar uma base internacional sobre o tema, em resposta à situação criada pela Segunda Guerra Mundial.

SERVIÇO

8º Festival de Direitos Humanos – “Desigualdades Sociais: Reflexões e Práticas na Educação em Direitos Humanos”

7 a 11 de dezembro de 2020

As atividades ocorrerão de forma virtual e os links de acesso serão disponibilizados em breve.

Confira  a programação pelo link https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/direitos_humanos/noticias/index.php?p=305543

 

Portal de Licenciamento possibilita emissão instantânea de alvará de aprovação e execução para Habitação de Interesse Social

Procedimento declaratório eletrônico não demandará análise dos técnicos da Prefeitura, mas contará com tecnologia avançada para validação e conferência dos dados apresentados

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Licenciamento, disponibilizou uma nova modalidade de processo eletrônico em seu Portal de Licenciamento. O procedimento “HIS Declaratório” permite, para projetos com até 50 unidades, área de terreno real e escritura com o máximo de 500 m² e até dois blocos, que o Alvará de Aprovação e Execução seja emitido imediatamente à sua solicitação.

A novidade, idealizada e implementada pelo Decreto Municipal nº 59.885/2020 realiza a validação e conferência dos documentos e declarações apresentados pelo interessado no processo, agilizando a obtenção do Alvará ao mesmo tempo em que preserva a segurança da edificação e do interesse público.

O HIS Declaratório deve ser solicitado pelo Portal de Licenciamento, por onde a ferramenta Aprova Digital consulta os bancos de dados da Prefeitura Municipal de São Paulo por meio de APIs (Application Programming Interface), aplicações que permitem integração de diferentes ambientes de dados de forma segura e confiável.

Para esta modalidade, mais de 19 bancos de dados e sistemas oficiais da Prefeitura são consultados simultaneamente por meio das APIs desenvolvidas, possibilitando a realização da conferência inteligente e validação automática dos dados fornecidos pelo munícipe.

O pedido somente poderá ser protocolado pelo Responsável Técnico, que deverá apresentar todos os dados e documentos do projeto, inclusive as plantas simplificadas, podendo ser responsabilizado administrativa, civil, penal e eticamente pelas informações apresentadas.

Essa iniciativa demonstra mais uma vez o compromisso da Prefeitura com a melhoria do ambiente de negócios da cidade e com a promoção da habitação popular. O novo dispositivo não consiste em mera mudança processual, é transformação na forma com que o poder público se relaciona com os cidadãos e os empreendedores, é redução da burocracia e estímulo à realização de novos investimentos.

Acesse aqui o Portal de Licenciamento

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/portal-de-licenciamento-possibilita-emissao-instantanea-de-alvara-de-aprovacao-e-execucao-para-habitacao-de-interesse-social

 

São Paulo tem rede de apoio para meninas e mulheres vítimas de violência doméstica ou sexual

O dia 6 de dezembro marca o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres com a Campanha do Laço Branco

Em 1989, o assassinato de 14 mulheres numa universidade no Canadá comoveu o mundo e deu início ao movimento do Laço Branco de alerta e conscientização. A versão brasileira da Campanha do Laço Branco é coordenada pela Rede de Homens pela Equidade de Gênero (RHEG), que promove eventos e atividades em espaços públicos, escolas, instituições de saúde e empresas para sensibilizar, envolver e mobilizar os homens no engajamento pelo fim da violência contra a mulher.

Um ano depois da criação da Lei Maria da Penha (Lei 11.340/2006), que tipifica as diversas formas de violência contra a mulher, a Lei nº 11.489/2007 institui o dia 6 de dezembro como o Dia Nacional de Mobilização dos Homens pelo Fim da Violência contra as Mulheres, seja ela física, psicológica, moral e/ou patrimonial.

A Área Técnica da Saúde Integral da Mulher da Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), oferece uma rede de apoio, acolhimento, orientação e tratamento de meninas e mulheres vítimas de violência doméstica ou sexual (veja relação de serviços abaixo).

A violência contra as mulheres é um problema de segurança, social e de saúde pública. Os serviços da Rede de Atendimento às Mulheres em situação de violência do município realiza encaminhamentos necessários, construindo um conjunto estratégias comuns de atendimento e acompanhamento.

O boletim de ocorrência deve ser feito, mas não é obrigatório. Atualmente, todos os hospitais, prontos-socorros, Assistências Médicas Ambulatoriais (AMAs), Rede Hora Certa e Unidades Básicas de Saúde (UBS) estão preparados para o primeiro atendimento à mulher vítima de violência sexual.

IST e gravidez

Ao sofrer uma violência sexual, a mulher deve procurar o mais rápido possível um serviço de saúde especializado para receber a profilaxia das Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) e HIV e a contracepção de emergência para evitar a gravidez.

A denúncia da violência sexual e o Boletim de Ocorrência não são obrigatórios para atendimento e interrupção da gravidez.

A legislação brasileira permite a interrupção da gravidez antes de completar 22 semanas em caso de estupro, risco de vida materna e em gestantes portadoras de fetos com anencefalia.

Veja abaixo os serviços disponíveis na cidade de São Paulo para acolhimento, orientação e tratamento de meninas e mulheres vítimas de violência doméstica ou sexual.

HOSPITAIS MUNICIPAIS

Hospital Dr. Mario de Moraes Altenfelder Silva – Vila Nova Cachoeirinha

Avenida Deputado Emílio Carlos, 3.100 – Limão

(11) 3986-1151 – Serviço Social (localizado no ambulatório – sala 12)

(11) 3986-1128 / 3986-1159 – Pronto-Socorro

 

Hospital Prof. Mário Degni – Jardim Sarah

Rua Lucas de Leyde, 257 – Vila Antônio

(11) 3394-9394 (ramais 9395/ 9396/ 9397) – serviço social (próximo à recepção)

 

Hospital Fernando Mauro Pires da Rocha

Estrada de Itapecerica, 1.661 – Vila Maracanã, Campo Limpo

(11) 3394-7504 / 7503 / 7730 e 7469

 

Hospital Municipal Carmino Caricchio

Avenida Celso Garcia, 4.815 – Tatuapé

(11) 3394-7149 ou 3394-6980

 

Hospital Municipal Tide Setúbal

Rua Dr. José Guilherme Eiras, 123 – São Miguel Paulista

(11) 3394-8840 – serviço social (primeiro andar)

 

HOSPITAL ESTADUAL

Hospital Pérola Byington

Avenida Brigadeiro Luiz Antônio, 683 – Bela Vista

(11) 3248-8000 / 3292-9000 (ambulatório)

Centros de Referência a Mulheres em Situação de Violência (CRMs)

Unidades oferecem às mulheres em situação de violência atendimento psicológico, social e jurídico, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Os CRMs oferecem orientação por telefone para mulheres que precisem de apoio e agendamento de atendimento.

Centro

CRM 25 de Março

Rua Líbero Badaró, 137 – 4º andar – Centro

(11) 3106-1100

Norte

CRM Casa Brasilândia

Rua Silvio Bueno Peruche, 538 – Brasilândia

Fone: (11) 3983-4294 / 3984-9816

Sul

CRM Casa Eliane de Grammont

Rua dr. Bacelar, 20 – V. Clementino

Fone: (11) 5549-9339 / 5549-0335

CRM Maria de Lourdes Rodrigues

Rua Dr. Luís da Fonseca Galvão, 145

Parque Maria Helena – Capão Redondo

Fone: (11) 5524-4782

 

Prefeitura de São Paulo inaugura 10 novos Ecopontos

Ao todo, o município conta com 114 unidades que recebem gratuitamente materiais recicláveis, grandes objetos e entulho

Com o intuito de ampliar os equipamentos para o descarte correto de resíduos recicláveis na cidade, a Prefeitura de São Paulo, por meio da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (AMLURB), inaugurou 10 Ecopontos. As unidades contemplam as seguintes Subprefeituras: (1) São Miguel Paulista; (1) Casa Verde/Cachoeirinha; (2) Sapopemba; (1) Jaçanã/Tremembé; (1) Vila Prudente; (1) Mooca; (2) Santo Amaro e (1) Sé.

Com as novas unidades, a capital totaliza 114 Ecopontos, que recebem gratuitamente resíduos recicláveis, restos de poda, grandes objetos (móveis, sofás, etc.), e até (1m³) de entulho. Nessas estruturas o munícipe pode dispor o resíduo em caçambas distintas para cada tipo de material.

De janeiro a outubro deste ano, os Ecopontos receberam 319,3 mil toneladas de resíduos – a adesão dos munícipes aos equipamentos de entrega voluntária reflete na diminuição dos pontos de descarte irregular na cidade. Segundo último levantamento realizado pela AMLURB, o município registrou 1.980 locais com descarte irregular de lixo – 50% a menos que em 2016, quando a cidade registrava cerca de 4 mil pontos.

Vale ressaltar que os equipamentos públicos continuam operando normalmente durante o período de pandemia do covid-19. Por medida de segurança, a fim de evitar contato direto com os munícipes, os funcionários das unidades não estão manuseando os resíduos descartados pela população. O descarte deverá ser feito direto nas caçambas e/ou nos Pontos de Entrega Voluntária (PEV’s).

Os Ecopontos funcionam de segunda a sábado, das 6h às 22h, e aos domingos e feriados, das 6h às 18h. Confira os endereços das novas unidades:

Subprefeitura Sapopemba

+Ecoponto Joaquim Catuna: Rua Luca Conforti ao lado Conj. Habitacional bloco 22

+Ecoponto Reynaldo José: Rua Silvestro Silvestre nº 400

Subprefeitura Santo Amaro

+Ecoponto Vitor Manzini: Praça Dom Francisco de Sousa, nº 635

+Ecoponto Pedro Bueno: Rua João de Léry altura do nº 503

Subprefeitura São Miguel Paulista

+Ecoponto Vitória Popular: Rua El Rey nº 508 – Vila Jacui

Subprefeitura Jaçanã/Tremembé

+Ecoponto Anselmo Machado: Avenida Paulo Lincoln do Valle Pontin alt. n° 550

Subprefeitura Casa Verde/Cachoeirinha

+Ecoponto São Leandro: Rua São Leandro, altura do nº 13

Subprefeitura Sé

+Ecoponto Bela Vista: Rua Quatorze de Julho, altura do nº 360 – República

Subprefeitura Vila Prudente

+Ecoponto Vila Industrial: Rua Lisa Ansorge altura do nº 645 – São Lucas

Subprefeitura Mooca

+ Ecoponto Mooca II: Rua Pantojo, nº 1.147 – Água Rasa

+ Clique aqui e encontre o Ecoponto mais próximo.

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/prefeitura-de-sao-paulo-inaugura-10-novos-ecopontos

 

Limpeza urbana: caminhões ganham decoração natalina

Veículos de coleta e varrição começaram a circular na terça-feira (01/12), em todas as 32 Subprefeituras da capital

Os caminhões de limpeza urbana, que contemplam os serviços de varrição e coleta domiciliar, ganharam uma decoração especial com luzes para celebrar as festas de final de ano, em ação promovida pela Prefeitura de São Paulo, por meio da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (AMLURB), em parceria com os consórcios de varrição e coleta. Os veículos começaram a circular na terça-feira (01/12), em todas as 32 Subprefeituras do município – a iniciativa busca levar o clima natalino para diversas regiões da capital.

Além do roteiro diário, os equipamentos públicos participarão de um desfile nas principais avenidas da cidade, como a Avenida Paulista, Avenida 23 de Maio, Avenida Jacu Pêssego, Marginal Tiête, Praça Campo de Bagatelle, entre outros endereços. A carreata ocorre nos próximos sábados do mês de dezembro, nos dias 05, 12 e 20 e conta com 32 caminhões de limpeza urbana, onde 16 circularão pelo agrupamento Noroeste (Centro, Norte e Oeste), e 16 pelo agrupamento Sudeste (Sul e Leste) – os agentes de limpeza também estarão caracterizados com gorros de natal.

Os veículos decorados passam nas vias recolhendo os sacos de lixo que os agentes deixam após efetuar o serviço de varrição, enquanto os equipamentos de coleta passam nas residências recolhendo os resíduos recicláveis e lixo comum.

Esse é o segundo ano que os veículos de limpeza recebem decoração natalina – a iniciativa aconteceu em 2019, em cerca de 20 veículos.

Confira os roteiros:

  • Agrupamento Sudeste

Rua Dianópolis

Avenida Luis Ignacio de Anhaia Mello

Avenida Sapopemba

Avenida Ragueb Chohfi

Avenida Jacu Pêssego

Avenida Sapopemba

Avenida Adélia Chohfi

Avenida dos Estados

Avenida do Estado

Avenida Dr. Francisco Mesquita

Viaduto Grande São Paulo

Avenida das Juntas Provisórias

Avenida Presidente Tancredo Neves

Complexo Viario Maria Maluf

Avenida Afonso D’ Escragnolle Taunay

Praça Prof. Mario Autuori/ Rua Brasópolis

Viaduto Jabaquara

Avenida Pedro Bueno

Avenida Jornalista Roberto Marinho

Rua Constantino de Souza

Rua Gabriele D’ Annunzio

Avenida Vereador José Diniz

Avenida dos Bandeirantes

Dispersão: debaixo do Corredor Norte-Sul

  • Agrupamento Noroeste

Praça Charles Miller

Avenida Arnolfo Azevedo

Rua Alm. Pereira Guimarães

Avenida Dr. Arnaldo

Viaduto Okuhara Koei

Túnel José Roberto Fanganiello Melhem

Avenida Paulista

Avenida 23 de Maio

Viaduto Pedroso

Rua Rui Barbosa

Rua João Passalaqua

Praça Álvaro de Carvalho Aranha

Rua Santo Antônio

Viaduto Martinho Prado

Rua Nestor Pestana

Rua da Consolação

Rua Cel. Xavier de Toledo

Viaduto do Chá

Avenida Auro Soares de Moura Andrade

Rua Deputado Salvador Julianelli

Avenida Pacaembu

Avenida Dr. Abrahão Ribeiro

Viaduto Pacaembu

Rua Baronesa de Porto Carreiro

Avenida Rudge

Ponte da Casa Verde

Avenida Braz Leme

Praça Heróis da FEB

Avenida Santos Dumont

Praça Campo de Bagatelle

Avenida Santos Dumont

Marginal Tietê

 

Consultório na Rua aumenta atendimentos durante a pandemia

Programa foi reforçado com novos profissionais da saúde para atender pessoas em situação de extrema vulnerabilidade na capital

Há 12 anos, o programa Consultório na Rua, uma parceria da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) e o Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto (BomPar), oferece atendimento à saúde da população em situação de rua na capital. Entre março e outubro, depois de ampliar em 75% o número de colaboradores e criar novas equipes, os atendimentos tiveram um salto superior a 80% durante a pandemia do novo coronavírus.

Até outubro foram realizadas 447.797 consultas. Os atendimentos diários são realizados por 595 profissionais de 25 equipes. O número equivale a um aumento superior a 80% nos acompanhamentos realizados neste período, se comparado aos cinco meses anteriores à pandemia.

A ampliação nos atendimentos foi possível graças ao reforço nas equipes. De 339, o programa passou a contar com 595 profissionais. Estas novas contratações possibilitaram a implantação do serviço noturno, além de aumentar a atuação aos finais de semana e expandir o serviço para outros territórios (áreas com nova cobertura do programa).

Covid-19

As atividades prioritárias, pontuais e de rotina com os moradores em situação de rua foram mantidas durante a pandemia. As equipes fazem abordagens, trabalho de desenvolvimento de vínculos, cadastramento, consultas, curativos, medicações e outros procedimentos, e nenhum deles foi interrompido durante a quarentena.

Durante as abordagens, sintomas da Covid-19 são os primeiros a serem checados e, em casos de suspeitas ou de síndromes gripais, os pacientes são encaminhados aos equipamentos de saúde. De abril até agosto, 987 pessoas foram conduzidas às unidades de saúde municipais nessas condições.

Além dos atendimentos focados em Covid-19, síndromes respiratórias, lesões físicas e comorbidades diversas, o Consultório na Rua realiza também ações exclusivas para vacinação tanto dos moradores em situação de rua como dos que estão em equipamentos sociais da cidade. Entre março e agosto, 10.029 pessoas receberam as vacinas contra gripe, H1N1, pneumo 23 e tríplice viral, que protege do sarampo, caxumba e rubéola.

Equipes

As equipes do Consultório na Rua em parceria com o BomPar são compostas por enfermeiros, assistente social, psicólogo, médico, atendente administrativo, agentes sociais e agentes de saúde, distribuídas nas seis Coordenadorias Regionais de Saúde (CRS) do município (10 no Centro; 2 na Leste; 3 na Norte; 2 na Oeste; 7 na Sudeste e 2 na Sul).

O trabalho é realizado em três turnos, de manhã, à tarde e à noite. Durante o período de pandemia, o programa realizou 16.650 consultas médicas, 24.487 pessoas foram atendidas pela enfermagem e 17.048 pessoas passaram por acompanhamento específico de psicólogos e assistentes sociais. Os problemas mais comuns detectados na população de rua são tuberculose, hipertensão, diabetes, infecções sexualmente transmissíveis, dependência química e transtornos mentais.

A parceria entre o programa e o BomPar já cadastrou, desde antes da pandemia, 12.960 pessoas em situação de vulnerabilidade, por terem alguma comorbidade que precisa de cuidados físicos ou psicológicos. Esses beneficiários recebem acompanhamento diário do caso, atenção e medicação permanentes, fornecidos pelas equipes até o final do tratamento indicado, com apoio do Programa de Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde.

O programa

O Consultório na Rua vai além da assistência médica e psicológica. Desempenha também papel fundamental de reintegração da pessoa em situação de vulnerabilidade à sociedade por meio da inserção no mercado de trabalho. Todos os agentes das equipes do programa já tiveram vivência na rua ou em abrigos, e foram contratados após passar por um processo seletivo.

Muitos deles começam como agentes e, de acordo com as habilidades e projetos pessoais, buscam qualificação profissional e podem ocupar outras funções. Hoje existem ex-agentes de saúde que são assistentes sociais, enfermeiros, auxiliares de enfermagem, interlocutores, amigos confidentes e até médicos.

Uma dessas pessoas é Samira Alves Matos, a primeira mulher trans a trabalhar no Consultório na Rua, que vivia em situação de rua. Em 2013, ela conheceu o projeto como paciente e hoje reconhece o impacto que o programa teve para sua vida. Formanda em Serviço Social desde 2015, Samira hoje atua na frente de atenção à população LGBT+. “Quero poder fazer pelos outros o que fizeram por mim”, disse.

O programa Consultório na Rua é coordenado pela Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo em parceria com o Centro Social Nossa Senhora do Bom Parto (BomPar), Movimento de População de Rua e Pastoral do Povo da Rua. A secretaria mantém ainda uma equipe de Consultório na Rua em parceria com o Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (IABAS).

 

Túnel Papa João Paulo II será interditado para manutenção

A Engenharia de Campo da CET vai monitorar a interdição e orientar o tráfego na região

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), vai monitorar o trânsito nas imediações do Túnel Papa João Paulo II (Anhangabaú), que será interditado parcialmente, de segunda (07) a quinta-feira (10), sempre das 23h30 às 4h do dia seguinte, para serviços de manutenção a serem realizados pela Secretaria das Subprefeituras.

O túnel faz a ligação entre a Avenida Prestes Maia e as Avenidas 9 de Julho e 23 de Maio.

Interdições

– Sentido Aeroporto: segunda (07) e terça-feira (08), das 23h30 às 04h00 do dia seguinte

– Sentido Santana: quarta (09) e quinta-feira (10), das 23h30 às 04h00 do dia seguinte.

A Engenharia de Campo da CET vai monitorar a interdição e orientar o tráfego na região, visando manter as condições de trânsito e preservar a segurança dos usuários da via.

Para informações de trânsito, ocorrências, reclamações, remoções e sugestões, ligue, acesse o site ou baixe o aplicativo SP156. O atendimento é 24 horas por dia.

Recomendações 

– Respeite a sinalização;

– Não estacione em locais sinalizados com cones e/ou cavaletes;

– Ao avistar a canalização de orientação na pista, reduza a velocidade dos veículos para maior segurança.

Você sabia que cuidados simples podem ser adotados na prevenção do covid-19, também conhecido como coronavírus?

– Use máscara;

– Utilize lenços descartáveis e jogue-os no lixo após o uso;

– Cubra sempre o nariz e a boca ao tossir e espirrar, se possível, não utilizando as mãos;

– Lave as mãos frequentemente com água e sabão;

– Evite aglomerações ou locais pouco arejados;

– Evite tocar nos olhos, nariz e boca;

– Não compartilhe objetos de uso pessoal.

 

Jornada do Patrimônio 2020: veja a galeria de fotos

Evento promovido pela Prefeitura de São Paulo aconteceu entre os dias 4 e 6 de dezembro

http://www.capital.sp.gov.br/noticia/jornada-do-patrimonio-veja-a-galeria-de-fotos

 

Prefeitura promove a 8ª Edição do Festival dos Direitos Humanos

Começa nesta segunda-feira a 8ª edição do Festival de Direitos Humanos da Prefeitura de São Paulo que tem como tema principal as “Desigualdades Sociais – Reflexões e Práticas na Educação em Direitos Humanos”. A garantia dos Direitos Humanos é condição primordial para uma sociedade justa e inclusiva e uma questão essencial no desenvolvimento do processo civilizatório do ser humano com espécie.

Durante o festival que vai de 7 a 11 de dezembro, estão programadas mesas, cine-debates, filmes e intervenções artísticas e culturais, além de oficinas temáticas, exclusivamente por plataforma digital, por força da situação de emergência instituída por decreto municipal que impede eventos de aglomeração pública.

“Infelizmente há um processo de desinformação que coloca a questão dos Direitos Humanos como algo menor, voltado para grupos. Os direitos humanos são para todas as pessoas e se as políticas são voltadas para grupos específicos é somente porque há grupos específicos que são mais vulneráveis a violações de seus direitos,” afirma a secretária municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Claudia Carletto.

O Departamento de Educação em Direitos Humanos da Secretaria é o responsável pela organização do Festival e pela elaboração do conteúdo programático do evento. “O Festival desse ano foi organizado de uma forma para que todos nós possamos nos reconectar à essência do que são os direitos humanos. Discussões como essa são essenciais para que se crie um ambiente frutífero de reflexão, que resulte em boas práticas para a redução das desigualdades em todos os aspectos”, Cássio Rodrigo de Oliveira Silva, coordenador de Educação em Direitos Humanos da SMDHC.

O Festival de Direitos Humanos é realizado anualmente pela Prefeitura de São Paulo em alusão ao Dia Internacional dos Direitos Humanos (10/12). Previsto em lei e parte do Calendário de Eventos da Cidade, cabe à Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania promover o evento, criado para disseminar a cultura dos direitos humanos e da paz.

Em uma parceria com o Programa Agentes do Governo Aberto, serão promovidas oficinas relacionadas a temas como transparência, inovação, participação popular e integridade. A edição de 2020 conta também com a parceria da Universidade São Judas Tadeu, pelo programa de extensão “Educação em Direitos Humanos”.

O Dia Internacional dos Direitos Humanos (10/12) foi oficializado pela Assembleia das Nações Unidas, por ocasião da Declaração Universal dos Direitos Humanos, em 1948, documento elaborado com o objetivo de consolidar uma base internacional sobre o tema, em resposta à situação criada pela Segunda Guerra Mundial.

SERVIÇO

8º Festival de Direitos Humanos – “Desigualdades Sociais: Reflexões e Práticas na Educação em Direitos Humanos”

7 a 11 de dezembro de 2020

As atividades ocorrerão de forma virtual e os links de acesso serão disponibilizados em breve.

Confira  a programação pelo link https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/direitos_humanos/noticias/index.php?p=305543

 

Isolamento social: Capital registrou 46% no último domingo (6)

Cidade continua em quarentena. Novo coronavírus é um inimigo invisível, que ainda está presente

O Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP), do Governo de São Paulo, apontou que a cidade de São Paulo registrou o índice de 46% de isolamento social no último domingo (6). No início de dezembro, todo o estado de São Paulo retornou para a fase amarela do Plano São Paulo, endurecendo as restrições para evitar aglomerações e o contágio do vírus.

“A população, ao sair de casa, deve continuar se protegendo, não participando de aglomerações, mantendo o distanciamento social e fazendo a higiene frequente das mãos com o uso correto da máscara”, disse o governador João Doria.

O novo coronavírus é um inimigo invisível, que ainda está presente. Não é hora de baixar a guarda, mas sim retomar os cuidados com os protocolos de higiene e segurança. Se puder, fique em casa, mas se sair, use máscara cobrindo o nariz e a boca (mesmo nos dias mais quentes), limpe as mãos com frequência, mantenha o distanciamento social e evite aglomerações. Essas são as medidas essenciais para o controle da doença.

Especialistas do Centro de Contingência do coronavírus ressaltam que a exigência do isolamento social continua, sobretudo para as pessoas de grupos de risco (como maiores de 60 anos, portadores de doenças cardíacas e/ou crônicas e pacientes imunodeprimidos ou em tratamento oncológico).

“São Paulo continua em quarentena e o retorno à normalidade só ocorrerá com a vacinação da população. Só assim impediremos que centenas de vidas sejam ceifadas a cada dia. Enquanto isso, precisamos do apoio da população nos ajudando com as medidas de prevenção”, afirmou o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn. “Enquanto isso, fiquem em casa. Só saiam quando necessário e, se sair, tenha responsabilidade”, finalizou.

De acordo com o último boletim divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), foram registrados 423.775 casos confirmados e 15.373 óbitos pela doença na capital. Outros 619.243 casos e 6.124 óbitos estão em investigação.

SIMI-SP

A central de inteligência analisa os dados de telefonia móvel para indicar tendências de deslocamento e apontar a eficácia das medidas de isolamento social. O SIMI-SP é viabilizado por meio de acordo com as operadoras de telefonia Vivo, Claro, Oi e TIM para que o Governo de São Paulo possa consultar informações agregadas sobre deslocamento no Estado. As informações são aglutinadas e anonimizadas, sem desrespeitar a privacidade de cada usuário. Os dados de georreferenciamento também servem para aprimorar as medidas de isolamento social para enfrentamento ao coronavírus.

______________________________________________

Definidas as datas das audiências públicas devolutivas do orçamento 2021

Trata-se da última etapa do ciclo de participação da sociedade civil iniciado no mês de maio

As audiências públicas devolutivas do PLOA 2021, última etapa do ciclo de participação da sociedade civil iniciado no mês de maio, ocorrerão entre os dias 7 e 18 de dezembro, de forma on-line, por meio da plataforma e-democracia.

A realização no último mês do ano se deve às eleições municipais, cujas datas foram modificadas em razão da pandemia do novo coronavirus, o que impossibilitou a divulgação e realização de eventos nos canais da Prefeitura durante o período eleitoral, por força de lei.

Por conta do calendário apertado, serão ao todo 10 audiências públicas, uma por dia, cuja divisão respeitou critérios de proximidade geográfica (serão de 2 a 4 Subprefeituras representadas por audiência):

7/dez

Lapa

Pinheiros

 

8/dez

Casa Verde

Freguesia

Perus

Pirituba/Jaraguá

 

9/dez

Jaçanã/Tremembé

Santana

Vila Maria/Vila Guilherme

 

10/dez

Capela do Socorro

Parelheiros

 

11/dez

Cidade Ademar

Santo Amaro

 

14/dez

Ipiranga

Jabaquara

Vila Mariana

 

15/dez

Butantã

Campo Limpo

M’Boi Mirim

 

16/dez

Ermelino Matarazzo

Guaianases

Itaim Paulista

São Miguel Paulista

 

17/dez

Aricanduva/Formosa/Carrão

Mooca

Penha

Vila Prudente

 

18/dez

Cidade Tiradentes

Itaquera

São Mateus

Sapopemba

 

Será apresentado nestas audiências, com a participação de representantes das Secretarias envolvidas, o balanço final das propostas que foram eleitas pela população no mês de julho em votação no site participemais.prefeitura.sp.gov.br, após a análise de viabilidade e incorporação das propostas consideradas viáveis no Projeto de Lei Orçamentária 2021, ainda em trâmite na Câmara Municipal.

 

Programa Rede Cozinha Cidadã distribui refeições para pessoas em situação de rua

Objetivo é garantir a segurança alimentar e nutricional da população em situação de rua da cidade de São Paulo

Com o objetivo de garantir a segurança alimentar e nutricional da população em situação de rua da cidade de São Paulo durante ao enfrentamento à pandemia de coronavírus, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC), implantou o projeto “Rede Cozinha Cidadã”. A iniciativa buscou credenciar estabelecimentos situados no município para fornecer refeições gratuitas, em pontos estratégicos.

Além de garantir refeições a pessoas em situação de vulnerabilidade social, a iniciativa oferece uma oportunidade de renda aos restaurantes ou similares que estavam fechados ou com limitação de funcionamento, proporcionando a manutenção da cadeia produtiva de alimentos.

 

Estudantes são acompanhados em programa de visitação domiciliar

Projeto atenderá mais de 11 mil alunos com deficiência e em situação de vulnerabilidade social

Mais de 11 mil crianças com deficiência ou em situação de alta vulnerabilidade social residentes nos seis distritos com menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da cidade de São Paulo serão acompanhados por agentes da rede municipal de ensino em visitas domiciliares. Uma parceria das secretarias municipais de Educação (SME), Saúde (SMS), e Assistência e Desenvolvimento Social (SMADS) com a Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), que atende não apenas alunos matriculados nas escolas da prefeitura.

Inicialmente o programa da Prefeitura era dedicado ao acompanhamento de seis mil crianças com deficiência, por meio do Projeto Rede. Ao longo do período de pandemia por covid-19, os termos de colaboração com algumas entidades foram alterados para que fossem contempladas outras 5.700 crianças em situação de alta vulnerabilidade social, sobretudo os que estão na primeira infância.

Com o objetivo de ouvir quem está na ponta, as equipes da Secretaria da Educação fazem a visita casa a casa, fornecendo informações, colhendo sugestões, além de realizar o acompanhamento das crianças. Os agentes verificam, por exemplo, se a família faz parte de programas assistenciais, se a carteira de vacinação está em dia e se os materiais enviados pela educação foram entregues.

A iniciativa garante os atendimentos necessários, sobretudo neste período de afastamento social, estimulando pais e alunos, e assim evitar possíveis evasões escolares, principalmente enquanto esses alunos não retornarem às aulas presenciais.

A escolha de cada criança é realizada por meio do CadÚnico e conforme os primeiros resultados de atendimento neste retorno gradual das aulas presenciais nas escolas públicas da capital.

 

Rede Fab Lab Livre SP retoma atendimento presencial em todas as unidades

Laboratórios tem protocolos de segurança e uso deve ser agendado no telefone SP156

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Inovação e Tecnologia (SMIT), retomou o atendimento nas 12 unidades da rede Fab Lab Livre SP de laboratórios públicos de fabricação digital.

As unidades foram fechadas em função da quarentena, e a retomada segue determinações da portaria nº 747/2020.

A primeira unidade reaberta foi Cidade Tiradentes, na zona leste, em setembro. O atendimento será feito com 35% da capacidade total. Isso significa que serão permitidas 2 (duas) pessoas a cada 2 horas.

As unidades funcionarão de 9h às 15h40, e o uso só será permitido por meio de agendamento prévio feito pela central telefônica SP156.

Por enquanto, as atividades oferecidas serão orientação e desenvolvimento de projetos.

 

Cerca de 35 mil estudantes participam de encontro on-line de grêmios estudantis

I Encontro Municipal começa nesta segunda-feira (30) e será realizado até sexta-feira (4), com a participação de 570 agremiações

A partir desta segunda-feira (30) e entre os dias 30 de novembro e a próxima sexta-feira (4), estudantes de 570 unidades educacionais municipais de São Paulo participarão de forma on-line do 1º Encontro Municipal dos Grêmios Estudantis. A iniciativa contará com especialistas, professores e adolescentes falando sobre assuntos como: saúde mental, música participação, tecnologia, autonomia, inclusão, racismo e diversidade de gênero.

Todo o encontro foi construído e pensado pelos estudantes gremistas e também por seus professores. Eles apontaram as temáticas que consideram mais necessárias e importantes para serem discutidas por todas as crianças, adolescentes, jovens e adultos que estudam na Rede Municipal de Educação. A organização do evento estima que ocorra cerca de 35 mil participações durante os cinco dias.

A programação será totalmente on-line e contará com debates organizados em cinco polos, oficinas virtuais e transmissões ao vivo que poderão ser assistidas por qualquer pessoa que acessar o canal do YouTube da Secretaria Municipal de Educação de São Paulo.

Confira a programação completa:

30/11/2020

TARDE: 15H – DURAÇÃO: 1H30

LIVE – Participação, Autonomia e Inclusão

Especialista: Anna Penido

Professora: Paula Gallego |Estudantes: Fernando Angelis e Matheus Ricardo do Grêmio Força Jovem, da EMEF Firmino Tibúrcio da Costa

Apresentação Cultural

Link para assistir: https://bit.ly/Educaprefsp)

 

01/12/2020

Manhã:  10H – 11H

Salas temáticas on-line

Temática: Saúde Mental

Polos:

1 – DREs Butantã/Campo Limpo

2 – DREs Itaquera/Penha

3 – DREs Ipiranga/Capela do Socorro/ Santo Amaro

4 – DREs Pirituba-Jaraguá/Freguesia-Brasilândia/Jaçanã-Tremembé

5 – DREs Guaianases/Miguel Paulista/São Mateus

TARDE: 15H – DURAÇÃO: 1H30

LIVE – Saúde Mental

Especialista: Drª Elza Maria Branco Padrão

Professora: Isis Santana | Estudante: Leonardo Castro da EMEF Vereadora Anna Lamberga Zeglio, do Grêmio O Futuro é Agora.

Canal YouTube: https://bit.ly/Educaprefsp)

 

02/12/2020

Manhã:  10H – 11H

Salas temáticas on-line

Temática: Racismo e Diversidade de Gênero

Polos:

1 – DREs Butantã/Campo Limpo

2 – DREs Itaquera/Penha

3 – DREs Ipiranga/Capela do Socorro/ Santo Amaro

4 – DREs Pirituba-Jaraguá/Freguesia-Brasilândia/Jaçanã-Tremembé

5 – DREs Guaianases/Miguel Paulista/São Mateus

TARDE: 15H – DURAÇÃO: 1H30

LIVE – Racismo e Diversidade de Gênero

Especialistas: Luciana Alves e Cássio Rodrigo

Professor: Fernando Augusto | Estudante: Yasmin Barbosa da EMEF Raimundo Correia

Canal YouTube: https://bit.ly/Educaprefsp)

 

03/12/2020

OFICINAS ON-LINE – MANHÃ: 10h – 12h30

Cartografeto – Cartografia Afetiva do Território – Manhã: 10h – 12h30

Agente de Governo Aberto: Arivonaldo Junior

A oficina irá promover a troca de saberes entre os participantes na construção de um processo de reconhecimento do seu território de vivência e potencialização do diálogo e convívio com as diferenças.

Link de inscrição

Link para participação da Oficina: https://meet.google.com/fdq-cqye-tfc

Musicando a Política: Música e linguagem cidadã – Manhã: 10h – 12h30

Agente de Governo Aberto: Kezia Paz

Que tal ouvir e fazer música e exercitar a linguagem cidadã? Na oficina vamos ver na prática como a música pode ser utilizada para acesso e difusão da informação e ampliação de formas de participação e controle social. Não precisa ter conhecimento musical para participar.

Link de inscrição

Link para participação da Oficina: http://meet.google.com/ydq-bugx-agd

 

04/12/2020

OFICINAS ON-LINE – MANHÃ:10h – 12h30

Manhã: 10h – 12h30 – Infância e adolescência: minhas por direito!

Agente de Governo Aberto: Amanda Amorim

O projeto busca oferecer às crianças e adolescentes a conscientização sobre seus direitos básicos, por meio de espaços lúdicos e participação ativa, para que haja a prevenção de violências.

Link de inscrição

Link para participação da Oficina: http://meet.google.com/nxa-gmzk-vhz

Manhã: 10h – 12h30 – O uso da tecnologia social como ferramenta de transformação

Agente de Governo Aberto: Anita Costa

A partir do uso de ferramentas participativas, iremos apresentar na prática como desenvolver tecnologias sociais. Serão promovidas atividades participativas para a construção compartilhada de soluções inovadoras em combate aos problemas sociais, por meio do diálogo, reflexões, debates e compartilhamento de conhecimento.

Link de inscrição

Link para participação da Oficina: http://meet.google.com/dvg-oczt-gdw

 

Cidade de São Paulo conta com Programa de Combate à Obesidade

Iniciativa contempla realização de cirurgias bariátricas em dois hospitais municipais

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, disponibiliza à população o Programa de Combate à Obesidade. O programa contempla a realização de cirurgias bariátricas nos hospitais municipais Gilson de Cássia Marques de Carvalho (na Vila Santa Catarina, Zona Sul) e no Hospital Vereador José Storopolli (na Vila Maria, Zona Norte).

O programa prevê 60 atendimentos mensais, sendo 30 em cada hospital. A iniciativa inclui avaliação pré-operatória, cirurgia e acompanhamento pós-operatório. O programa contará com o investimento mensal aproximado de R$ 1 milhão.

A obesidade mórbida teve um aumento importante de sua prevalência ao longo dos últimos anos, tanto no Brasil quanto em outros países do mundo. Ela também é um dos fatores de risco da covid-19.

Combate à Obesidade no município

Para o combate à obesidade, a Área Técnica de Saúde Nutricional da rede municipal de Saúde trabalha em programas e ações para promover a melhoria das condições nutricionais da população, com o objetivo de reduzir os impactos da má nutrição na saúde e na qualidade de vida das pessoas.

Entre esses programas desenvolvidos na rede pública municipal destaca-se a Educação Alimentar Nutricional para Promoção à Saúde, referenciada pela Organização Municipal da Saúde. Trata-se de uma parceria entre as secretarias municipais da Saúde e da Educação, com o objetivo geral de “promover educação alimentar e nutricional de escolares da Rede Pública Municipal de Educação de São Paulo”. As ações começam pelo desenvolvimento de uma abordagem integral, capaz de prevenir e tratar agravos nutricionais como: subnutrição, obesidade, doenças crônicas não transmissíveis, entre outras, além da avaliação e monitoramento da condição nutricional dos alunos e estímulo à prática de atividade física.

Na primeira fase do programa, realizada na região Leste de São Paulo, foram avaliados 2.214 indivíduos, dos quais 35% das meninas e 30% dos meninos apresentaram excesso de peso. Foram desenvolvidas ações de educação nutricional e promoção de hábitos alimentares saudáveis com o público avaliado, atualmente em curso. O projeto está em processo de expansão para outras regiões do município.

 

Programa Mãe Paulistana contará com creche

Iniciativa possibilita que gestantes que fazem o pré-natal completo garantam vaga em creche para o seu filho

A Prefeitura de São Paulo disponibilizará à população o Programa Mãe Paulistana Creche, uma ação Intersecretarial da Saúde e da Educação, que tem o objetivo de garantir vagas em creches às crianças cujas mães cumpram adequadamente o pré-natal, concluindo 7 consultas ou mais, a realização de exames laboratoriais, ultrassonografias e testes rápidos para Sífilis e HIV.

No acompanhamento das consultas do pré-natal, as gestantes poderão manifestar interesse na vaga de creche até o 4º mês de gestação e terão a vaga garantida, caso compareçam regularmente às consultas de acompanhamento gestacional.

Para garantir a vaga, a Secretaria Municipal da Saúde (SMS) orienta o funcionamento do programa, colhe as informações e as repassa para a Secretaria Municipal de Educação (SME) realizar o pré-cadastro no sistema Escola Online (EOL) e planejar a garantia da vaga.

Após o nascimento do bebê, também é preciso realizar a consulta de puerpério e a primeira consulta do recém-nascido. O agendamento ocorre no momento da alta hospitalar da gestante.

Para iniciar o acompanhamento pelo Mãe Paulistana a gestante deve procurar uma das 468 Unidades Básicas de Saúde (UBS) da capital paulista.

 

Prefeitura estabelece obrigatoriedade de logística reversa no município de São Paulo

Fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes ficam responsáveis pela implementação e operacionalização do sistema

O prefeito Bruno Covas promulgou a lei que estabelece a obrigatoriedade da implantação de logística reversa no município de São Paulo por parte de fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes dos produtos e embalagens (listados abaixo) comercializados na cidade de São Paulo. A lei foi promulgada em 1 de outubro e publicada no Diário Oficial da Cidade.

Logística Reversa é a área da logística com foco no retorno de materiais já utilizados para o processo produtivo, visando o reaproveitamento ou descarte apropriado de materiais e a preservação ambiental.

Os produtos incluídos nesta lei são os seguintes: óleo lubrificante usado e contaminado e seus resíduos; baterias chumbo-ácido; pilhas e baterias portáteis; produtos eletroeletrônicos e seus componentes; lâmpadas fluorescentes, de vapor de sódio e mercúrio e de luz mista, bem como os diodos emissores de luz (LED – light-emitting diode) e assemelhadas; pneus inservíveis, ainda que fracionados por quaisquer métodos; embalagens de produtos que, após o uso pelo consumidor, independentemente de sua origem, sejam compostas por plástico, metal, vidro, aço, papel, papelão ou embalagens mistas, cartonadas, laminadas ou multicamada, tais como as de alimentos, bebidas, produtos de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos e produtos de limpeza e afins; outros utensílios e bens de consumo, a critério do órgão municipal competente ou da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – CETESB; agrotóxicos, seus resíduos e embalagens, assim como outros produtos cuja embalagem, após o uso, constitua resíduo perigoso, observadas as regras de gerenciamento de resíduos perigosos previstas em lei ou regulamento, em normas estabelecidas pelos órgãos do SISNAMA, do SNVS e do SUASA, ou em normas técnicas; embalagens usadas de óleo lubrificante; óleo comestível; medicamentos domiciliares vencidos ou em desuso e suas embalagens; e filtros automotivos.

Os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes, individualmente ou por meio de entidade representativa do setor, ficam responsáveis pela implementação e operacionalização da logística reversa no limite da proporção dos produtos que colocarem no mercado do município de São Paulo, conforme metas progressivas, intermediárias e finais, estabelecidas em acordos setoriais ou termos de compromisso, respeitada, no mínimo, a recuperação  até dezembro de 2024, de 35% do volume, em massa, das embalagens colocados no mercado no ano de 2023.

Poderão ser adotadas soluções integradas que contemplem desde procedimentos de compra de produtos ou embalagens usadas, sistemas de reciclagem, atuação em parceria com cooperativas ou outras formas de associação de catadores, bem como postos de entrega voluntária de resíduos reutilizáveis e recicláveis.

Os responsáveis pelos sistemas de logística reversa deverão também promover campanhas educativas e de conscientização pública, bem como dos benefícios da devolução dos produtos e embalagens para reciclagem.

Os fabricantes e os importadores darão destinação ambientalmente adequada aos produtos e às embalagens usadas reunidas ou devolvidas pelos comerciantes ou distribuidores.

Os participantes dos sistemas de logística reversa manterão atualizadas e disponíveis ao órgão municipal competente e a outras autoridades informações completas, com balanço anual, sobre a realização das ações sob sua responsabilidade.

 

Prorrogado edital para produtores de orgânicos e agroecológicos participarem de credenciamento

Participação é permitida a estabelecimentos e organizações que atuem na comercialização e/ou assistência técnica à produção e venda de produtos da agricultura familiar. Inscrições poderão ser feitas até hoje (30)

A situação de vulnerabilidade social na capital paulista atingiu muitos paulistanos desde o início da pandemia do novo coronavírus. Por este motivo a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, lançou o Edital para credenciamento de fornecedores de alimentos naturais, preferencialmente orgânicos ou agroecológicos, para entregas quinzenais de cestas a idosos e pessoas com deficiência atendidas pela rede socioassistencial.

As cestas devem ser compostas por pelo menos dois maços de verduras, dois maços de temperos, quatro quilos de legumes de no mínimo dois tipos, dois quilos de frutas. Poderão ser acrescidos, ainda, itens complementares, incluindo produtos processados ou beneficiados da agricultura familiar, tais como geleia, fruta higienizada e congelada (para suco) e compota.

A ação, além de promover a segurança alimentar e nutricional desse público, tem o intuito de dinamizar a economia local e fortalecer a agricultura familiar, considerando a situação de pandemia e o aumento da vulnerabilidade social decorrente dela.

As inscrições foram prorrogadas até esta segunda-feira (30) e poderão participar estabelecimentos e organizações que atuem na comercializem e/ou assistência técnica à produção e comercialização de produtos da agricultura familiar. As propostas serão analisadas amanhã (1º), às 14h.

Dúvidas e recebimento das inscrições pelo e-mail: smadscestas@prefeitura.sp.gov.br

Link do edital:

https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/upload/EDITAIS%20/EDITAL%20DE%20CREDENCIAMENTO%20N%2065%202020%20RETIFICADO.pdf

 

Guarda Civil Metropolitana recebe novas viaturas

Veículos ampliam infraestrutura do patrulhamento na capital

A Guarda Civil Metropolitana (GCM) recebeu, no mês de outubro, 38 novas viaturas. A ação tem o objetivo de reforçar o patrulhamento feito pela GCM na cidade de São Paulo.

As novas viaturas foram incorporadas à frota atual da GCM, que passa a contar com 234 veículos, sendo 25 nas Unidades Ambiental, melhorando a sua infraestrutura e assim oferecer mais apoio técnico aos guardas.

A GCM da capital atua em trabalhos importantes, como na fiscalização e no apoio à segurança pública, com as polícias Civil e Militar, ação que contribui para a redução dos índices de criminalidade na cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *